Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável e Extensão tem primeira dissertação defendida



4 de Março de 2016, 5:25 pm , com 2.504 visualizações

Aloísia Hirata apresenta a pesquisa sobre o sistema participativo e da agroecologia com produtores familiares da região

Aloísia Hirata apresenta a pesquisa sobre o sistema participativo e da agroecologia com produtores familiares da região

O Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável e Extensão (PPGDE) da Universidade Federal de Lavras (UFLA) teve a primeira dissertação do Mestrado Profissional defendida por Aloísia Rodrigues Hirata. Sua pesquisa abordou o fortalecimento do sistema participativo e da agroecologia com produtores familiares da região.

O desenvolvimento rural sustentável tem sido um assunto de extrema importância, visto que objetiva o trabalho com o produto orgânico de forma participativa. “A minha pesquisa é na área da certificação participativa de produtos orgânicos. Hoje, no Brasil, existem três mecanismos para você certificar um produto enquanto orgânico: sistema de auditoria, organização de controle social, e o sistema participativo de garantia. O meu trabalho foi resgatar a constituição do sistema participativo de garantia do Sul de Minas e avaliar as suas contribuições para o fortalecimento da agroecologia na região”, relata Aloísia.

A pesquisa teve como orientador o professor do Departamento de Administração e Economia (DAE/UFLA) Thiago Rodrigo de Paula Assis, que também é coordenador-adjunto do Programa. O estudo contou com a parceria do Instituto Federal do Sul de Minas (IFSuldeMinas) e da Orgânicos Sul de Minas (rede de organizações orgânicas, com sete associações e uma cooperativa).

Segundo Thiago, o trabalho apresentou uma temática que possibilita parcerias e um contato mais próximo com o IFSuldeMinas, que já possui um trabalho com a certificação participativa bastante sólido. “Tem sido uma experiência positiva com a possibilidade de conciliar esses conhecimentos com as reflexões acadêmicas”, complementa.

Além disso, o coordenador-adjunto destaca que nesse Programa há uma grande reflexão sobre a importância da extensão, tentando romper a visão de que o conhecimento somente é produzido dentro da Universidade. “Deve-se ter o contato com outras experiências, que ajudam a contribuir para uma ciência mais apropriada para esses grupos, que possa ser útil para essas pessoas”.

Para o chefe do DAE, professor Francisval de Melo Carvalho, a primeira defesa de um Programa é algo que deve ser sempre celebrado, pois representa uma grande conquista. “É uma proposta que valorizamos muito porque é multidisciplinar e com vários departamentos envolvidos”.

Primeira defesa do programa contou com cerimônia especial, com a presença do pró-reitor de Pós-Graduação, professor Alcides Moino Júnior; do chefe do DAE/UFLA, professor Francisval Carvalho; do coordenador-adjunto do Programa, professor Thiago Assis

Primeira defesa do programa contou com cerimônia especial, com a presença do pró-reitor de Pós-Graduação, professor Alcides Moino Júnior; do chefe do DAE/UFLA, professor Francisval Carvalho; do coordenador-adjunto do Programa, professor Thiago Assis

Também esteve presente na defesa o pró-reitor de pós-graduação da UFLA, professor Alcides Moino Júnior. “É uma modalidade na qual a UFLA vem se inserindo cada vez mais. Já são sete Programas de Mestrados profissionais na Universidade”, disse.

O Programa

Foi aprovado pela Capes em março de 2013, e a primeira turma do Programa ingressou no primeiro semestre de 2014. O curso está lotado no DAE e conta com a colaboração de professores dos Departamentos de Agricultura (DAG), Ciências Humanas (DCH) e Entomologia (DEN) da UFLA, além do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Estadual de Maringá. A proposta partiu de um histórico de atuação do DAE nas temáticas ligadas ao desenvolvimento rural e extensão.

Atualmente, são doze estudantes envolvidos no PPGDE. O objetivo é contribuir para a formação de profissionais qualificados para trabalhar em organizações que prestam serviços, diretos ou indiretos, ao espaço rural e urbano, como agências de extensão e assistência técnica, centros de pesquisa, universidades, poder público em suas dimensões federal, estadual e/ou municipal, órgãos de planejamento, organizações não governamentais de maneira geral, organizações de produtores e de trabalhadores, instituições privadas ou públicas de produção e ação social e movimentos sociais.

Além disso, visa formar profissionais que possuam conhecimentos teórico-metodológicos relacionados ao desenvolvimento sustentável e extensão, aptos a conduzir pesquisas e ações voltadas à implementação de novos processos de desenvolvimento, considerando não apenas o aspecto econômico, como também as questões sociais, ambientais, políticas e culturais.

O Programa conta com duas linhas de pesquisa:

Sustentabilidade e Extensão”, que agrega estudos que buscam analisar a questão da sustentabilidade em suas diversas vertentes, com destaque para processos sustentáveis de produção agrícola, no âmbito da agroecologia.  Nessa linha, envolve estudos sobre tecnologias de produção sustentável, sistemas de manejo de pragas com baixo impacto e processos de transição agroecológica. Além disso, busca estimular reflexões sobre o desenvolvimento sustentável e gestão ambiental, abrangendo estudos voltados tanto para as questões ligadas ao rural quanto ao urbano e passando por temas como indicadores de sustentabilidade, legislação ambiental e educação ambiental.

Desenvolvimento e Extensão”, voltada para a reflexão sobre a diversidade de temas ligados ao desenvolvimento, com ênfase às questões relativas ao rural e os diversos atores envolvidos. Busca estudar as políticas públicas voltadas ao desenvolvimento rural, à inserção da agricultura familiar e campesinato nos processos de desenvolvimento, as questões de gênero e sua influência no desenvolvimento. Busca ainda refletir sobre os processos de mediação desenvolvidos por diversos atores no meio rural, como movimentos sociais, agências de extensão pública, organizações não governamentais e sobre os efeitos de projetos de desenvolvimento, abrangendo aí a análise de programas e projetos, com atenção para a construção de indicadores de avaliação das diversas dimensões importantes nesses projetos, sejam elas ambientais, sociais, etc. Agrega ainda estudos sobre a questão dos mercados e das estratégias de comercialização pela agricultura familiar.

A TV Universitária fez a cobertura da defesa da tese. Clique aqui e confira a matéria.

Texto: Camila Caetano – jornalista/ bolsista UFLA

Página Eventos UFLA no Facebook

Diretrizes de Comunicação da UFLA

Notícias por data

Março 2016
D S T Q Q S S
« fev   abr »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Arquivo