Expediente nos dias dos jogos da Seleção Brasileira de Futebol na Copa do Mundo

A Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (PRGDP) informa o horário de expediente da Universidade Federal de Lavras (UFLA), em caráter excepcional,  nos dias dos jogos da Seleção Brasileira de Futebol, na Copa do Mundo FIFA 2018, de acordo com a portaria nº 174, de 21 de junho de 2018, do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão.

Conforme disposto na referida portaria, ficou estabelecido que:

I – nos dias em que os jogos se realizarem pela manhã, o expediente terá início a partir das 14h00 (horário de Brasília); e

II – nos dias em que os jogos se realizarem à tarde, o expediente se encerrará às 13h00 (horário de Brasília).

Parágrafo único. As horas não trabalhadas, em razão dos jogos da Seleção Brasileira de Futebol, serão objeto de compensação, nos termos do inciso II do art. 44 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, até o dia 31 de outubro de 2018.

Art. 2º Caberá aos dirigentes dos órgãos e entidades, nas respectivas áreas de competência, a integral preservação e funcionamento dos serviços considerados essenciais.

Art. 3º Os órgãos e entidades da Administração Pública Federal direta, autárquica e fundacional permanecerão em funcionamento nos horários de realização dos jogos da Seleção Brasileira de Futebol na Copa do Mundo FIFA 2018, a fim de possibilitar aos agentes públicos a realização de suas atividades.

Orientações com relação à graduação:

InovaCafé comemora quatro anos com projetos consolidados e novidades na área de inovação e empreendedorismo

Logomarca e slogan representam o conceito do novo espaço

Em 27 de junho de 2014, a Agência de Inovação do Café (InovaCafé) da Universidade Federal de Lavras (UFLA) dava seus primeiros passos, com a proposta de desenvolver estudos, pesquisas e inovações voltadas ao empreendedorismo no setor agroindustrial do café. Quatro anos depois, a agência contabiliza diversas iniciativas de sucesso, entre as quais está a consolidação da Cafeteria Escola CafEsal, localizada no Centro de Convivência da Universidade.

E os motivos para comemorar vão mais além. Em breve, a InovaCafé abrirá as portas para um novo projeto: o InovaHub, espaço colaborativo e de conexão para o desenvolvimento de startups – empresas que estão no início de suas atividades e que buscam colocar em prática um modelo de negócio inovador e baseado em tecnologia.  

No local – onde se situa o Centro de Inteligência em Mercados (CIM), que está em fase de readequação – empreendedores, curiosos, estudantes, pesquisadores, empresários, investidores e startups de diferentes cidades e instituições, em diferentes níveis de desenvolvimento, terão um ambiente fértil em aprendizado, além de conexões e mentorias para construir uma trajetória de crescimento e sucesso. “A iniciativa será a junção entre comunidade acadêmica, mercado, empresas e esferas governamentais, apoiando o surgimento de novos negócios que contribuirão, efetivamente, para o desenvolvimento tecnológico, social e econômico de Lavras e região”, acredita o diretor da InovaCafé, Luiz Gonzaga de Castro Junior.   

Segundo Gonzaga, a proposta é gerar, também, uma crescente demanda para a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (Inbatec/UFLA), para as futuras aceleradoras instaladas em Lavras e para o Parque Tecnológico de Lavras (Lavrastec). Dentre os objetivos do InovaHub está, ainda, a promoção do desenvolvimento do Vale dos Ipês, denominação dada ao ecossistema de empreendedorismo, inovação e startups de Lavras, tornando-o um dos maiores produtores de tecnologias para o agronegócio do país.  

Para isso, o InovaHub pretende criar condições que permitam a constante sensibilização e a educação empreendedora. “Atuaremos nas etapas de sensibilização, educação, ideação, prospecção, pré-aceleração, aceleração, além de darmos apoio ao processo de transferência de tecnologia já iniciado pelo Núcleo de Inovação Tecnológica (Ninctec) da Pró-Reitoria de Pesquisa (PRP/UFLA)”, esclareceu Castro Júnior. “Assim, permitiremos que os participantes avancem em sua trajetória empresarial e estejam preparados para migrar para outros espaços e estágios, quando consolidarão, de fato, suas ideias de inovação”, completou.  

