Arquivo da tag: Sistema Urubu

Projeto de Lei para reduzir atropelamentos de animais silvestres, de iniciativa do Centro de Ecologia da UFLA, avança na Câmara

Crédito: CBEE

 

O Centro Brasileiro de Excelência em Ecologia de Estradas (CBEE), da Universidade Federal de Lavras (UFLA), é um centro de pesquisas com foco na redução dos impactos causados pela construção de estradas. Localizado no Departamento de Biologia (DBI) sob a coordenação do professor Alex Bager, o Centro promove projetos de extensão e inovação relacionados ao tema.

Uma das iniciativas do CBEE, em parceria com a Rede Nacional Pró Unidades de Conservação (Rede PróUCs), com o consultor em Comunicação e Políticas Públicas, jornalista Aldem Bourscheit e com o deputado Ricardo Izar Júnior (PSD-SP), foi a elaboração do Projeto de Lei 466/2015, que trata da “adoção de medidas que assegurem a circulação segura de animais silvestres no território nacional, com a redução de acidentes envolvendo pessoas e animais nas estradas, rodovias e ferrovias brasileiras”. O projeto está em tramitação desde 2015 e, nesta quarta-feira (4/10) alcançou um resultado importante: a aprovação pela Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados.

A partir de agora, segue para o Plenário da Câmara, onde já tem aprovado o Regime de Urgência para sua avaliação. Os idealizadores contam com o compromisso da Presidência da Câmara para que seja colocado em pauta com agilidade. Após a aprovação dos deputados, a proposta avançará para o Senado.

Confira na íntegra a nota da Frente Parlamentar Ambientalista:

 “Brasília (DF) – Nessa quarta-feira (3), Dia Mundial dos Animais, a Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados deu um importante passo para a conservação da vida no país aprovando o Projeto de Lei 466/2015. Na comissão, a proposta foi relatada pelo deputado Antonio Bulhões (PRB-SP).

De autoria do deputado Ricardo Izar Júnior (PSD-SP) e construído em parceria com o Centro de Estudos em Ecologia de Estradas da Universidade Federal de Lavras (UFLA) com a Rede Nacional Pró Unidades de Conservação (Rede PróUCs) e com o consultor em Comunicação e Políticas Públicas, jornalista Aldem Bourscheit, o texto trata da “adoção de medidas que assegurem a circulação segura de animais silvestres no território nacional, com a redução de acidentes envolvendo pessoas e animais nas estradas, rodovias e ferrovias brasileiras”.

A proposta é fundamentada na realização de estudos técnicos para que sejam definidos os melhores locais e as tecnologias mais adequadas para a redução dos atropelamentos de fauna silvestre. O meio rodoviário responde atualmente por cerca de 60% do transporte de cargas no Brasil, se estendendo por quase 2 milhões de quilômetros de rodovias e estradas federais, estaduais e municipais.

Assim como nas comissões por onde tramitou anteriormente, a de Viação e Transportes e a de Meio Ambiente, o texto foi aprovado na Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania também por unanimidade. Como não tramita em “caráter terminativo”, segue para o Plenário da Câmara, onde já tem aprovado o Regime de Urgência para sua avaliação e conta com o compromisso da Presidência da Câmara para que seja colocado em pauta com celeridade. Após o sinal verde dos deputados, a proposta avançará para o Senado.

Todos os anos, quase 500 milhões de lobos, onças, tamanduás, antas e outros animais silvestres perdem a vida quando são atropelados em rodovias, estradas e ferrovias brasileiras. As principais vítimas são animais de pequeno porte, como cobras, aves e lagartos. Mas, não importa o tamanho, todos os animais silvestres são peças indispensáveis para que os ambientes naturais sigam nos beneficiando com oferta de água, regulação do clima, belas paisagens, renovação de solos e espaços para esporte e lazer, por exemplo.

Vidas humanas também são desperdiçadas quando o problema dos atropelamentos de animais não é atacado. Conforme balanço do Ministério dos Transportes, mais de 4 mil acidentes com veículos e animais silvestres e domésticos acontecem a cada ano no Brasil, resultando em aproximadamente 1.000 pessoas feridas e 68 mortas.”

Mais informações:

PL 466/2015

Conheça o Centro de Estudos em Ecologia de Estradas da UFLA.

