Pesquisador da UFLA aponta influência dos fatores institucionais em economias cafeeiras do Brasil e do mundo

Muito além do fator preço, os fatores institucionais – como a legislação e os costumes de um país – têm o poder de influenciar as relações econômicas. É isso que comprova a tese de doutorado “Os efeitos dos fatores institucionais sobre o desenvolvimento das economias cafeeiras”, de autoria de Eduardo Cesar Silva, apresentada à Universidade Federal de Lavras (UFLA) em junho de 2018, no âmbito do Programa de Pós-Graduação em Administração (PPGA).

Orientada pelo professor Luiz Gonzaga de Castro Júnior, a pesquisa baseou-se nos conceitos da Nova Economia Institucional (NEI) e utilizou como metodologia a detecção de outliers em séries de tempo, ou seja, observações de valor atípico geralmente causadas por intervenções políticas, mudanças econômicas ou fenômenos meteorológicos.  

No trabalho, foram analisadas as séries de exportação de café verde de 16 países concorrentes do Brasil: Colômbia, Venezuela, Costa Rica, Guatemala, Honduras, México, Congo, Costa do Marfim, Etiópia, Madagascar, Quênia, Tanzânia, Uganda, Índia, Indonésia e Vietnã. Também foram objeto de estudo as séries de produção de café de cinco estados brasileiros: Bahia, Paraná, Espírito Santo, São Paulo e Minas Gerais.   “Foi possível comprovar que a instabilidade política, entre outros fatores, afeta negativamente a exportação de café. Além disso, programas governamentais de expansão da área cultivada foram responsáveis pela consolidação de algumas das principais regiões produtoras de café atualmente”, explicou o pesquisador.

Os resultados mostraram que, em determinados momentos e circunstâncias, ocorrem mudanças na estrutura das séries de exportação e produção, causadas por fatores institucionais.  Como uma das constatações da pesquisa, Silva trouxe como exemplo os países africanos, cuja instabilidade política após a independência, marcada por ditaduras, golpes de estado e guerras, causou diversos outliers nas séries temporais. “Vários autores apontam que a situação precária de muitas comunidades é causada pela estrutura da cadeia produtiva, marcada pelo poder de mercado de algumas poucas empresas de exportação, importação e torrefação que deprimem os preços pagos pelo grão. Os resultados do estudo atestam que o ambiente institucional pode ser o fator preponderante, indicando um novo caminho: como construí-lo de forma inclusiva para que fomente o desenvolvimento não só da cafeicultura, mas da economia”, pontuou.  

Com relação aos estados brasileiros, os resultados revelaram que os programas de renovação e ampliação de lavouras realizados nas décadas de 1960 e 1970 tiveram grande impacto sobre a produção das principais regiões cafeeiras do país. Os estados de Minas Gerais e Espírito Santo foram os que mais se beneficiaram desses programas e das novas tecnologias desenvolvidas posteriormente.  “Esta pesquisa comprovou que o desenvolvimento da cafeicultura depende de um ambiente institucional estável e inclusivo, que gere segurança aos cafeicultores e fomente a pesquisa”, finalizou o pesquisador.  

Ascom Inovacafé

Prêmio Fundação Bunge irá homenagear acadêmicos das áreas de Ciências Agrárias e Letras

Neste ano, o Prêmio Fundação Bunge homenageará profissionais da área de Ciências Agrárias, com o tema “Serviços Ambientais Para o Agronegócio”, e da área de Letras, com o tema “Literatura Infantojuvenil”. As indicações para cada área serão feitas pelas principais universidades e entidades científicas e culturais brasileiras até o dia 30/6.

Em seguida, Comissões Técnicas compostas por especialistas em cada área de premiação irão avaliar e escolher os homenageados com o prêmio deste ano. Os contemplados serão conhecidos em agosto e a cerimônia de entrega da 63º edição do Prêmio Bunge e 39º do Prêmio Fundação Bunge Juventude acontecerá em novembro.