Lemonade Ultra

Para dar início ao processo, o InovaHub sediará, de 9 de julho a 17 de setembro, o Lemonade, um dos maiores programas de pré-aceleração de startups do mundo, em sua 11ª edição. A proposta é transformar pessoas e grupos com ideias inovadoras em empreendedores e negócios de alto impacto (startups), contribuindo para a transformação da sociedade.

Os interessados, que deverão montar equipes de duas a cinco pessoas, podem realizar suas inscrições até o dia 1/7 no endereço eletrônico: programalemonade.com/lemonadeultra. “Trazer o Lemonade para a nossa cidade e, mais ainda, para nosso espaço, é motivo de muita honra e alegria. A metodologia aplicada certamente agregará para a concretização da proposta do InovaHub, que é de contribuir, verdadeiramente, com as vocações empreendedoras”, disse o diretor da InovaCafé.  

Cafeteria CafEsal

No aniversário da InovaCafé, é preciso destacar, também, uma das iniciativas mais bem sucedidas de sua trajetória: a Cafeteria Escola CafEsal. Mais que um local de comercialização de cafés, ela atua como um laboratório de ensino e pesquisas, desde a produção até o consumo. Pelo espaço passam, semanalmente, centenas de pessoas (entre alunos, professores, servidores e visitantes) em busca do café CafEsal, cultivado nas lavouras da UFLA, das sugestões de bebidas à base de café criadas pela barista da casa e do ambiente charmoso e acolhedor.  

Além disso, o local tem o propósito de favorecer o desenvolvimento de inovações relacionadas ao setor agroindustrial do café, sustentando-se no tripé produção, indústria e cafeteria. “Procuramos oferecer um pacote que envolve pesquisa, extensão, treinamentos, vivências e gestão, permitindo que tanto o público interno quanto o externo adquiram conhecimento e consciência sobre o universo do café”, ressaltou Luiz Gonzaga de Castro Júnior.

Vale lembrar que todo o time de colaboradores locais é formado por aprendizes, em sua maioria estudantes da UFLA de diferentes graus acadêmicos, que se dividem entre viventes, bolsistas de pesquisa e extensão e estagiários, ampliando sua proposta educativa.

Atualmente, a gestão CafEsal está em fase de implantação de planejamento estratégico, o qual prevê otimização dos processos, incremento dos produtos ofertados e preparação para a realização de um grande evento no segundo semestre de 2019.  

Semana Cultural CafEsal

Na última semana, ocorreu a Primeira Semana Cultural CafEsal, com exposição de pinturas feitas com café e releitura de pintores importantes como Cândido Portinari. As artes foram elaboradas pelos estudantes Pedro Nascimento e Isis Helena, ambos colaboradores da cafeteria. 

A CafEsal também contou com uma mostra de poesias de diversos autores conhecidos, além das poesias de autoria dos estudantes Vinícius Souza e Letícia Luz, também colaboradores da cafeteria

Ascom InovaCafé

Projeto da UFLA recebe crianças da comunidade para uma tarde brincante

No último sábado (23/6), a Universidade Federal de Lavras (UFLA), por meio do Grupo de Pesquisa sobre Formação docente e Práticas Pedagógicas (Forpedi), do Departamento de Educação (DED/UFLA), promoveu uma tarde brincante à comunidade. Trata-se de uma iniciativa do Projeto de Pesquisa e Extensão: Oficina do Brincar: formação docente comprometida com os brincares.

A ação contou com a participação de cerca de 200 pessoas, entre estudantes e professores, pesquisadores do Forpedi e do curso de Pedagogia da UFLA, na organização e proposição de brincadeiras; e com a presença da comunidade externa: crianças e familiares. A atividade teve o apoio das escolas da comunidade lavrense: Núcleo de Educação Infantil da UFLA (Nedi); Jardim Colibri e Instituto Presbiteriano Gammon.

As ações brincantes ocorreram em frente ao DED, que ganhou pinturas de brincadeiras tradicionais como Amarelinha, Bets, Jogo da velha na rua, transformando-se num convidativo espaço para brincar.