Panmela Oliveira – comunicadora e bolsista Dcom/Fapemig

Urubu Mobile atinge marca de 50 mil downloads no sistema Android

É cada vez maior o número de usuários do Sistema Urubu, maior rede social de conservação da biodiversidade brasileira. Desenvolvido em 2014 pelo Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia em Estradas (CBEE), sediado na Universidade Federal de Lavras (UFLA), o projeto conta com a contribuição de viajantes para informar sobre o atropelamento de animais selvagens pelas estradas de todo o país.

A coleta de dados é feita por meio do aplicativo Urubu Mobile, que acaba de atingir a marca de 50 mil downloads na PlayStore. Outro ponto de destaque do app é a avaliação de satisfação dos usuários, que chega a 4,7 na plataforma, em um máximo de 5.

O diferencial do Sistema Urubu para outros similares existentes no mundo é a validação do material por consultores ad hoc. Todas as fotos enviadas pelos usuários via app são pré-analisadas e submetidas a validadores antes de serem incluídas no banco de dados do CBEE. Essas informações são utilizadas para a proposição de políticas públicas que protejam a biodiversidade e as pessoas.

De acordo com o coordenador do CBEE, professor Alex Bager, o Sistema Urubu baseia-se no conceito de Ciência Cidadã (Citizen Science), onde “qualquer pessoa da comunidade pode contribuir para a preservação da biodiversidade com o registro de animais atropelados em todo o mundo.”  

Para ser um colaborador, basta ter um smartphone com câmera e GPS, se cadastrar no Urubu Web (sistema de gestão de dados) e baixar o aplicativo. O Sistema Urubu conta ainda com um hotsite, onde é possível saber mais sobre a proposta e acompanhar, em tempo real, as estatísticas de atropelamento de animais no Brasil.

Baixe aqui o aplicativo para Android.

Maior ação de conservação da biodiversidade brasileira, Dia Nacional de Urubuzar será em novembro

urubuzar2014-1Anualmente, mais de 475 milhões de animais selvagens são atropelados nas rodovias e ferrovias brasileiras – o que representa a morte de 15 animais por segundo. Esses dados preocupantes são coletados pelo Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE – UFLA), que realiza, no dia 13 de novembro, a segunda edição do Dia Nacional de Urubuzar. Durante o evento, essas e outras informações sobre a grande perda da biodiversidade em função do atropelamento serão repassadas à sociedade. Pessoas capacitadas fornecerão explicações sobre esses temas (e sobre como a população pode colaborar na redução desse impacto) em mais de 200 pontos pelo Brasil.

Na UFLA

No dia 11 de novembro, ocorrerá uma divulgação no Centro de Convivência, durante a manhã e a tarde, voltada para a comunidade acadêmica. Cerca de 80 estudantes, matriculados na disciplina Ecologia, apresentarão dados sobre os impactos de rodovias na biodiversidade.

Em Lavras

No dia 13 de novembro (domingo), o CBEE realizará diversas atividades na Praça Dr. Augusto Silva, no centro de Lavras, pela manhã. As ações, para estimular a redução dos atropelamentos nas rodovias, serão voltadas para crianças, jovens e adultos.

 

Para entender o problema dos atropelamentos e contribuir para a sua redução, o CBEE lançou, em 2014, um aplicativo que se tornou a maior rede de conservação de biodiversidade do Brasil. Qualquer pessoa pode contribuir: basta baixar o app Urubu Mobile, se cadastrar e, a cada vez que encontrar um animal atropelado, tirar uma foto usando o app e enviá-la para o Centro. “As fotos chegam com a coordenada geográfica e são identificadas por especialistas. Então, serão utilizadas para informar os órgãos competentes e as concessionárias de rodovia”, explica o professor Alex Bager, coordenador do CBEE.

Hoje o Sistema Urubu conta com quase 20 mil usuários e 15 mil registros de fauna atropelada em todo o território brasileiro. Além disso, o aplicativo possui versões em inglês e espanhol que já estão disponíveis para utilização em outros países. A obtenção de dados é feita por meio da ciência cidadã (Citizen Science).

