Servidores e funcionários terceirizados: campanha de vacinação contra febre amarela ocorrerá na UFLA nos dias 2/3 e 3/3

Imagem ilustrativa

Uma parceria entre a Universidade Federal de Lavras (UFLA) e a Vigilância Epidemiológica do município permitirá que servidores e funcionários terceirizados sejam imunizados, no câmpus, contra febre amarela. A campanha ocorrerá nos dias 2/3 e 3/3. A vacinação ocorrerá no prédio da Clínica Odontológica (câmpus histórico). O horário será das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30.

Os interessados devem comparecer ao local portando o cartão de vacinação. A vacina é direcionada àquelas pessoas que não foram vacinadas, ou às pessoas que não sabem (ou se esqueceram) se já passaram pela imunização.

Não podem ser vacinadas as pessoas que:

– tenham mais de 60 anos;
– estejam em tratamento com corticoide em altas doses;
– estejam imunodeprimidas;
– estejam com febre;
– tenham se vacinado há menos de dez anos;
–  e gestantes.

A campanha é organizada pela Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários (Praec), em parceria com a Prefeitura do município.

Sobre a febre amarela

Trata-se de uma doença grave, transmitida, em áreas silvestres, principalmente pelo mosquito Haemagogus ; já nas áreas urbanas, o principal transmissor é o Aedes aegypti. Para a prevenção coletiva contra a doença, é necessário que a população esteja atenta a todas as recomendações feitas para que não haja acúmulo de água parada, evitando a proliferação do mosquito Aedes aegypti, que também transmite outras doenças. Para proteção individual, a vacina é a indicação.

Saiba mais no site do Instituto Biomanguinhos (Fiocruz)

 

Necaf/UFLA promove XII Ciclo de Palestras em Cafeicultura

Com o objetivo de discutir os principais avanços obtidos na cadeia produtiva do café e o que há de novo no mercado, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) recebeu nos dias 21 e 22 de fevereiro o XII Ciclo de Palestras em Cafeicultura. Promovido pelo Núcleo de Estudos em Cafeicultura (Necaf) no Salão de Convenções da Universidade, o evento reuniu aproximadamente 300 pessoas, entre elas estudantes, professores e profissionais da área.

Presidente da Sincal Armando Mattiello

O engenheiro agrônomo, presidente da Associação Nacional dos Sindicatos Rurais das Regiões Produtoras de Café e Leite (Sincal), Armando Mattiello, proferiu a primeira palestra do evento, abordando o tema cenário político do café e também aspectos relacionados ao marketing dentro do segmento. “Se o cafeicultor ganha dinheiro o trabalhador rural também ganha, além disso, o comércio e assim por diante”, ressaltou Mattiello.

Abordando questões relacionadas à nutrição do cafeeiro, o engenheiro agrônomo e pesquisador da Fundação Procafé, Marcelo Jordão Filho, proferiu a segunda palestra do evento e expôs alguns experimentos que estão em andamento na Fundação que vem contribuir com o manejo de adubação e nutrição do cafeeiro. “Como futuros profissionais, responsáveis pela qualidade da assistência técnica a nível nacional, acredito que esse evento seja muito valioso para os estudantes, eles estarão cientes das novas tecnologias disponíveis para os produtores e demais manejos, que venham contribuir com a cafeicultura”, explicou Marcelo.  

Engenheiro agrônomo Marcelo Jordão Filho

O evento que já é consolidado e faz parte do cronograma anual da cafeicultura brasileira, tem como marca a tradição e competência do Necaf, núcleo que existe há mais de 20 anos na Universidade. O ex-integrante do núcleo e doutor pela UFLA em Fitotecnia participou do ciclo com o intuito de se atualizar e trocar experiências, atualmente ele é gerente de uma fazenda de café no município de Campos Altos (MG). “O proprietário e produtor de café da fazenda onde trabalho é uma pessoa com visão aberta com relação à pesquisa e a inovação, por isso procuramos o evento. Trocamos ideias com outros professores da área de cafeicultura da universidade, e essa também é uma boa oportunidade para rever os colegas”, disse Alexandrino.  