De acordo com a coordenadora da ação, professora Francine de Paulo Martins Lima (DED/UFLA), a ação revela uma preocupação com uma formação docente comprometida com a criança e seu pleno desenvolvimento: “Ações como essa permitem aos futuros professores, estudantes do curso de Pedagogia, a aproximação e o contato com a criança e com a comunidade, prevalecendo a ideia de uma necessária formação científica, mas essencialmente humana, requerida à formação docente”.

A coordenação do evento avalia que os resultados foram os mais positivos; “Adentramos pais, mães, professores, alunos/futuros professores e comunidade ao reino das crianças! Deixamos prevalecer o tempo humano, dos sorrisos, da partilha, da alegria do brincar. Resultado: brincantes surgiram de todas as partes sem se preocuparem com o tempo e com idade que comumente nos distanciam”.

Confira mais imagens do evento no link: https://www.facebook.com/pg/forpedi2017/photos/?tab=album&album_id=234989330430078

Projeto de pesquisa contribui para promoção da saúde e prática pedagógica na educação infantil de Lavras

Troca de experiência e de conhecimento a favor da “Promoção da Saúde e da Prática Pedagógica na Educação Infantil”. Esse é o título de um projeto de pesquisa desenvolvido pelo Departamento de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Lavras (DSA/UFLA), em parceria com a Diretoria de Avaliação e Desenvolvimento do Ensino (Dade), Diretoria de Educação a Distância (Dired) e a Prefeitura de Lavras, por meio das secretarias de Educação e Saúde.

Como parte do projeto, profissionais de escolas públicas municipais de Lavras participam de curso semipresencial que trata justamente da saúde e desenvolvimento de crianças. No último sábado (23) foram aplicados dois módulos do curso:“Educação alimentar e nutricional no contexto pré-escola” e “Desenvolvimento infantil”.O encontro reuniu 134 educadores, cantineiras, auxiliares de serviços gerais e outros profissionais, dos quinze Centros Municipais de Educação Infantil (Cemeis). As palestras ocorreram no anfiteatro do Departamento de Biologia (DBI), no câmpus da UFLA. O pró-reitor de Extensão e Cultura da UFLA, professor João José Granate de Sá e Melo Marques, acompanhou o início das atividades.

De acordo com a coordenadora geral do projeto e do curso, professora Miriam Monteiro de Castro Graciano (DSA/UFLA), a proposta principal é apresentar para profissionais que trabalham com educação infantil uma alimentação saudável e nutritiva e técnicas que contribuam para uma análise do desenvolvimento mais eficaz das crianças atendidas, com idade de 6 meses a 3 anos e 11 meses. “A ideia do projeto partiu de um trabalho de iniciação científica realizado em 2006. Foi feita uma pesquisa nessa área, pela qual realizamos, com estudantes de medicina, um levantamento (inquérito) do desenvolvimento de crianças de creches municipais. Já a proposta atual é testar a eficácia de ações educativas junto aos profissionais que atuam na educação infantil, avaliando o crescimento e o desenvolvimento de cada uma, conforme a faixa etária”, diz a coordenadora. O resultado das ações será inserido em uma forma comparativa. Será verificado se houve alguma mudança após as intervenções, por meio de exames médicos posteriores e avaliação da conduta alimentar e do perfil antropométrico e bioquímico das crianças.  A previsão é de que as atividades da pesquisa sejam encerradas em outubro deste ano. 

As palestras do primeiro módulo foram ministradas pelo aluno de mestrado em saúde da UFLA Luiz Felipe de Paiva Lourenço. Já o segundo módulo foi apresentado pela professora Miriam Monteiro. Para trabalhar as temáticas, os participantes foram divididos em grupos de estudo que vão avaliar como está a orientação nutricional e aspectos de desenvolvimento.

