Provoc-Arte: intervenções artísticas marcaram encerramento de disciplina do Mestrado em Educação



22 de agosto de 2016, 11:24 am , com 2.103 visualizações

mestrado-ded7O Programa de Pós-Graduação em Educação do Departamento de Educação (DED/UFLA) realizou, com a atuação dos estudantes, intervenções artísticas para marcar a conclusão da disciplina Arte e Educação, ministrada pela professora Cláudia Ribeiro. A atividade ocorreu em dia 15/8. Foram realizadas performances artísticas nos espaços do Restaurante Universitário, Biblioteca e Cantina Central.

As performances foram desenvolvidas pelos estudantes a partir da inspiração em pinturas, músicas, poesias, contos, textos acadêmicos, peças de museu e outros textos culturais que provocam saberes, poderes e verdades, incitando a problematização dos temas. Durante as apresentações, os estudantes interagiram com os espaços montados especialmente para as intervenções e, ao final, participaram das discussões para ampliação dos conceitos de arte/educação.

O espaço de Arte e Educação na estrutura curricular do Mestrado Profissional em Educação, segundo a professora Cláudia Ribeiro, permite pluralidade de reflexões. “Constitui-se em uma enxurrada de conhecimentos que transformou em heterotopia a sala de aula, puxando múltiplos fios que impulsionaram conexões”, comenta.

Os espaços utilizados para as intervenções foram produzidos pelos estudantes da disciplina Arte e Educação. O grupo Danielle Cristine, Vladimir Augusto e Renan Fonseca foi responsável pela proposta “Arte no Espaço Urbano”, pela qual buscam reflexões sobre as expressões de arte que se utilizam dos espaços urbanos e  provocam os questionamentos: o que é arte (?), qual é o lugar dela (?), o que ela desperta (?).

As representações de negros e negras nas artes foi a proposta dos estudantes Eduardo Doná, Lucas Lima e Silmara Santos, que problematizaram a (in)visibilidades desses atores nas artes. Eles questionam qual o lugar das negras e negros nas produções artísticas do cotidiano. “Existe um lugar? Podemos pensar na arte como um ambiente descontextualizado de processos históricos?” Assim, questionou-se as identidades artísticas a partir de marcadores sociais de raça e etnia.

A performance apresentada por Vinicius de Carvalho e Jaciluz Dias (Mergulhando em Estranhamentos, Identidades e Violências) foi inspirada no Museu Imaginário das Águas, Gênero e Sexualidade (trabalho de pós-doutorado da professora Cláudia Ribeiro). Foi  o descortinar do corpo (início meio e fim da ação), perpassado as relações de gênero, expressões das sexualidades, bem como as violações e violências diariamente experimentadas.mestrado-ded1

Já as estudantes Lucimara Destéfani, Neiva Rodrigues, Silvana Faria e Tânia Gonçalves, ocupando espaços como Restaurante Universitário, Biblioteca e Cantina, abordaram o processo histórico da prostituição, propiciando a reflexão sobre as marcas históricas, culturais e sociais que circundam as representações das prostitutas.

Expondo frases provocadoras que representam a visão histórico-social da mulher na atualidade, Aline Tavares, Bárbara Silva, Maria Betânia, Tatiane Resende e Vanderleia Silva instigaram as pessoas a refletirem criticamente sobre as verdades, poderes e saberes da mulher na sociedade. As estudantes materializaram, em produções artísticas, o que sentiram e viram interagindo na performance “Lugar de mulher é… espaço de construção”.

Colaboração (texto e fotos): jornalista Fátima Ribeiro.

Página Eventos UFLA no Facebook

Diretrizes de Comunicação da UFLA

Notícias por data

agosto 2016
D S T Q Q S S
« jul   set »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivo