Todos os posts de Mateus Lima

PAS 2018: UFLA divulgou editais, confira prazos, datas e conteúdos programáticos

Em 2018, as provas referentes à 1ª e 2ª etapas do Processo de Avaliação Seriada da UFLA (PAS) serão aplicadas nos dias 24 e 25 de novembro, com inscrições abertas, para as três etapas, de 6 de julho a 16 de agosto. Essas e outras informações já estão disponíveis nos respectivos editais, divulgados pela Diretoria de Processos Seletivos da UFLA (Dips). Os editais individuais para cada etapa, os conteúdos programáticos (incluindo  as obras literárias) e outros dados sobre esse processo estão disponibilizados no site www.ufla.br/pas.

Inscrições

O prazo de inscrições irá das 9h de 6 de julho até as 18h de 16 de agosto. A inscrição deverá ser feita no site do PAS – candidatos que prestarão a 2ª ou 3ª etapa devem estar atentos à renovação de inscrição, para continuarem a participar do processo seletivo. Há uma taxa de inscrição de R$115,00 para a primeira e segunda etapa; e de R$60,00 para a terceira etapa. Para efetuar a inscrição, é imprescindível que o candidato esteja inscrito no Cadastro de Pessoa Física (CPF).

Possuir documento de identidade também é necessário para a inscrição. Serão aceitas: carteiras expedidas por Secretarias Estaduais de Segurança Pública, Forças Armadas, Polícias Militares, Polícias Civis, Corpo de Bombeiros Militares; carteiras expedidas por Ordens ou Conselhos criados por Lei Federal, desde que contenham fotografia e o número da identidade que lhes deu origem; Carteira Nacional de Habilitação (com fotografia, na forma da Lei nº 9.503/1997); Carteira de Trabalho; ou Passaporte (dentro do prazo de validade). Não serão aceitos documentos de outras pessoas.

Isenção da taxa de inscrição

De 25 de junho a 5 de julho (até as 23h59), ocorrerá o prazo para requerer isenção da taxa de inscrição. Terão direito a esse benefício somente os candidatos que comprovarem cumulativamente: possuir renda familiar per capita igual ou inferior a um salário mínimo e meio; e estar cursando ou ter cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou como bolsista integral em escola da rede privada, ter.

Para solicitar, o candidato deverá acessar a área de inscrições da sua etapa, na opção “Solicitação de Isenção da Taxa de Inscrição”, onde deverá se inscrever, seguindo os procedimentos descritos no respectivo edital. O resultado do pedido de isenção será divulgado a partir do dia 8 de agosto no site do PAS.

Provas

As provas da 1ª e 2ª etapas serão realizadas nos dias 24 e 25 de novembro de 2018, em Lavras, Alfenas, região metropolitana de Belo Horizonte, Divinópolis, Itajubá, Juiz de Fora, Pouso Alegre, Varginha e Uberlândia. A escolha da cidade deve ser feita durante a inscrição, pelo candidato. O endereço completo do local de provas será indicado no Comprovante de Inscrição, disponibilizado em www.ufla.br/pas a partir de 14/11.

Os candidatos que se inscreverem na terceira fase do PAS devem fornecer o seu número de inscrição no Enem 2018. Isso porque a terceira etapa é correspondente ao Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O candidato da terceira etapa, além de renovar sua inscrição nessa última fase, precisa estar inscrito no Enem.

A pontuação geral do candidato no PAS é obtida pelo somatório das três etapas, com os seguintes pesos: 25% para a primeira; 35% para a segunda; e 40% para a terceira.

Renovação da inscrição

O candidato do PAS deve renovar sua inscrição em cada uma das etapas, durante o período de inscrição. A não renovação acarretará a sua automática exclusão do grupo no qual estiver inscrito.

Ao se inscrever para a primeira etapa do PAS, o candidato deverá estar matriculado ou já ter concluído, no mínimo, a 1ª série do Ensino Médio cuja modalidade de ensino seja regular (de três anos), ou a 2ª série do Ensino Médio cuja modalidade de ensino seja de quatro anos. Durante a inscrição, o candidato que estiver cursando o Ensino Médio cadastrará a escola na qual estiver matriculado, fornecendo seus dados no requerimento de inscrição.