Após as palestras, os participantes tiveram 24 horas para planejar, a distância, atividades que estimulem cada faixa etária. Para a educadora Michele Aparecida Pimenta, o curso é muito interessante e importante para quem trabalha na educação infantil, principalmente a prática alimentar. “Nós sabemos que muitos alimentos contêm alto teor de gordura; e entender como inserir uma alimentação correta para que haja um desenvolvimento saudável é fundamental. Esse trabalho de boas práticas deve acontecer em conjunto com certeza”, enfatiza Michele. Erica Matias, também participante do curso, concorda que é preciso repensar a nutrição infantil, principalmente no ambiente escolar. “Até o carinho das cantineiras no preparo do alimento pode fazer a diferença. Esse hábito de comer bem, a criança acaba levando para a família. Até nós aprendemos a nos alimentar melhor”.O curso é dividido em 4 módulos. Os outros dois: “Saúde na Escola” e “Pedagogia de projetos e o desenvolvimento infantil” ocorrerão  em agosto 2018.

Texto: Lisa Fávaro – Jornalista, bolsista DCOM/UFLA.

Curso de licenciatura em Educação Física comemora uma década de trajetória

Na comemoração de dez anos do curso de licenciatura do Departamento de Educação Física (DEF) da Universidade Federal de Lavras (UFLA), professores e especialistas de renome na área recordaram a história do curso e a importância da formação de professores em Educação Física durante o primeiro Seminário Integrador, um decênio de trajetórias (in)formativas. Com a participação de 120 estudantes, o evento aconteceu de 25 a 26 de junho.

Na ocasião, uma galeria de imagem dos gestores do Departamento foi inaugurada, um livro sobre as memórias do Departamento foi lançado e os participantes também conferiram mostra de cinema. 

Na abertura do encontro, o professor Bruno da Silva (DEF/UFLA)  ressaltou que o seminário conectou o passado e o presente do Departamento. “O evento é um esforço do Departamento na construção de diálogos embasados nas diferenças em prol das finalidades do curso”, disse.

O chefe do DEF/UFLA, professor Luiz Henrique Rezende Maciel, na ocasião representando a Pró-Reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários, relembrou que o Departamento de Educação Física lidera o número de projetos de extensão dentro da universidade. “Atendemos, pelo menos, duas mil pessoas da comunidade, o que demonstra o impacto da Educação Física na Instituição. Registrar o primeiro decênio é importante à medida que define como chegamos até aqui”, apontou.

O professor Kleber Tüxen Carneiro (DEF/UFLA) destacou a importância da trajetória do Departamento. “Para sabermos onde queremos ir, temos que saber de onde viemos”, ressaltou.  Durante a apresentação, um dos principais especialistas brasileiros em Pedagogia do Esporte, o professor da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp)  Alcides José Scaglia, elogiou os cursos de Educação da Física da UFLA. “A Universidade é uma das poucas instituições de ensino superior do País em que o Departamento de Educação Física se compromete com a aproximação entre licenciatura e bacharelado na área”. 

Pedagogia

O evento também contou com a Conferência sobre a trajetória dos 25 anos da Pedagogia do Jogo e seu imbricamento com a Pedagogia do Esporte, ministrada pelo professor Alcides José Scaglia, da Unicamp.  Na apresentação, o especialista explicou o ensino do futebol  a partir do processo  de ensino, vivência, aprendizagem e treinamento do esporte.  “É importante compreendermos  metodologia do esporte. Já tivemos um período, na década de 80, em que o esporte era massacrado como prática da Educação Física, ao adotarem no passado o esporte por uma perspectiva de alienação.  É necessário discutir a prática de ensino do esporte e falar sobre competição. O treinador esportivo é um professor, logo sua formação é equivalente”, afirmou. 

Alcides reforçou  a importância da pedagogia do futebol de rua na formação dos jogadores. “A criança precisa ter liberdade de brincar com a bola, de se expressar sem compromisso, para depois aprender a técnica”, defendeu.  O professor da Unicamp ainda alegou que a universidade deve se aproximar da comunidade. “As instituições de ensino superior devem romper os muros entre o conhecimentos empírico do científico e ajudar a transformar o mercado. Quando aplicamos a pedagogia do jogo com ênfase no futebol, a academia demonstra que é possível formar professores e métodos qualificados aptos a ganhar jogos em campo”, justificou. 