Professor Leandro Carlos Paiva

O professor e coordenador do curso de Tecnólogo em Cafeicultura no Instituto Federal do Sul de Minas do campus Machado (MG), Leandro Carlos Paiva, falou sobre inovação em pós-colheita apresentando experiências, como a aplicação de novas técnicas, que gera bons resultados em termos de qualidade de café e que tem ajudado os pequenos e médios produtores. “Hoje trabalhamos com temperaturas diferenciadas durante a secagem, novas formas de secagem, trabalhos com fermentações no início do processamento, o uso de maquinários que nós mesmos desenvolvemos”, ressaltou Leandro.  

Pesquisador IAC Oliveiro Guerreiro Filho

A última palestra do evento foi ministrada pelo pesquisador do Instituto Agronômico de Campinas (IAC) Oliveiro Guerreiro Filho que apresentou as estratégias, conquistas e perspectivas no melhoramento do café através de um breve histórico do que já foi feito e de como os programas de melhoramento se estruturaram, dos resultados que eles já geraram e dos desafios que existem ainda pela frente, o que o setor produtivo espera em termos de novas variedades.

Texto: Vanessa Trevisan (ASCOM InovaCafé) Fotos: Mariane Freitas e Mayara Mesquita (ASCOM InovaCafé)    

Inscrições abertas para o programa New Zealand Development Scholarships

O programa New Zealand Development Scholarships (NZDS) é financiado pelo Programa de Cooperação da Nova Zelândia, e gerenciado pelo Ministério de Negócios Estrangeiros e Comércio (MFAT). São oferecidas bolsas de pós-graduação para estudantes e profissionais de países da América Latina com potencial para fazerem a diferença em seus países de origem.

No total são 14 bolsas, disponíveis para: pós-graduação (6 meses); pós-graduação/ especialização (1 ano); mestrado (1-2 anos); doutorado (3-4 anos). As inscrições para o programa NZDS são online e estão abertas até 30 de março de 2017.

Os candidatos devem cumprir os critérios de elegibilidade e a preferência será dada àqueles que aplicarem nas áreas prioritárias: agricultura (desenvolvimento e gestão do agronegócio; produção agrícola; comércio e tecnologia em agricultura; pós-colheita) e energias renováveis.

Clique aqui para obter mais informações sobre o programa NZDS e o link para inscrições.

Camila Caetano – jornalista/ bolsista UFLA. 

Bolsas de estudos para a graduação na Turquia

A Embaixada da Turquia está divulgando uma oportunidade de bolsas de estudos para a graduação: “Türkiye Scholarships Undergraduate Applications Start on 1st March”.

As inscrições têm início em 1/3/17 e serão encerradas no dia 31/3/17. Em 2016 o mesmo programa contemplou 5.000 estudantes de mais de 150 países diferentes.

As inscrições são online: www.turkiyeburslari.gov.tr. Neste mesmo site estão disponíveis mais detalhes a respeito do Programa e dúvidas podem ser enviadas ao e-mail: info@turkiyeburslari.org ou por meio do telefone 0 850 455 0 982.

Perguntas frequentes

Camila Caetano – jornalista/bolsista UFLA. 

Pesquisa da UFLA estuda efeitos da interação entre pulgões e formigas sobre feijoeiros

A interação entre formigas e pulgões provoca alterações sobre a produtividade da planta hospedeira? Essa foi uma questão que pesquisadores da Universidade Federal de Lavras (UFLA) buscaram responder em uma pesquisa feita com feijoeiros (Phaseolus vulgaris), na qual analisaram plantas em dois contextos ecológicos distintos (isolado e na presença da comunidade). Todos os tratamentos, exceto o controle, foram infestados com afídeos, popularmente conhecidos como pulgões, da espécie Aphis craccivora.

No experimento, os pesquisadores isolaram ou expuseram os feijoeiros a cinco tratamentos diferentes. Em dos deles, isolaram as plantas da comunidade de artrópodes (deixando as plantas com formigas e pulgões; e somente com pulgões). Em outros dois, as plantas não foram isoladas da comunidade (sendo um contexto com a comunidade completa e outro, livre somente das formigas). O quinto foi de controle (planta completamente isolada). Após o ciclo de vida do feijoeiro, de aproximadamente três meses, foi avaliada a quantidade de frutos e de sementes produzidas e examinadas a biomassa, germinabilidade das sementes e taxa de plântulas anormais.

