Arquivo da tag: biotecnologia vegetal

Ex-aluna integrou comitê nos EUA para discutir biossegurança da 1ª planta transgênica com tecnologia RNAi e atividade inseticida

Recentemente, foi aprovada nos Estados Unidos a utilização da primeira planta contendo tecnologia RNA interferência (RNAi) para combate à praga lagarta-da-raiz do milho, Diabrotica v. virgifera – responsável por grandes perdas econômicas. A ex-aluna da UFLA Thais Barros Rodrigues, pós-doutora pela Universidade de Kentucky, foi membro de um conselho científico para o governo norte-americano, com o intuito de analisar e debater os documentos de biossegurança da planta.

Thais participou do Comitê de Assessoria Científica da Federal Insecticide, Fungicide, and Rodenticide Act – FIFRA, realizado em Washington DC no final do ano passado. Nessa reunião, documentos relacionados às análises de risco ao meio ambiente e à saúde humana da planta SmartStax PRO foram revisados, pareceres com recomendações específicas foram aconselhadas pelos membros do comitê e reunidos em um relatório final (também disponível online). Tal assessoria foi solicitada pela Agência de Proteção do Meio Ambiente dos Estados Unidos (EPA, Environment Protection Agency), um dos órgãos do governo americano responsável pela regulamentação de organismos geneticamente modificados naquele país.

Plantas geneticamente modificadas com a tecnologia RNAi já eram utilizadas para combater patógenos bacterianos e virais, além de nematoides. RNAi é um processo que interfere na expressão dos genes nas células, sem alterar seu material genético (DNA). A larva da lagarta-de-raiz, ao se alimentar das raízes da planta geneticamente modificada, incorpora esse RNAi em suas células, levando à inibição do crescimento do animal e, em seguida, sua mortalidade. A tecnologia apresenta como vantagem a atuação específica nos organismos da espécie da larva em questão; não houve indícios, até o momento, de que possa representar riscos ao ecossistema e à saúde humana – daí a sua aprovação.

Thais cursou Ciências Biológicas e fez sua pós-graduação (mestrado e doutorado) em Biotecnologia Vegetal na Universidade Federal de Lavras (UFLA). Atualmente desenvolve projetos relacionados ao uso de RNAi para o controle de diferentes insetos praga. Em seu currículo, destacam-se experiências em biologia molecular, biotecnologia, transformação de plantas, Bacillus thuringiensis, RNA interferência, entomologia, e expressão gênica.