Dia Nacional de Urubuzar

Em novembro de 2014 foi realizado um evento nacional, o Dia Nacional de Urubuzar, com o objetivo de atingir o maior número de pessoas da sociedade e informar sobre os efeitos de rodovias e ferrovias na biodiversidade. O Dia Nacional de Urubuzar (DNU) é uma ação descentralizada, na qual qualquer grupo de pessoas pode se engajar. Em 2014 foram envolvidos 122 grupos de diferentes segmentos: universidades, ONGs, zoológicos, associações, concessionárias de rodovias, polícia e outros. Mais de 40 mil pessoas foram sensibilizadas nas ações daquele ano.

Animais atropelados

Do total de atropelamentos, 90% são de animais de pequeno porte como sapos, cobras, ratos e passarinhos (427 milhões); 9% são animais de médio porte como alguns macacos, gaviões, gambás e lebres (43 milhões); e 1% são os animais que mais visualizamos, como os tamanduás, capivaras, lobo-guará, felinos, antas, entre outros (aproximadamente 5 milhões).

 

 

Centro Brasileiro de Ecologia de Estradas lançou hotsite do Sistema Urubu

hotsite-sistema-urubuNessa quarta-feira (17/12), o Centro Brasileiro de Ecologia de Estradas (CBEE) relançou seu portal na Internet. Entre as novidades, está a criação do hotsite do Sistema Urburu, ferramenta criada para reunir, sistematizar e disponibilizar informações sobre a mortalidade de fauna selvagem nas rodovias e ferrovias. A finalidade é auxiliar o governo e as concessionárias na tomada de decisão para redução dos atropelamentos.

Por esse canal é possível que o internauta entenda cada fase do funcionamento do Sistema, saiba como participar da rede e tenha acesso aos dados recebidos pelo CBEE, acompanhando a evolução do trabalho. É também um espaço com informações sobre como baixar o aplicativo, além de permitir a visualização no mapa da distribuição dos atropelamentos no Brasil. Clicando sobre os pontos do mapa, o interessado pode conferir dados como o nome da espécie atropelada naquele local e o nome do autor da notificação.

O hotsite também expõe as formas pelas quais é possível contribuir com o projeto. As colaborações vão desde o registro fotográfico de animais atropelados nas estradas e envio ao CBEE pelo aplicativo Urubu Mobile, até a utilização de embeeds por parceiros em seus sites, que permitem a divulgação de informações geradas pelo Sistema Urubu em tempo real e o compartilhamento na forma de mapas, informações e gráficos. Além disso, especialistas na identificação da fauna podem se cadastrar como validadores do Centro, e apoiadores podem financiar ações e projetos na área.

Confira algumas notícias anteriores sobre o Sistema Urubu:

CBEE lançou oficialmente aplicativo para celular que auxilia na preservação da fauna selvagem brasileira

Programa desenvolvido na UFLA é destaque no Jornal Nacional

“Sistema Urubu” tem espaço físico no Lemaf – veja fotos

 Dia Nacional de Urubuzar levou informação à comunidade e foi destaque na imprensa

Sistema Urubu foi destaque em programação da Band e da Rede Globo na última semana

Imagem do programa Ideias e Invenções.
Imagem do programa Ideias & Invenções.

O Sistema Urubu continua recebendo atenção especial dos veículos de comunicação do país. Nos últimos dias, o trabalho desenvolvido pelo Centro Brasileiro de Ecologia de Estradas (CBEE) foi destaque no programa Ideias & Invenções, veiculado pela Band no dia 17/8, e no noticiário de 15/8 da TV TEM, afiliada da Rede Globo da região de Marília e Bauru (SP).

O CBEE está sediado na Universidade Federal de Lavras (UFLA). No Laboratório de Estudos em Manejo Florestal (Lemaf) foi inaugurado, em maio, o “Espaço Urubu”, local em que o projeto recebe da UFLA colaboração em infraestrutura física e apoio de recursos humanos.

O professor do Departamento de Biologia (DBI) e coordenador do CBEE, Alex Bager, explica no programa da Band que o Sistema Urubu engloba três dimensões: o aplicativo Urubu Mobile, pelo qual o cidadão pode fotografar pelo smartphone um animal que tenha sido atropelado nas estradas brasileiras, enviando a imagem à base de dados do CBEE; o Sistema Urubu Web, pelo qual se faz a gestão das informações recebidas; e o Urubu Map, que permite ao cidadão acessar a informação enviada, após sua validação.