O estudo concentrou-se na avaliação dos efeitos da interação formiga-afídeo sobre as plantas hospedeiras em dois contextos ecológicos distintos: isolados e na presença de toda comunidade de artrópodes. Na prática esses diferentes contextos simulam diferentes tipo de manejo de cultivo orgânico. O contexto isolado simula o cultivo orgânico convencional, em que a monocultura diminui a biodiversidade local, mas não impede a presença da interação formiga-afídeo. Já o contexto da comunidade completa simula o cultivo orgânico agroecológico, onde há maior biodiversidade local.

Verificou-se que, nos experimentos com a presença de outros artrópodes, as formigas afetaram negativamente a produção de frutos e sementes. Por outro lado, quando formigas e pulgões estão isolados do restante da comunidade na planta, a interação afetou positivamente a produção de frutos e sementes.

“Um dos principais alimentos que a formiga precisa para obter energia é o carboidrato e quando interagem com pulgões elas o obtêm através de um líquido excretado pelos pulgões. Estes alimentam-se da seiva das plantas e produzem um líquido açucarado, conhecido como honeydew”, explica o pesquisador Ernesto Cañedo Júnior, doutorando em Entomologia na UFLA. As formigas “cuidam” dos pulgões, protegendo-os de inimigos naturais, transportando-os, limpando o excesso do líquido excretado e, em certos casos, alimentam-se deles. “É como se os afídeos fossem ‘vacas de leite e corte’ para as formigas”, compara Ernesto. O consumo do honeydew pelas formigas também beneficia a planta e o pulgão, porque o acúmulo do líquido leva à proliferação de fungos que podem matar os afídeos e que prejudicam a fotossíntese dos vegetais.

Os efeitos positivos da interação de formigas e pulgões estão relacionados à “limpeza” oferecida pelas formigas, que impedem o desenvolvimento de fungos na superfície das folhas. No caso dos feijoeiros produzidos em local aberto, a presença de formigas potencializa os danos causados à planta pelos pulgões, pois as formigas protegem os pulgões dos demais artrópodes que agem como predadores naturais dos pulgões.

Foram comparados dados de feijoeiros submetidos a esses ambientes: taxa de germinação das sementes produzidas; peso e número de sementes; número de frutos; e se havia má formação das plântulas. As plantas submetidas ao contexto isolado, com formigas e pulgões, produziram mais frutos e grãos. No contexto isolado, as plantas com formigas produziram aproximadamente 39% mais frutos e 48% mais sementes do que plantas sem formigas. No contexto envolvendo a comunidade, as plantas com formigas produziram aproximadamente 35% menos frutos e 40,5% menos sementes do que plantas sem formigas. A biomassa, germinação e taxa de feijões anormais não diferiram entre os tratamentos avaliados.

“Esses dois tipos de plantio produzem dois tipos distintos de resposta das plantas. Avaliamos alguns parâmetros de aptidão da planta ainda poucos explorados em estudos envolvendo interações entre formigas e afídeos, sobretudo em plantas com ciclo de vida curto”, conclui Ernesto. O estudo também avançou sobre como as interações ecológicas podem variar dependendo de métodos de manejo de culturas orgânicas.

Embora não ocorram entre todas as espécies, as interações entre formigas e afídeos podem afetar as plantas hospedeiras de várias maneiras. Mas a maioria dos estudos havia medido apenas a quantidade de frutos e sementes produzidos, e não testaram a viabilidade da semente.

Reaproveitamento

Outro mérito da pesquisa foi produzir conhecimento de ponta utilizando materiais descartados. Para construir os viveiros que propiciaram as condições de isolamento, os pesquisadores construíram gaiolas com produtos reaproveitados da construção civil dentro do câmpus da UFLA, evitando seu descarte. Exceto o tecido, foram reaproveitados pedaços de mangueira, 470 metros e 225 metros de vergalhão de ferro. Os 125 vasos utilizados no experimento também foram reaproveitados de experimentos prévios realizados pelo Departamento de Entomologia.

O artigo que descreve a pesquisa foi publicado recentemente no periódico PlosOne e pode ser acessado aqui (em inglês).