Vagas reservadas

Em cumprimento à Lei nº 12.711/2012 (alterada pela Lei nº 13.409/2016), a UFLA reservará 50% do total das vagas ofertadas para o PAS Terceira Etapa (GRUPO XVIII / Triênio 2017-2019), por curso, para os candidatos que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas. A distribuição das vagas reservadas será feita em 8 grupos, descritos no edital da 3ª etapa. Todas as informações sobre cotas estão disponíveis no site do PAS.

Sobre o PAS

O PAS é um processo aplicado em três etapas consecutivas, sendo cada uma delas realizada ao final de cada ano do Ensino Médio. As provas das duas primeiras etapas são de múltipla escolha e redação; na primeira, é cobrado o programa da 1ª série do Ensino Médio, e na segunda, são cobrados os programas da 1ª e 2ª séries do Ensino Médio. Na terceira etapa do processo será considerada a nota do Enem.

Os candidatos que já realizaram as duas primeiras etapas deverão fazer a inscrição para a terceira, como previsto no Edital. Nessa fase, o candidato fará a opção pelo curso no qual pretende ingressar.

A UFLA destina 40% das vagas dos cursos de graduação presenciais, ofertadas no primeiro período letivo de cada ano, aos candidatos do PAS.

Editais e programas das matérias

Mais informações

 

Inscrições abertas para Mudança Interna, Transferência Externa e Novo Título

De 27 de abril a 15 de maio (até as 23h59), permanece aberto o prazo de inscrições para os processos seletivos de mudança interna, transferência externa e obtenção de novo título, para os cursos de graduação presenciais da Universidade, para o período letivo 2018/2.

São ofertadas 430 vagas, distribuídas entre as três formas de ingresso previstas no documento. Metade das vagas é destinada para Mudança Interna de Curso; 35% para Transferência Externa de Curso; e 15% para Obtenção de Novo Título. É assegurada pelo menos uma vaga para a forma de ingresso Mudança Interna de Curso, em cada um dos cursos ofertados no edital.

Para concorrer às vagas, em qualquer uma das três modalidades, é necessário ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em uma das edições compreendidas entre 2013 e 2017. A classificação dos candidatos será baseada nas notas obtidas no Enem, obedecidos os pesos das áreas, deliberados pelos colegiados de cursos.

Inscrições

Para a mudança interna, as inscrições devem ser feitas pelo Sistema Integrado de Gestão – Sig (disponível em www.sig.ufla.br), com acesso feito pelo log-in institucional e senha. Não há custo de inscrição.

Os candidatos à transferência externa ou obtenção de novo título deverão se inscrever no site da Dips (www.dips.ufla.br) e nesses casos há uma taxa de R$ 65,00 (sessenta e cinco reais).

Resultados

O resultado preliminar será publicado a partir de 11 de junho de 2018, no SIG (mudança interna) e no site da Dips. Já a publicação do resultado final será a partir de 29 de junho, nos mesmos sites. É de responsabilidade do candidato se inteirar sobre o resultado.

Os pré-requisitos para cada modalidade, assim como as demais informações a respeito do processo, podem ser acessados no edital.

Acesse aqui o edital dos processos seletivos de mudança interna, transferência externa e novo título (2018/2).

 

Em disciplina Computação Gráfica, estudantes desenvolveram dispositivo holográfico 3D – confira vídeo

A disciplina Computação Gráfica, ministrada para o curso de Ciência da Computação, tende a ser voltada à criação de aplicativos (software) para a área. Mas, durante o segundo período de 2017, o professor Bruno de Oliveira Schneider resolveu inovar, incumbindo os estudantes a criarem também um dispositivo físico (hardware). Por isso, a turma desenvolveu, em grupos, um dispositivo holográfico. Ficou combinado que o grupo que desenvolvesse aquele considerado melhor teria seu dispositivo apresentado para a comunidade.

Os alunos do grupo escolhido construíram um protótipo com um monitor de 23 polegadas e um “mini computador” Raspberry Pi. Ele exibe imagens aparentemente no interior de uma pirâmide de vidro acoplada a ele onde se forma uma imagem 3D que pode ser vista de qualquer ponto.

A construção de algo concreto, com visibilidade de diferentes pontos de vista, foi o desafio proposto na disciplina, de acordo com o professor Bruno.  “Já é uma técnica utilizada em shows e exposições, mostrando-se muito útil para a publicidade”, lembra o docente.

Durante o período, os estudantes desenvolveram conhecimentos sobre programação de síntese de imagens, a fim de externalizar o que poderia ser visto em 2D na tela do computador.

“A computação gráfica é uma área ainda pouco explorada no Brasil, e tivemos a oportunidade de obter uma introdução nesta área, a partir da disciplina”, festeja a estudante Stella Azevedo Marques. Além dela, participaram do grupo os estudantes Álisson Vilaça Silva e Fernando Caio Silva Amaral.

 

 Núcleo de Divulgação Científica

 

NucLi está com inscrições abertas para cursos presenciais de Português (para estrangeiros) e Espanhol

O Núcleo de Línguas da UFLA (NucLi IsF/ DRI) anuncia a abertura de inscrições para dois cursos, sendo um de Português voltado aos estudantes estrangeiros da Universidade e um de Espanhol Iniciante. O início de ambos está previsto para o dia 4 de junho.

Os cursos são destinados para discentes, docentes e técnicos administrativos da UFLA e as inscrições podem ser feitas do dia 25 de abril até o dia 4 de maio, às 12h, pelo site do Programa Idioma sem Fronteiras (http://isfaluno.mec.gov.br).

O curso de Português (PLE/PLA) “Aspectos da Cultura Brasileira” tem carga horária intensiva. As aulas serão ministradas pela professora Débora Racy, no Pavilhão 6 – sala 10, aos estudantes estrangeiros.

Já para os cursos de Espanhol Iniciante A1 e A2, serão oferecidas três turmas, de 32 horas cada. A professora Irma Alejandra Soto Werschitz ministrará as aulas, em locais a ser definidos. As turmas são:

  1. Competências Interculturais em Contexto Acadêmico de Língua Espanhola – terças e quintas das 7h às 9h.
  2. Bem-vindo ao Espanhol: Língua Internacional – terças e quintas das 11h50 às 13h50.
  3. Espanhol para Acolhimento – segundas e quartas das 16h50 às 18h50.

Mais informações podem ser obtidas presencialmente na Coordenação do NucLi, localizada no Pavilhão 6 – sala 10, das 8h às 12h e das 14h às 18h, de segunda a quinta, e sexta-feira das 8h às 12h e das 13h às 17h  ou pelo telefone (35) 3829-3127 e pelo e-mail: nucli@dri.ufla.br.

 

Profissionalização da Administração Pública é tema de Ciclo de Debates de Políticas Públicas, que começa dia 25

A 8ª edição do projeto Ciclo de Debates de Políticas Públicas (CDPP), que ocorre de 25 a 27 de abril, na UFLA, debaterá soluções para a maior profissionalização da Administração Pública brasileira. O evento oferecerá três dias de debates, a partir das 19h, no anfiteatro do Departamento de Biologia (DBI) da UFLA. As inscrições podem ser feitas pelo SIG e o evento é aberto a toda a comunidade de Lavras e região.

O projeto de extensão é promovido por estudantes de Administração Pública da UFLA, sob orientação do professor Gustavo Costa Souza, do Departamento de Administração e Economia (DAE). Seu objetivo é refletir sobre temas primordiais para o funcionamento do Estado e para sua relação com a sociedade, política e economia.

Programação

O primeiro dia traz o tema “Mercado de Trabalho: desafios e oportunidades para egressos da Administração Pública”, e contará com a participação de quatro egressos do curso: a doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Administração, Denise Hipólito; Luis Paulo Guimarães, atual vereador de Curvelo; Plínio dos Santos, chefe de Gabinete e secretário de Planejamento do município de Ijaci; e Rodrigo Cobra, membro da Renova Brasil.

No dia 26, a discussão será em torno da “Autonomia do Campo de Públicas enquanto área de formação profissional” e contará com a presença do diretor da Associação Nacional de Ensino e Pesquisa do Campo de Públicas (ANEPCP), professor Edgilson Tavares.

No último dia, o professor Paulo Januzzi, ex-secretário de Avaliação e Gestão da Informação do Ministério do Desenvolvimento Social, ministrará uma aula magna sobre indicadores de avaliação de Políticas Públicas.

Serviço – 8º Ciclo de Debates de Políticas Públicas

  • Data: 25 a 27/4/2018
  • Local: Anfiteatro Magno Antonio Patto Ramalho (“Ramalhão”) / Departamento de Biologia da UFLA
  • Horário: 19h
  • Inscrições: pelo SIG; evento gratuito e aberto à comunidade.

 

UFLA abre processo seletivo (2018/2) para programas de pós-graduação Stricto Sensu

Estão abertas as inscrições para o processo seletivo 2018/2 para os programas de Pós-Graduação Stricto Sensu da Universidade Federal de Lavras (UFLA). No total, são ofertadas 166 vagas para o Mestrado, em 22 programas; e 77 vagas para o Doutorado, em 15 programas. 

As inscrições têm o valor de R$ 80,00 e devem ser realizadas até as 18h do dia 27/4/2018 no site da Pró-Reitoria de Pós-Graduação da UFLA. O prazo para pedido de isenção dessa taxa irá de 9 a 12/4/2018. Já a divulgação do resultado preliminar, na página de cada programa, será em 14/6. Em 9/7, serão publicados os resultados finais.

Os cursos de Mestrado ofertados são para os seguintes programas: Agroquímica; Biotecnologia Vegetal; Ciência da Computação; Ciência dos Alimentos; Engenharia Agrícola; Engenharia de Biomateriais; Engenharia de Sistemas e Automação; Fisiologia Vegetal; Fitotecnia; Genética e Melhoramento de Plantas; Microbiologia Agrícola; Nutrição e Saúde; Recursos Hídricos em Sistemas Agrícolas; Ciências Veterinárias; Tecnologia e Inovações Ambientais; Zootecnia; Estatística e Experimentação Agropecuária; Ciência e Tecnologia da Madeira; Ciência do Solo; Física; Ciências da Saúde; e Fitopatologia.

Para Doutorado, são ofertadas vagas para os seguintes programas: Biotecnologia Vegetal; Ciência Dos Alimentos; Engenharia Agrícola; Engenharia de Biomateriais; Fisiologia Vegetal; Fitotecnia; Genética e Melhoramento de Plantas; Microbiologia Agrícola; Recursos Hídricos em Sistemas Agrícolas; Ciências Veterinárias; Zootecnia; Estatística e Experimentação Agropecuária; Ciência e Tecnologia da Madeira; Ciência do Solo; e Fitopatologia.

Os critérios de seleção para cada programa estão especificados em seus editais. 

 

Constelações indígenas são tema de pesquisa de TCC de estudante da UFLA

Não foram apenas os gregos que observaram o céu e identificaram constelações; ao contrário, diversas culturas enxergaram nas estrelas diferentes formas, e se guiaram por elas seguindo princípios astronômicos. Assim também ocorreu com os povos indígenas brasileiros que, de acordo com pesquisa realizada pela estudante Cibelly Pereira Ferreira (Ciências Biológicas), conseguiram medir o tempo e se orientar baseando-se nas estrelas.

“Há aproximadamente 30 constelações indígenas descritas. Um trabalho pioneiro nesse sentido foi feito em 1612, pelo missionário francês Claude d’Abbeville, que passou um período entre os Tupinambás”, conta. Dessas, duas destacam-se, inclusive no trabalho desenvolvido pela estudante: as constelações da Ema e do Homem Velho.

 “São constelações fáceis de serem vistas, mas de grande complexidade, formadas inclusive pelas regiões claras e escuras da Via Láctea”, explica Cibelly. A aparição da Ema marca a chegada do inverno e das estações secas no Brasil, enquanto o Homem Velho torna-se visível no verão, marcando a época das chuvas. Observando isso, os povos indígenas previam o clima e planejavam-se com relação às atividades de cultivo.

Acredita-se também que os indígenas observaram o movimento dos planetas e a influência das fases da lua sobre o comportamento dos animais, por exemplo. Ainda, desenvolveram relógios solares. As constelações Tupinambás se assemelharam a de outras tribos, como a dos Guaranis, mesmo com a distância geográfica e diferenças culturais entre os povos. 

O trabalho é orientado pelos docentes Karen Luz e Jose Nogales, ambos do Departamento de Física da UFLA (DFI). Para a estudante, há grande importância em resgatar e divulgar a cultura indígena: “Esquecemos, às vezes, a cultura que havia no Brasil, bonita e profunda. Então, é necessário que se estude e se saiba mais sobre o que havia aqui. Esse conhecimento, tão vasto e bonito, deve ser passado para os nossos filhos, para que a nossa cultura e identidade não seja perdida ao longo do tempo”.

Núcleo de Divulgação Científica

 

UFLA publica edital de Mudança Interna, Transferência Externa e Novo Título para 2018/2

A Diretoria de Processos Seletivos (Dips) da UFLA publicou o edital relativo aos processos de transferência para os cursos de graduação presenciais da Universidade, para o período letivo 2018/2. Assim, os interessados em mudança interna, transferência externa e obtenção de novo título terão o prazo de 27 de abril (a partir das 9 horas) a 15 de maio (até as 23h59) para se inscreverem.

De acordo com o Edital 242/2018 Dips/UFLA, serão ofertadas 430 vagas, distribuídas entre as três formas de ingresso previstas no documento. Metade das vagas será para Mudança Interna de Curso; 35% para Transferência Externa de Curso; e 15% para Obtenção de Novo Título. Será assegurada pelo menos uma vaga para a forma de ingresso Mudança Interna de Curso, em cada um dos cursos ofertados no edital.

Para concorrer às vagas, em qualquer uma das três modalidades, é necessário ter participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), em uma das edições compreendidas entre 2013 e 2017. A classificação dos candidatos será baseada nas notas obtidas no Enem, obedecidos os pesos das áreas, deliberados pelos colegiados de cursos.

Inscrições

Para a mudança interna, as inscrições deverão ser feitas pelo Sistema Integrado de Gestão – Sig (disponível em www.sig.ufla.br), com acesso feito pelo log-in institucional e senha. Não há custo de inscrição.

Os candidatos à transferência externa ou obtenção de novo título deverão se inscrever no site da Dips (www.dips.ufla.br) e nesses casos há uma taxa de R$ 65,00 (sessenta e cinco reais).

Resultados

O resultado preliminar será publicado a partir de 11 de junho de 2018, no SIG (mudança interna) e no site da Dips. Já a publicação do resultado final será a partir de 29 de junho, nos mesmos sites. É de responsabilidade do candidato se inteirar sobre o resultado.

Os pré-requisitos para cada modalidade, assim como as demais informações a respeito do processo, podem ser acessados no edital.

Acesse aqui o edital dos processos seletivos de mudança interna, transferência externa e novo título (2018/2).

 

Proximidade com florestas nativas pode favorecer a biodiversidade em áreas de plantio, diz pesquisa

Wallace em área monitorada.

Um estudo feito com comunidades de escaravelhos, em áreas de plantação de eucaliptos na Amazônia, concluiu que ecossistemas de plantação podem ser melhorados mantendo áreas de florestas naturais ao redor das de produção. Esta foi a conclusão da tese de doutorado de Wallace Beiroz, do Programa de Pós-Graduação em Ecologia Aplicada.