O aplicativo foi lançado em abril de 2014, desde então, a colaboração da população tem sido crescente. “Hoje temos cerca de 1700 pessoas participando desta que estamos considerando a maior rede social de conservação da biodiversidade que o Brasil já teve”, disse o professor Alex, durante a entrevista ao programa Ideias & Invenções. Ele conta também que o Centro já recebeu mais de 500 informações sobre animais atropelados, o que tem permitido o auxílio a concessionárias de rodovias e a órgãos do governo na tomada de decisões relativas aos locais a serem priorizados com medidas que visem minimizar o impacto das rodovias na biodiversidade.

Assista ao vídeo do Programa Ideias & Invenções.

Assista ao vídeo da TV TEM.

Para a realização do download do aplicativo, basta acessar este link.

Programa desenvolvido na UFLA é destaque no Jornal Nacional

jornal-nacional-urubu“Nas rodovias que cortam o Brasil, é muito comum encontrar animais silvestres atropelados. Alguns, de espécies ameaçadas de extinção. Para diminuir esse perigo, tanto para os bichos quanto para as pessoas que usam as estradas, existem pesquisas em andamento”. Essa foi a abertura da notícia divulgada no Jornal Nacional, na sexta-feira (1º de agosto), que destacou o programa desenvolvido pelo Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE), sediado na Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Na reportagem, o professor Alex Bager, do Departamento de Biologia (DBI/UFLA), enfatiza a importância do Programa: “Nós trabalhamos em pequena escala tentando resolver o problema local indicando aonde botar uma medida de mitigação, aonde botar um túnel, aonde botar uma proteção e trabalhamos em macro escala interferindo em políticas públicas. Onde pode aprimorar a implantação de rodovias para reduzir esses impactos tanto pra biodiversidade quanto para o aspecto social e econômico”, diz.

Professor Alex Bager destaca medidas de mitigação para morte de animais em estradas brasileiras
Professor Alex Bager destaca medidas de mitigação para redução de morte de animais em estradas brasileiras

O Jornal Nacional divulgou o Sistema Urubu, destinado ao monitoramento da fauna atropelada no País, sediado no Laboratório de Estudos em Manejo Florestal da Universidade Federal de Lavras (Lemaf/UFLA). O aplicativo para celular “Urubu Móbile”, do Projeto Malha, permite aos usuários de smartphones auxiliar no monitoramento e na preservação da fauna selvagem brasileira. O aplicativo pode ser baixado gratuitamente no Google Play.

O Programa

Segundo estimativas do CBEE, no Brasil são atropelados mais de 400 milhões de animais selvagens por ano, o que representa aproximadamente 15 animais a cada segundo, prejudicando toda a fauna brasileira e podendo levar as espécies à extinção. Isto ocorre à medida que as rodovias invadem os habitats naturais desses animais.

Com o novo aplicativo, os usuários poderão fotografar animais atropelados nas estradas do país e encaminhar o material ao CBEE, para que os especialistas possam identificar a espécie e reunir informações sobre as regiões de maior incidência de atropelamentos e as espécies mais atingidas. Todas as fotos registradas serão vinculadas à posição geográfica em que se encontra o usuário, obtida por meio do GPS.

O Projeto Malha visa reduzir os impactos ambientais causados pelas rodovias e ferrovias relacionados a atropelamento de fauna selvagem, ajudando na estruturação do Banco de Dados Brasileiro de Atropelamento de Fauna Selvagem (BAFS), além de reunir grupos de pesquisa e a comunidade brasileira para identificar as áreas consideradas mais críticas. A partir das informações geradas com o uso do aplicativo, será possível a proposta de soluções para a proteção da fauna, como a instalação de telas, a construção de túneis subterrâneos às estradas ou túneis para a circulação dos automóveis, que deixem área verde livre para o trânsito de animais.

Em breve será lançada uma versão do Urubu Móbile, com maiores funcionalidades, destinada especialmente a pesquisadores, consultores e aqueles que fazem amostragens sistemáticas de monitoramento de fauna atropelada. Outras informações podem ser solicitadas pelo e-mailcbee@dbi.ufla.br.

Para a realização do download, basta acessar o link https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.brainweb.tetra.ufla.urubu.