 

Minuto da Saúde: campanha sobre “DST e sexo seguro” foi realizada no Centro de Convivência

A quarta-feira (22/2) foi de campanha no Centro de Convivência da Universidade Federal de Lavras (UFLA). Os estudantes puderam interagir com profissionais da área de saúde e solucionar dúvidas sobre Doenças Sexualmente Transmissíveis – as DSTs.  Foram realizadas três sessões (manhã, tarde e noite). Elas fizeram parte da campanha “DST e Sexo Seguro”, que integra o projeto Minuto da Saúde.

A estudante de Zootecnia Ketlen Rocha participou do bate-papo no período da tarde e aprovou a iniciativa. “Achei perfeita a ação, especialmente por ser antes do Carnaval. Sabemos que em países como a Suiça, onde se debate muito esse tema com os jovens, as taxas de gravidez da adolescência e de DSTs caem. O Brasil tem carência dessa prática da conversa. Por isso, achei bacana esse evento”.

Durante as atividades, ocorreu também distribuição de material informativo, brindes e preservativos. No período da manhã, a palestra foi ministrada pelo médico ginecologista da Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários (Praec), Hélio Haddad Filho. À tarde, foi o médio infectologista Silvio Menicucci, também da Praec, quem conduziu a conversa. Já no período noturno, a enfermeira da Prefeitura de Lavras, Vitória Maria Vitória Alves Pinheiro, compartilhou com a comunidade as informações.

A campanha foi uma iniciativa conjunta da Coordenadoria de Saúde (Praec), do Departamento de Ciências da Saúde (DAS) e da Liga Acadêmica Interdisciplinar de Fisiologia (Laifi). Esta é apenas a primeira ação, de uma série de outras mobilizações em saúde programadas para os próximos dois anos, período em que estará em execução o Projeto “Minuto da Saúde”, que tem o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig). O projeto prevê a divulgação de informações científicas sobre saúde por meio de ações presenciais e de material produzido para veiculação na TVU, na Rádio Universitária e Internet (incluindo Mídias Sociais).

De acordo com a professora Joziana Barçante, coordenadora do projeto, as ações previstas no Minuto da Saúde irão ultrapassar os limites do câmpus e chegar à comunidade. “O projeto prevê mais de 30 temas a serem trabalhados em parceria com a Praec, o DSA e os departamentos de Nutrição (DNU) e Educação Física (DEF). Esses temas serão levados até a sociedade por meio de material de rádio, televisão, internet e com intervenções presenciais. Será mais um projeto pelo qual a Universidade desempenhará seu papel social”.

Para pró-reitora de Assuntos Estudantis e Comunitários, professora Ana Paula Piovesan Melchiori, o objetivo também é fazer com que eventos como o realizado nesta quarta sejam constantes na Universidade. “Queremos grande ênfase na medicina preventiva e na interação com o município. A expectativa é de que a comunidade se envolva cada vez mais com essa proposta e faça bom uso desses espaços de compartilhamento de informações.”

Foram parceiros nesta ação a Prefeitura de Lavras e o projeto “Unidade de Pronto Alegramento”.

Assista aos vídeos da TVU:

Matéria sobre o evento

Entrevista sobre o Minuto da Saúde

Mulheres artistas de Lavras: venham participar da exposição “A arte de ser mulher”

O “Coletivo Mulheres da UFLA” realizará entre 10/3 e 20/5 a exposição “A arte de ser mulher: O que te movimenta?” no Museu Bi Moreira, com o objetivo de dar maior visibilidade ao trabalho feminino. Assim, a exposição tem como intuito divulgar as artes das mulheres, exaltando as incríveis artistas presentes em Lavras.

Mulheres interessadas em participar da exposição devem enviar um e-mail até o dia 3/3 para exposicaocoletivo@gmail.com contendo: nome completo; idade; profissão; foto do objeto a ser exposto (pode ser mais de um, sendo ele foto, artesanato, poema etc); nome do objeto; descrição do objeto (material utilizado, por exemplo); um pequeno texto contando a sua história como artista (texto este que acompanhará seu objeto na exposição).

Após encerrado o prazo, a organização entrará em contato com as artistas para que compareçam ao Museu Bi Moreira da UFLA (localizado no câmpus histórico) nos dias 6/3 ou 7/3 para assinarem o termo de responsabilidade e deixarem o objeto com os profissionais do Museu.