O Prêmio Fundação Bunge é concedido anualmente com a proposta de reconhecer os profissionais que contribuem para o desenvolvimento da cultura e das ciências no Brasil, além de estimular novos talentos. A premiação homenageia dois profissionais de cada uma das áreas de atuação reconhecidas, totalizando quatro contemplados: dois na categoria Vida e Obra e dois em Juventude (pesquisadores com até 35 anos de idade). Sobre a Fundação Bunge

A Fundação Bunge, entidade social da Bunge Brasil, há mais de 60 anos atua em diferentes frentes com o compromisso de valorizar pessoas e somar talentos para construir novos caminhos. Suas ações estabelecem uma relação entre passado, presente e futuro e são colocadas em práticas por meio da preservação da memória empresarial (Centro de Memória Bunge), do incentivo à leitura (Semear Leitores), do voluntariado corporativo (Comunidade Educativa), do desenvolvimento territorial sustentável (Comunidade Integrada) e do incentivo às ciências, letras e artes (Prêmio Fundação Bunge).

Da Assessoria

PRP divulga resultado de edital do Programa de Apoio à Formação de Redes de Pesquisa em Áreas Estratégicas

A Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade Federal de Lavras (PRP/UFLA) divulgou o resultado do edital PRP 04/2018, referente ao Programa de Apoio à Formação de Redes de Pesquisa em Áreas Estratégicas. A proposta classificada em primeiro lugar é coordenada pelo professor do Departamento de Engenharia (DEG) Adriano Viana Ensinas, com participação de pesquisadores, estudantes e técnicos administrativos DEG, do Núcleo de Estudos em Empreendedorismo ligado ao Departamento de Administração e Economia (Neemp/DAE) e da Agência de Inovação do Café (Inovacafé). Trata-se de um projeto que prevê o estudo de novas arquiteturas de construção, uso e manutenção de máquinas de café expresso do tipo automatizadas, focadas na venda em larga escala e qualidade de preparo da bebida.

A seleção das propostas foi feita por uma comissão nomeada pela PRP por meio da Portaria nº 002, de 14 de maio de 2018. De acordo com o pró-reitor de Pesquisa, professor Teodorico Ramalho, a análise foi um desafio, já que todas as propostas demonstraram muita maturidade científica e transversalidade entre as diferentes áreas do conhecimento. “A PRP, mais uma vez, agradece a participação e contribuição de todos os grupos de pesquisa proponentes. De fato, parabenizamos todas as equipes envolvidas pelas inovadoras soluções propostas para o desafio apresentado.”

De acordo com o edital, o projeto selecionado receberá apoio financeiro no valor de 30 mil reais.

Programa de Apoio à Formação de Redes de Pesquisa em Áreas Estratégicas

Com o Programa, inédito na instituição, a Direção Executiva da UFLA busca contribuir para o desenvolvimento de estudos científicos considerados estratégicos, que apresentem soluções e novas tecnologias para problemas atuais, sob esforços coordenados de forma multidisciplinar, envolvendo diferentes áreas do conhecimento. São também objetivos do Programa a inserção de novos pesquisadores em grupos de pesquisa já consolidados; a formação de novos grupos de pesquisa e o estímulo ao surgimento de redes colaborativas entre professores da UFLA.

A linha temática definida para esta edição do Programa – “Consumo de café em instituições públicas: sustentabilidade e qualidade no método de preparo de café em larga escala” – buscou estimular o desenvolvimento de um método ou tecnologia de preparo de café capaz de solucionar o desafio hoje vivido por instituições públicas que têm alto consumo da bebida. As tecnologias atualmente disponíveis exigem investimentos financeiros altos ou mesmo não atendem ao quesito sustentabilidade – como é o caso do café em cápsulas, que tem utilização questionada em função de as cápsulas não serem biodegradáveis e serem de difícil reciclagem. É, então, necessário conciliar preservação da qualidade do café durante o preparo, sustentabilidade e baixo custo. Ao final do prazo de execução do projeto selecionado, espera-se chegar a uma solução, inclusive com possibilidade de geração de patente.