Assista à reportagem do Jornal Nacional

 

 

 

“Sistema Urubu” tem espaço físico no Lemaf – veja fotos

image001O Sistema Urubu, destinado ao monitoramento da fauna atropelada no país, agora conta com um espaço físico no Laboratório de Estudos em Manejo Florestal da Universidade Federal de Lavras (Lemaf/UFLA). O lançamento do espaço ocorreu nesta segunda-feira (12/5), quando foi realizado também o “Workshop de Planejamento do Sistema Urubu”. O reitor da UFLA, professor José Roberto Soares Scolforo, visitou as instalações.

Com a cessão da infraestrutura física e o apoio de recursos humanos do Lemaf, que atuarão no projeto, a UFLA se junta aos demais parceiros do Sistema Urubu que têm tornado viável a execução de cada fase do processo de levantamento de animais atropelados nas estradas brasileiras. Apoiam o Centro Brasileiro de Ecologia de Estradas (CBEE) na inciativa a Tetra Pak, a Tropical Forest Conservation Act (TFCA/FunBio), a Fundação Grupo Boticário, a Fundação de Apoio à Pesquisa de Minas Gerais (Fapemig), o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

O lançamento oficial do aplicativo para smartphones – que permite ao cidadão registrar fotografias de animais atropelados nas estradas e enviar as imagens para análise de especialistas ligados ao CBEE – foi realizado em 11/4. Desde então, o tema tem ganhado destaque na mídia nacional e internacional. De acordo com o coordenador do projeto, professor Alex Bager, até o momento, o aplicativo já registrou cerca de 1.200 downloads e 800 cadastros. “Vamos trabalhar com afinco para que até dezembro deste ano possamos chegar a 5 mil pessoas envolvidas”, afirma.

Da sala localizada no andar térreo do Lemaf, a equipe envolvida continuará desenvolvendo o sistema, implementando novas funcionalidades para que as fotos enviadas pelos usuários cheguem ao Centro para análise. Também ficarão aumentadas as possibilidades de captação de recursos para o projeto e seu consequente fortalecimento.

De acordo com o professor Scolforo, a soma das competências do Lemaf e do CBEE será benéfica a ambos e ao meio ambiente. “O projeto, a partir de seus resultados, poderá indicar as formas mais adequadas de proteger a fauna selvagem nas diferentes regiões entrecortadas por rodovias; a infraestrutura tecnológica oferecida pelo Lemaf vai ajudar”, diz.

Veja na galeria abaixo algumas fotos feitas no dia 12/5. O espaço do Sistema Urubu ganhou uma imagem de identificação formada por fragmentos de pequenas imagens de animais. Todos eles justapostos compõem a foto de uma rodovia.

 

Ecologia de Estradas: Amda recebeu professor da UFLA para palestra em Belo Horizonte

Crédito: Amda (http://www.amda.org.br/?string=interna-entrevista&cod=39)
Crédito: Amda (http://www.amda.org.br/?string=interna-entrevista&cod=39)

A repercussão do tema “Ecologia de Estradas” continua mobilizando a sociedade depois do lançamento do aplicativo Urubu Mobile, destinado a monitorar a fauna atropelada das estradas brasileiras. Na noite do último dia 29/4, o professor do Departamento de Biologia da Universidade Federal de Lavras (DBI/UFLA) e coordenador do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE), Alex Bager, proferiu palestra a convite da Associação Mineira de Defesa do Ambiente (Amda). O assunto foi tratado no evento denominado “Terça Ambiental”, realizado pela Amda em Belo Horizonte.

Entre as informações expostas na palestra estava a referência ao número de animais atropelados anualmente nas estradas brasileiras – cerca de 450 milhões, a necessidade de formalização de políticas para a proteção dessa fauna, assim como o auxílio da plataforma virtual colaborativa Urubu Mobile, que já registrou aproximadamente mil downloads e 700 cadastros de usuários.

A expectativa do CBEE é de que, com o aplicativo, mobilize entre 15 e 20 mil pessoas para a coleta de dados no prazo de um ano. Publicações nacionais e internacionais têm dado atenção à tecnologia nas últimas semanas. Confira as mais recentes:

El país (Espanha/Edição Brasil)

Revista Globo Rural

Planeta Sustentável (Superinteressante – Editora Abril) 

Território Eldorado (Estadão) 

Revista Terra da Gente (Globo)

Animal Planet (Discovery)

Outras menções ao novo aplicativo:

Revista EcotourPluraleBlog Lobo RepórterBlog EcótonusCatacra LivreCiclo VivoAgrosoft BrasilPortal do Meio Ambiente; diHITT; Blog Calábria, meu futuroLavras 24 horas; Associação Brasileira de Guarda-ParquesUniverso JatobáBlog Ciências DivertidaConsumidor Moderno Consciente; Parque Nacional de Saint-Hilaire/LangeTetra Pak; Kioskea.net; JusBrasil; Rede Bichos; Saneamento Básico – o site.