“Vamos juntas buscar enaltecer nosso trabalho e nos empoderarmos através dele também”, ressalta a organização do evento. O Coletivo foi criado por mulheres estudantes da UFLA,. Possui um espírito de luta, de busca por equidade de gênero, respeito, de novas conquistas, novos direitos, de compromisso com o desenvolvimento humano, social e cultural.

Datas importantes:

Período da exposição: 10/3 a 20/5

Prazo de inscrição: 21/2 a 3/3

Prazo para envio da arte: 6/3 e 7/3

Camila Caetano – jornalista/ bolsista UFLA. 

Estímulo à leitura: Centro de Convivência da UFLA será espaço para o projeto Ponto do Livro

O Rotaract Clube de Lavras, com o apoio da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec), vai inaugurar no Centro de Convivência da Universidade Federal de Lavras (UFLA) uma estrutura do projeto “Ponto do Livro”. O lançamento será realizado nesta quinta-feira (23/2), às 12h. A estrutura ficará localizada nas proximidades da central de cópias e permitirá que qualquer interessado pegue livros disponíveis, leia e os entregue de volta.

De acordo com a representante da comissão do Ponto do Livro do Rotaract Lavras, Lissa Pereira, a iniciativa na UFLA busca incentivar a comunidade acadêmica a dedicar sempre um tempo para ir além da leitura dos conteúdos científicos. “A rotina é intensa e às vezes deixamos em segundo plano aquela literatura que pode contribuir para ampliar nossos horizontes culturais.  Além disso, é um projeto que estimula o compartilhamento solidário. As pessoas doam seus livros, para que eles façam bem a quem elas nem conhecem”, explica Lissa, que é também estudante de Engenharia Ambiental e Sanitária da UFLA.

A UFLA será o terceiro local em Lavras a receber um Ponto do Livro. As primeiras iniciativas foram na Praça Leonardo Venerando e na Praça Dona Josefina. As obras disponibilizadas são reunidas através de doações feitas pela comunidade. Na UFLA, o Rotaract contou com a parceria das empresas júniores Preserva Jr. e Terra J.r e dos Engenheiros sem Fronteiras – Núcleo Lavras. Esses grupos, além de realizarem doações, ajudaram na divulgação da campanha para coleta de livros e disponibilizaram suas próprias estruturas físicas como locais de arrecadação de livros.

Para diversificação do acervo, a ideia é que novas doações possam ser feitas a todo momento. Quem quiser compartilhar uma obra, poderá deixá-la diretamente no Ponto do Livro (no Centro de Convivência) ou na sala de um dos grupos parceiros.

Um pouco mais sobre o projeto

O Ponto do Livro foi criado há três anos  por coletivos de Belo Horizonte, com o objetivo de dar à comunidade, de forma desburocratizada, acesso à leitura de livros, estimulando o hábito pela leitura e o compartilhamento de obras.

Acompanhe: Facebook Ponto do Livro e Facebook Ponto do Livro – Lavras

Lançamento na UFLA

Durante a atividade de lançamento de 23/2, às 12h,  a equipe do Rotaract (que possui estudantes da UFLA como integrantes) estará no local para explicar a ideia e estimular a particação.

Com informações de Fernanda Rafaela Silva Valadão, bolsista Proat /Dcom.

Alunos de Direito da UFLA visitam o Supremo Tribunal Federal

Nos dias 8, 9 e 10 de fevereiro, os discentes do curso de Direito da Universidade Federal de Lavras (UFLA) fizeram a 1ª Visita Técnica ao Supremo Tribunal Federal (STF) em Brasília/DF. Com a participação de 80 discentes de todos os períodos do curso, a visita teve como finalidade proporcionar aos alunos um maior contato com a prática jurídica, bem como proporcionar um olhar próximo à mais alta corte do País.

Durante as atividades os alunos puderam realizar a visitação ao palácio do STF e assistir à sessão plenária com a presença de praticamente todos os ministros. A sessão foi encerrada com a fala do ministro Marco Aurélio, dirigida diretamente aos discentes.