Livro

Na última terça-feira (26/6), o Seminário ainda contou com o lançamento do livro: Por entre histórias e memórias: percursos e percalços do curso de licenciatura em Educação física da UFLA, dos autores Bruno Adriano Rodrigues da Silva e Kleber Tuxen Carneiro, ambos professores do DEF. 

O professor Kleber fez um agradecimento especial a todos os colaboradores que compartilharam as  memórias do Departamento.  Na ocasião, o professor Bruno comentou que as razões que levaram à publicação do livro foram: a comemoração do decênio do curso, a preservação da memória institucional, o compromisso com a compreensão da formação docente em Educação Física e o desenvolvimento de pesquisas históricas da Instituição.

O evento contou com a participação da vice-reitora, professora Édila Vilela de Resende Von Pinho; do diretor da Editora UFLA, Marco Aurélio Carneiro; do chefe do DEF,  professor Luiz Henrique Rezende Maciel. 

Pollyanna Dias, jornalista- bolsista Dcom/Fapemig  

Ana Carolina Rocha, estagiária Dcom/UFLA

Curso de Pedagogia realiza projeto sobre diversidade dos biomas brasileiros

O curso de Pedagogia da Universidade Federal de Lavras (UFLA) realiza a 4° edição do Projeto Multiplicidades Culturais dos Biomas Brasileiros na próxima terça-feira (3/7). O evento acontece no Departamento de Educação (DED).

O Projeto, coordenado pela professora Elaine das Graças Frade, compõe os trabalhos da disciplina de Metodologia do Ensino de História e Geografia. Nesta edição, os biomas brasileiros são a temática abordada e os estudantes optaram por realizar uma feira cultural.

Após desenvolver pesquisas e estudos, cada equipe organizou um estande com informações relacionadas a aspectos culturais, socioeconômicos, climáticos, populacionais, socioambientais e religiosos.  A cultura foi retratada por meio da culinária.  Cada grupo de estudantes preparou um prato típico presente na região de um bioma brasileiro. Quem  participar  do Projeto poderá degustar as iguarias. 

Ana Carolina Rocha, estagiária Dcom/UFLA

Esquenta Ciufla começa no dia 5/7

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) realiza o Esquenta Ciufla 2018 nos dias  5 e 9 de julho e  28 de agosto.  As inscrições estão sendo feitas pelo site do Sistema Integrado de Gestão (SIG). O evento é uma preparação para o Congresso de Iniciação Científica (Ciufla), realizado anualmente na universidade, com o objetivo de divulgar os resultados das pesquisas desenvolvidas pelos alunos de graduação da instituição.

No primeiro dia desta edição (5/7), o evento apresentará a oficina de redação de resumos, ministrada pela professora Helena Maria Ferreira,   às 17h45, no Salão de Convenções. 

Já no dia 9/7, a programação contará com oficina de redação científica com o professor Luciano José Pereira, às 18h, no anfiteatro Magno Patto Ramalho – Departamento de Biologia (DBI).

E, no dia 28/8 haverá a oficina de Elaboração de Pitch,  com a jornalista da Diretoria de Comunicação (Decom/UFLA), Samara Avelar,  às 18h, no anfiteatro do Departamento de Ciências Humanas (DCH).

Ana Carolina Rocha, estagiária Dcom/UFLA

 

Minuto da Saúde: confira como foi o mutirão de doação de sangue

Na última quinta-feira (21/6), o projeto Minuto da Saúde realizou um mutirão para doação de sangue no posto de coleta do Hemominas de Lavras. A Universidade Federal de Lavras (UFLA) disponibilizou um ônibus para levar estudantes ao local. Alguns já são doadores regulares, outros tiveram a oportunidade de doar pela primeira vez.

Confira como foi o esse ato solidário e saiba mais sobre a importância desse gesto tão nobre:

Alberto Moura, estagiário DCOM/UFLA

Pesquisadora da UFLA realiza avaliação genética de três raças de touros

Saber qual animal apresenta melhor adaptação ao clima brasileiro, é um dos fatores avaliados por uma pesquisa realizada pelo Departamento de Zootecnia (DZO/UFLA), em um projeto de extensão que teve início em 2012. O Grupo de Melhoramento Animal e Biotecnologia (Gmab), em parceria com a Casa Branca Agropastoril Ltda., realiza avaliação genética de touros de três raças: Angus, Simental e Brahman.