O pró-reitor de Pesquisa explica que a escolha do tema para este primeiro edital baseou-se na extensa trajetória de tradição da UFLA na pesquisa com café, o que garante à instituição e seus pesquisadores competência especializada para avançar com a geração de tecnologias. “A intenção, pelo Programa, é que um novo edital seja publicado anualmente, lançando novas temáticas estratégicas. Há apenas a dependência da disponibilidade de recursos”, diz.

O Programa de Apoio à Formação de Redes de Pesquisa em Áreas Estratégicas, de acordo com a PRP, além de editais temáticos, deverá incluir a realização de workshops na Universidade, também para discutir temáticas complexas, com envolvimento de equipes de diferentes áreas dedicadas aos temas.

Professora da UFLA foi homenageada com Comenda Antônio Secundino de São José – honraria foi entregue pelo Governador na terça (12/6)

    Foto: Manoel Marques/ Imprensa MG

Um trabalho diversificado, desenvolvido há quase 20 anos na área de meio ambiente e saneamento, fez da professora do Departamento de Ciências da Saúde (DSA) Joziana Muniz de Paiva Barçante uma das 15 personalidades homenageadas com a Comenda Antônio Secundino de São José. A honraria foi entregue na noite de terça-feira (11/6) pelo governador do Estado, Fernando Pimentel, em solenidade realizada na cidade de Patos de Minas.

A Comenda foi criada em 1991 e dá destaque a pessoas que tenham contribuído para o desenvolvimento da agricultura, pecuária, abastecimento, saneamento e meio ambiente no Estado. Faz referência a Antônio Secundino de São José, que nasceu na Fazenda da Onça, hoje pertencente ao município de Presidente Olegário. Antônio Secundino foi engenheiro agrônomo formado pela Escola Superior de Agricultura de Minas Gerais, em Viçosa. Especializou-se no exterior e, de volta ao Brasil, fundou uma empresa que se dedica à pesquisa e ao agronegócio, responsável pela introdução do milho híbrido no Brasil – a Agroceres.

As homenagens ocorrem anualmente, a partir da avaliação de um Conselho específico, presidido pelo secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais e composto por representantes de instituições de ensino e outros órgãos públicos, além de entidades de classes ligadas à agricultura. O Conselho aprovou por unanimidade a indicação do nome da professora Joziana para receber a horaria.

Trajetória de contribuições

Joziana iniciou sua caminhada de contribuições ao meio ambiente e ao saneamento no ano 2000, com pesquisas sobre parasitos de importância médica e veterinária. Na UFLA, ingressou em 2010, quando iniciou trabalhos de pesquisa e extensão intensificados a partir de 2012, relacionados à prevenção de endemias e ao debate público sobre doenças negligenciadas, sendo as leishmanioses e o combate à dengue focos importantes de seu trabalho, que tem auxiliado a saúde pública em Lavras e na região. Coordena ações de educação em saúde e projetos dentro e fora do câmpus da UFLA que colaboram para a vigilância ambiental e epidemiológica.

A professora foi coordenadora de Prevenção de Endemias da UFLA, membro da Câmara de Assessoramento (CBB) da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), chefe do DSA/UFLA e coordenadora do Curso de Medicina da UFLA, tendo também integrado a comissão que liderou a criação do curso de Medicina na Instituição. Atualmente é chefe de Gabinete na UFLA e presidente do IV Simpósio Brasileiro de Doenças Negligenciadas, que a cada ano amplia a conexão entre a academia e os profissionais de saúde em atuação na cidade e região. A homenagem emocionou Joziana, que compareceu à cerimônia acompanhada da família. “Fiquei muito feliz e satisfeita, porque é um reconhecimento que, para mim, se estende a todos os envolvidos nos projetos: estudantes, outros professores e técnicos administrativos da Universidade, servidores do município, do Estado e do Governo Federal que estão junto conosco para tornar as ações possíveis. Ninguém realiza um trabalho assim sozinho. E temos tido o privilégio de ver que mesmo quem deixa os projetos para seguir caminho em outra instituição, acaba levando consigo a valorização forte de um trabalho baseado no cuidado extremo com a comunidade, e essa semente vai sendo plantada e germinando também em outros lugares. É bom demais ver esse resultado”, avalia.