O trabalho foi promovido pela Chefia do Departamento de Direito (DIR/UFLA), composta pelos docentes Isabela Dias Neves (chefe) e Fellipe Guerra David Reis (subchefe), juntamente com os professores Ricardo Augusto de Araujo Teixeira, Vinicius Nascimento Cerqueira e Luciano Siqueira Salim. Também participaram da organização os monitores da disciplina de Prática Jurídica Simulada I: Alexandre Oliveira Loureiro do Baixo, Émerson Vieira e os discentes Emmanuel de Lima Porto, Fernanda Kelly Cordeiro Lopes, Lauriano Resende Barbosa, Mariane Caroline Souto Chaves, Mateus Ferreira Costa, Matheus Camargos Nogueira e Paloma Francielly do Amaral.

Luciana Tereza – estagiária DCOM

 

UFLA apresenta inovações na Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas

Representantes da UFLA durante a FEMAGRI 2017

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) participou entre os dias 8 e 10 de fevereiro, da Feira de Máquinas, Implementos e Insumos Agrícolas (Femagri) em Guaxupé, no Sul de Minas, promovida pela Cooperativa Regional de Cafeicultores em Guaxupé (Cooxupé).

A Instituição foi representada pela Agência de Inovação do Café (InovaCafé), Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia do Café (INCT Café), Núcleo de Estudos em Melhoramento e Clonagem (Nemec), Núcleo de Estudos em Cafeicultura (Necaf), Grupo de Estudos em Herbicidas, Plantas Daninhas e Alelopatia (Ghpd), Núcleo de Estudos em Máquinas Agrícolas e Portáteis (Nemaport), Núcleo de Estudos em Qualidade, Industrialização e Consumo de Café (QI Café), Núcleo de Estudos em Pós Colheita do Café (Pós-Café) e a empresa Terra Jr Consultoria Agropecuária.

Durante os três dias de eventos, os representantes dos núcleos de estudos da UFLA tiveram a oportunidade de apresentar os cursos de graduação, pós-graduação e os projetos de pesquisa, ensino e extensão que englobam alguns setores do agronegócio, principalmente do café, que são desenvolvidos na Universidade.

“Através do evento obtivemos mais contato com os produtores rurais, que são nossos clientes. Além disso, a feira proporcionou conhecimento técnico de diversas áreas de atuação da empresa, o que faz a Terra Jr manter-se sempre atualizada nas tendências e perspectivas para o cenário agrícola nacional. Toda essa experiência também nos fez enxergar ainda mais a enorme influência e representatividade da UFLA na cafeicultura e nos outros setores do mercado em que estamos inseridos, é evidente que nossa presença em feiras desse porte nos acrescentam qualidades pessoais e profissionais que complementam a vivência acadêmica”, explicou o estudante do 8º período de Engenharia Agrícola da UFLA, presidente do Terra Jr., Gabriel Lacava.

O INCT Café apresentou novas formulações de resíduos do processamento de café provenientes da Cooxupé. A torta, resíduo da extração do óleo do café é rica em nutrientes como açúcares, aminoácidos e também substâncias antioxidantes e compostos bioativos, a partir daí dois novos produtos foram desenvolvidos e apresentados ao público:

Equipe do INCT Café no estande da UFLA

Nutrição

Cápsulas com concentração dos antioxidantes do café que funciona como alimento funcional para limpeza de radicais livres no corpo humano e também age prevenindo o envelhecimento e combatendo a obesidade;

Remédio para plantas

Indutor de resistência em plantas, o produto que funciona como vacina age contra fungos e bactérias em diversos cultivos, sendo pulverizado nas plantas ativando a defesa das mesmas.

Esses dois novos produtos atendem segmentos distintos, trazendo benefícios tanto para a saúde animal quanto vegetal, indo ao encontro da sustentabilidade, através do reaproveitamento de matérias primas provenientes do café, produto de grande importância para a economia do país.

Femagri

Esse ano a feira recebeu 38.249 visitantes e a geração de negócios ficou 36% maior que a edição de 2016, o evento serviu como espaço para apresentação de tecnologias e inovações para o setor cafeeiro, onde cafeicultores negociaram maquinários e insumos com o intuito de produzir mais e economizar nos custos.

Texto: Vanessa Trevisan: jornalista/ InovaCafé.