Desde o início dos trabalhos, os dados são coletados na fazenda Santa Ester, em Silvianópolis, Minas Gerais. Cerca de 600 animais foram analisados quanto a quatro grupos de características, sendo elas: desempenho, morfologia, carcaça e adaptabilidade. O objetivo da pesquisa é identificar quais genes são responsáveis pelas características de interesse. A coordenadora do Gmab, a pesquisadora Sarah Laguna Conceição Meirelles, explica que para realizar as provas de desempenho – um teste individual para identificar os animais geneticamente superiores – os touros são colocados dentro de um mesmo sistema de semiconfinamento durante cerca de 112 dias. Nesse período, os animais ficam no mesmo tipo de instalação, com alimentação e manejo iguais. “O desempenho de um animal é derivado da somatória de fatores genéticos, como a qualidade genética e de fatores ambientais; por isso, nessas provas nós retiramos o fator ambiental. Assim, o animal que tem ao final da prova o melhor desempenho para certas características é melhor geneticamente em relação a essas características. ”

Nas raças Angus e Simental, que são bovinos de origem europeia, o primeiro atributo avaliado pela equipe do Gmab é a adaptabilidade: para isso, são medidas a frequência respiratória, a temperatura do pelame, a temperatura retal e comprimento dos pelos. “Um animal que é mais adaptável ao nosso clima, consequentemente vai ter um melhor desempenho nessas provas, comparado a algum outro,” comenta o estudante de graduação Tiago Felipe Silva. No desempenho, as três raças: Angus, Simental e Brahman são observadas quanto ao ganho de peso diário e o peso final padronizado, considerando que todas as pesagens são efetuadas após jejum completo de, no mínimo, de 12 horas.

Na parte de morfologia, profissionais devidamente treinados julgam os aprumos, a musculosidade, a reprodução e o equilíbrio através de escores visuais. Já em relação à qualidade de carcaça, as características: área de olho de lombo, espessura de gordura subcutânea, espessura de gordura na picanha e porcentagem de gordura intramuscular são avaliadas somente no final da prova, através de uma ultrassonografia feita por um técnico credenciado na Associação de Técnicos de Ultrassom do Brasil (Atubra). Ao final das avaliações, cada animal recebe um índice e aquele com o maior é superior geneticamente.

Com os dados obtidos, é possível desenvolver diversas pesquisas de graduação e pós-graduação. Além disso, os estudantes ganham experiência ao fazer essas avaliações genéticas, tendo um contato maior com os produtores e funcionários de uma grande empresa. Já a fazenda ganha uma avaliação de sua genética, com um grande número de características, agregando valor de mercado aos seus animais avaliados.

 

Para este ano, dando continuidade do projeto, a expectativa, de acordo com a pesquisadora da UFLA, é conseguir identificar e mensurar o consumo individual de cada animal para fazer estudos sobre a eficiência alimentar através de cochos eletrônicos. “O bovino de corte mais eficiente é aquele que irá ingerir menos quantidade de alimento e transformar isso em mais carne e é isso que pretendemos avaliar agora”, diz a professora Sarah. A busca por genes relacionados com as características avaliadas nas provas de desempenho também terá início em 2018. Alunos de pós-graduação sob orientação da docente iniciarão pesquisas de associação genômica ampla (GWAS), podendo, assim, identificar regiões do genoma ou genes que influenciam mais essas características. Após essa identificação, será possível estudar as vias metabólicas desses genes para entender melhor como os animais, por exemplo, se adaptam mais ao nosso clima.

A pesquisadora acredita que, num futuro próximo, talvez seja possível selecionar reprodutores baseando-se na composição dos genes dos animais, e não somente por meio de fenótipos de frequência respiratória e outros avaliados nas provas, aumentando acurácia de predição do valor genético desses animais.

 

Reportagem e imagens:  Karina Mascarenhas, jornalista – bolsista Fapemig/Dcom
Edição do vídeo:  Mayara Toyama, bolsista Fapemig/Dcom

Universidade Federal de Lavras