 

CBEE lançou oficialmente aplicativo para celular que auxilia na preservação da fauna selvagem brasileira

UBUBU
Fonte da imagem: site do CBEE

Os usuários de smartphones já podem baixar no Google Play o aplicativo Urubu Móbile, lançado oficialmente na sexta-feira (11/4) pelo Projeto Malha, do Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE), sediado na Universidade Federal de Lavras (UFLA). Com o recurso, será possível que qualquer cidadão auxilie no monitoramento e na preservação da fauna selvagem brasileira.

Segundo estimativas do CBEE, no Brasil são atropelados mais de 400 milhões de animais selvagens por ano, o que representa aproximadamente 15 animais a cada segundo, prejudicando toda a fauna brasileira e podendo levar as espécies à extinção. Isto ocorre à medida que as rodovias invadem os habitats naturais desses animais.

Com o novo aplicativo, os usuários poderão fotografar animais atropelados nas estradas do país e encaminhar o material ao CBEE, para que os especialistas possam identificar a espécie e reunir informações sobre as regiões de maior incidência de atropelamentos e as espécies mais atingidas. Todas as fotos registradas serão vinculadas à posição geográfica em que se encontra o usuário, obtida por meio do GPS.

O Projeto Malha visa reduzir os impactos ambientais causados pelas rodovias e ferrovias relacionados a atropelamento de fauna selvagem, ajudando na estruturação do Banco de Dados Brasileiro de Atropelamento de Fauna Selvagem (BAFS), além de reunir grupos de pesquisa e a comunidade brasileira para identificar as áreas consideradas mais críticas. A partir das informações geradas com o uso do aplicativo, será possível a proposta de soluções para a proteção da fauna, como a instalação de telas, a construção de túneis subterrâneos às estradas ou túneis para a circulação dos automóveis, que deixem área verde livre para o trânsito de animais.

Em breve será lançada uma versão do Urubu Mobile, com maiores funcionalidades, destinada especialmente a pesquisadores, consultores e aqueles que fazem amostragens sistemáticas de monitoramento de fauna atropelada. Outras informações podem ser solicitadas pelo e-mail cbee@dbi.ufla.br.

Para a realização do download, basta acessar o link https://play.google.com/store/apps/details?id=br.com.brainweb.tetra.ufla.urubu.

O lançamento do aplicativo tem alcançado repercussão em vários países. Veja abaixo algumas notícias.

Estados Unidos:
http://www.gizmag.com/urubu-app-roadkill/31616/
 –

http://www.snapvrs.org/brazilian-ecologists-launch-app-to-reduce-roadkill/

http://technology.topnewstoday.org/technology/article/12465577/

http://regator.com/p/263894417/brazilian_ecologists_launch_app_to_reduce_roadkill/

Itália:

http://www.scoop.it/t/surfing-the-broadband-bit-stream

Rússia:

http://www.popmech.ru/article/15537-prilozhenie-dlya-spaseniya-zhivotnyih/

Tailândia:

http://news.easybranches.com/news/1833125.html

Alemanha:

http://www.einfach-genial.de/showthread.php/54213-Brazilian-ecologists-launch-app-to-reduce-roadkill –

http://brasilienmagazin.net/gesundheit-umwelt/18741/smartphone-app-soll-zahl-ueberfahrener-tiere-reduzieren/

Indonésia:

http://m.bisnis.com/industri/read/20140415/84/219481/tekan-kematian-satwa-ekologis-brasil-kembangkan-aplikasi-urubu

Brasil:

http://www.oeco.org.br/convidados/28213-e-tempo-de-urubuzar

http://www.ihu.unisinos.br/noticias/530038-um-celular-para-salvar-450-milhoes-de-animais

http://simearesportes.blogspot.com.br

Leonardo Assad – Jornalista/Bolsista Ascom.