Wallace utilizou dados obtidos entre 2009 e 2013, de áreas de plantação de eucalipto próximas ou não de florestas naturais, na região Nordeste do Pará. Aquelas com mais floresta nativa possuíram mais possibilidade para a chegada de besouros rola-bosta, espécies sensíveis e indicadoras da saúde do ambiente. Esses animais desempenham função importante no ciclo da matéria orgânica, transportando nutrientes pelo solo (auxiliando o desenvolvimento das plantas e microrganismos). Em plantações com maior quantidade de floresta ao redor, foram encontradas comunidades com distribuição mais igualitária das características funcionais.

Parte da pesquisa foi dedicada ao registro do número de espécies encontradas nas áreas de plantação, mas Wallace também avaliou outras características, como: o peso médio dos animais; período de atividade (diurnos ou noturnos); e dieta e tratamento do esterco, entre outras características funcionais que afetam a influência das atividades dos besouros no ecossistema. Uma das conclusões foi que as plantações mais próximas das florestas naturais não tinham necessariamente mais espécies de besouros do que as outras, mas costumavam incluir mais besouros com potencial de reciclar mais matéria orgânica.

Uma das espécies de escaravelho encontrada no solo pesquisado.

Assim, essas áreas próximas de florestas naturais tinham funcionamento mais parecido com essas últimas. “Em áreas distantes de florestas naturais (menos úmidas), bichos diurnos estão mais sujeitos a perder água, e é comum que desapareçam de plantações. Assim como animais pesados, que precisam de mais recursos e promovem mais ciclo de nutrientes”, diz o pesquisador.

Durante a pesquisa, outra conclusão foi que o funcionamento do agroecossistema pode se manter, mesmo perdendo espécies em relação à floresta – isso porque algumas delas podem apresentar redundância em relação ao papel no funcionamento. “Por isso, é importante que áreas nativas sejam preservadas, para que sirvam de fonte de espécies para áreas modificadas, promovendo a sustentabilidade”, aponta Wallace.

Uma das características das plantações para permitir mais oportunidade de entrada de espécies naturais é o aumento da área de floresta nativa e natural ao redor. “Ou seja: teoricamente, florestas próximas podem garantir uma maior ciclagem de nutrientes e fluxo de energia em plantações”.

Impactos

Wallace aponta que os resultados podem ser interessantes para a redução  do uso de agrotóxicos e dos gastos de manutenção das plantações. A pesquisa sugere que a restauração ou manutenção de florestas naturais pode facilitar o movimento de espécies: “Os proprietários de plantações têm gastos para fornecer nutrientes para tornar as plantações mais produtivas, mas, caso mantenham a floresta natural ao redor das plantações, podem ter esse serviço gratuitamente dos besouros”, diz.

“Outro resultado interessante foi que apesar dos besouros rola-bosta normalmente se recuperarem, uma seca forte ou prolongada pode prejudicar a comunidade de rola-bosta. Portanto, o aumento das secas devido às mudanças climáticas pode ser um grande problema, já que esses besouros são responsáveis pela ciclagem de nutriente e até dispersão de sementes. Então, podemos estar matando as florestas indiretamente, mesmo aquelas que são consideradas protegidas”.

Dupla titulação com a Universidade de Lancaster

Wallace passou um ano na Inglaterra, no Centro de Meio Ambiente da Universidade de Lancaster, e obteve dupla titulação. A experiência no exterior foi positiva: “Incentivo todos os estudantes a tentar passar um período no exterior. Isso faz enxergar como outra cultura vive, sair um pouco da zona de conforto. Isso muda a forma de ver o mundo e elimina muitos preconceitos”.

Ele foi orientado pelo professor Júlio Louzada (DBI) e teve coorientação dos docentes Emma Sayer, Jos Barlow e Eleanor Slade. A tese, premiada como a melhor do Programa de Pós-Graduação daquele ano, foi defendida no final de 2016.

Núcleo de Divulgação Científica da UFLA.

 

Inscrições para Olimpíada Brasileira de Astronomia irão até 30/4 e podem ser feitas no MHN/UFLA

Projeto “A Magia da Física e do Universo”, da UFLA, vem apoiando estudantes de Lavras e região

Visita do projeto Magia da Física ao Projeto Curumim, em Nepomuceno

A 21ª Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA) será realizada no dia 18/5/18, em diversas escolas e instituições do País (incluindo a UFLA), em horários a serem definidos pelos locais de aplicação. A inscrição de estudantes deverá ser feita até 30 de abril; aqueles que desejam participar da OBA na UFLA poderão se inscrever no Museu de História Natural (MHN), no Câmpus Histórico.

Podem participar da OBA estudantes do primeiro ano do ensino fundamental até alunos do último ano do ensino médio. A OBA é aberta à participação de escolas públicas ou privadas, urbanas ou rurais, sem exigência de número mínimo ou máximo de alunos, que devem preferencialmente participar voluntariamente. A OBA ocorre totalmente dentro da própria escola, em uma única fase e é realizada durante um só ano letivo. Ao final da OBA, todos os estudantes recebem um certificado de participação; caso tenha ganhado alguma medalha, isso também constará no certificado. Além disso, todos os professores envolvidos no processo, diretores e escolas recebem certificados. Veja todos os detalhes no regulamento da OBA 2018.

A Sociedade Brasileira de Astronomia (SAB) e a Agência Espacial Brasileira (AEB) organizam anualmente a Olimpíada Brasileira de Astronomia (OBA). Essa olimpíada permite a formação de equipes de estudantes das escolas para a realização da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA), e da Olimpíada Latino Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA).

Além disso, cerca de 60 alunos do ensino médio são selecionados para realizar a Jornada Espacial. Os estudantes todo ano ganham muito conhecimento teórico, prático e também a oportunidade, individual e/ou coletiva, de ter contato com a ciência e tecnologia desenvolvida em nível nacional e/ou internacional. A olimpíada também promove a articulação entre escolas, universidades, museus e espaços de ciência e tecnologia para uma estruturação cada vez mais sólida da sociedade brasileira.

Apoio

A equipe do projeto de divulgação científica “A Magia da Física e do Universo”, do Departamento de Física da UFLA (DFI), oferecerá apoio logístico e subsídio intelectual às escolas e aos estudantes que irão participar da OBA.

Para o nível I (1ª e 2ª séries) e nível II (3ª e 4ª séries), poderão ser requeridas oficinas, pelo e-mail magiadafisica@gmail.com ou diretamente no Museu de História Natural, pelo telefone (35) 3829-1206.

Já as oficinas de astronomia para os níveis III (5° ao 8° ano) e IV (ensino médio) serão realizadas duas vezes por semana, durante o evento Festa Das Estrelas, promovido pelo projeto Magia da Física. Nos sábados, às 19h, a Festa das Estrelas ocorrerá no Museu de História Natural (UFLA). Nas quintas-feiras, às 19h30, será no CEU (bairro Nossa Senhora de Lourdes).

  • Festa das Estrelas no CEU, bairro Nossa senhora de Lourdes, quintas às 19h30.
  • Departamento de Física da UFLA (35) 3829-5104 ou no ramal dos coordenadores da Magia da Física: (35) 3829-5113 – Jose Nogales; e (35) 2142-2140 – Karen Luz.

Apoio regional

O projeto Magia da Física iniciou uma série de apoios a escolas da região que desejam participar da OBA. Uma delas é a Escola Cenecista Dulce Oliveira, de Perdões, que já realizou atividades junto ao projeto no Museu de História Natural, entre 19 e 23 de março. O Projeto Curumim, de Nepomuceno, que alberga crianças em situação de vulnerabilidade, também entrou na dinâmica de fazer a OBA. 

O projeto também deixou, na Secretaria do Departamento de Física e no Museu de História Natural, uma lista para que graduandos e pós-graduandos, interessados em contribuir para ministrar aulas de exercícios da OBA aos jovens (em Lavras, Nepomuceno ou Perdões), se cadastrem.

Links importantes