DEL/UFLA realiza exames de suficiência em Língua Inglesa nos dias 4/6 e 5/6

O Departamento de Estudos da Linguagem da Universidade Federal de Lavras (DEL/UFLA) comunica que os exames de suficiência em Língua Inglesa serão realizados na segunda-feira (4/6), no DEL. O exame para a disciplina GEL182 também será realizado na terça-feira (5/6), de acordo com o cronograma:

Segunda (4/6)

8h
– GEL196 – Língua Inglesa B2 – Preparatório para o TOEFL iBT – sala 48 do DEL/DCH

– Língua Inglesa I, II,III, IV, V e VI – sala 44 do DEL/DCH.

9h
– GEL182 – Língua Inglesa A1 – Beginner – Local: Anfiteatro do DEL/DCH

 

Terça (5/6)

9h
– GEL182 – Língua Inglesa A1 – Beginner – Local: Sala 44 do DEL/DCH

 

Mais informações pelo telefone 2142-2066 ou pelo site www.del.ufla.br

 

Com a contribuição de Rhuane Jackeline – bolsista Proat/Dcom

Novo prazo para inscrições e renovações de bolsas Pibic e Pibiti/CNPq

A Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade Federal de Lavras (PRP/UFLA) informa que foram prorrogadas as inscrições e renovações de bolsas de iniciação científica nas modalidades Pibic/CNPq e Pibiti/CNPq. O novo prazo para inscrições vai até 7/6, às 16h.

As bolsas na modalidade Pibic/CNPq concedem aos estudantes de graduação a oportunidade de atuar em projetos de iniciação científica; já as bolsas no sistema Pibiti/CNPq consistem na atuação em projetos de iniciação em desenvolvimento tecnológico e inovação. Ambas são desenvolvidas sob orientação de pesquisadores da UFLA.

Entre as exigências, o estudante precisa ter currículo Lattes atualizado; participar do curso de inglês “My English Online” ou possuir comprovante do Toefl ITP realizado após maio de 2016, com nota superior a 336, ou comprovante de proficiência em inglês; estar regularmente matriculado em curso de graduação da Universidade que tenha relação com o projeto de pesquisa apresentado na proposta; cadastrar seus dados no SIGAA e possuir coeficiente de rendimento acadêmico (CRA) igual ou superior a 60 (exceto estudantes matriculados no primeiro período).

Depois de selecionado, o estudante deve dedicar 20 horas semanais às atividades da bolsa, de maneira a cumprir o plano de trabalho estabelecido pelo orientador, mencionar a condição de bolsista do Pibic/CNPq ou Pibiti/CNPq nas publicações e apresentações das quais participar, apresentar os resultados da pesquisa no Congresso de Iniciação Científica (Ciufla) e enviar o relatório final no término das atividades.

Para renovação, o orientador precisa apresentar o relatório parcial das atividades realizadas conforme proposto no edital da bolsa em vigor.

Confira a publicação das prorrogações de prazo no site da PRP.

Confira os editais em:

Edital PRP Nº 05/2018 – Pibic/CNPq

Edital PRP Nº 06/2018 – Pibiti/CNPq

Novo prazo para estudantes de pós-graduação solicitarem apoio financeiro para participação em eventos científicos no País

A Pró-Reitoria de Pós-Graduação (PRPG) publicou o Edital n° 31/2018 para retificar o Edital n° 24/2018, que trata do auxílio financeiro a estudantes de pós-graduação para participação em eventos técnico-científicos no País. Devido às dificuldades geradas a partir da paralisação nacional dos caminhoneiros, o prazo final para inscrições e entrega de documentação foi estendido até 8/6. Em consequência, as demais datas previstas no edital anterior também foram alteradas.

Podem se candidatar estudantes de pós-graduação regularmente matriculados nos programas stricto sensu da Universidade Federal de Lavras (UFLA). O valor do benefício financeiro concedido por dia de evento varia de acordo com o local de realização das atividades (âmbito regional, no estado de Minas Gerais ou em outros estados brasileiros). Os documentos necessários para a candidatura dos interessados, bem como detalhes sobre os critérios de seleção e outras informações encontram-se no Edital.

UFLA promove Semana do Meio Ambiente de 5/6 a 8/6

Ser sustentável é aproveitar o que o mundo oferece sem comprometer as gerações futuras. A sustentabilidade ambiental pode ser definida como a capacidade de o ser humano interagir com o planeta, preservando o meio ambiente para não comprometer seus recursos naturais. Em comemoração ao Dia do Meio Ambiente, celebrado em 5/6, a UFLA realiza uma série de atividades ao longo da próxima semana com objetivo de conscientizar a comunidade na busca de um desenvolvimento ambientalmente sustentável.

Além da cerimônia oficial de abertura na terça-feira (5/6), serão realizadas mobilizações no Centro de Convivência e visitas técnicas às estações de tratamento de água e esgoto, e ao Laboratório de Gestão de Resíduos Químicos. De acordo com a Diretoria de Meio Ambiente, responsável pela organização da campanha, o objetivo é apresentar aos estudantes, professores, técnicos administrativos e demais colaboradores, o desenvolvimento do Plano Ambiental da UFLA – projeto reconhecido internacionalmente – , além de educar a comunidade em prol da preservação do meio ambiente.

Confira a programação da Semana do Meio Ambiente:

5 de junho
Cerimônia comemorativa do Dia Mundial do Meio Ambiente
Palestra intitulada “Resíduos sólidos e águas residuárias: problema ambiental ou oportunidade agrícola?” 
Palestrante: Prof. Mateus Pimentel de Matos.
Local: Anfiteatro do DAG
Horário: 16h

7 e 8 de junho
Ação Ambiental
Local: Centro de Convivência da UFLA
Horário: 9h às 21h

7 e 8 de junho
Visitas técnicas com certificado (Inscrição via SIG. Vagas limitadas)

Local: Estação de Tratamento de Água
Visitas dia 7/6 – 8h30, 9h30, 10h30, 14h e 15h – 20 pessoas
Visitas dia 8/6 – 8h30, 9h30, 10h30, 14h e 15h – 20 pessoas

Local: Estação de Tratamento de Esgoto
Visitas dia 7/6 – 8h30, 9h30, 10h30, 14h, 15h e 19h30 – 30 pessoas
Visitas dia 8/6 – 8h30, 9h30, 10h30, 14h, 15h – 30 pessoas

Local: Laboratório de Gestão resíduos químicos
Visitas dia 7/6 – 8h30, 9h30, 10h30, 14h, 15h e 19h30 – 20 pessoas
Visitas dia 8/6 – 8h30, 9h30, 10h30, 14h, 15h – 20 pessoas

Mais de 350 pessoas participaram na UFLA do Simpósio Brasileiro de Doenças Negligenciadas

De 24/5 a 26/5 foi realizada na Universidade Federal de Lavras (UFLA) a quarta edição do Simpósio Brasileiro de Doenças Negligenciadas (IV SBDN). No total, mais de 350 pessoas participaram das atividades, que envolveram oficinas, minicursos, mesas-redondas, palestras e conferências. Além do público acadêmico, profissionais que atuam em redes de saúde de Lavras e região tiveram a oportunidade, por meio da programação, de ampliar seus conhecimentos sobre  doenças como leishmanioses, hanseníase, arboviroses (que incluem, por exemplo, dengue, zika, febre chikungunya e febre amarela), doença de chagas, helmintoses (ascaridíase, teníase e esquistossomose são exemplos), sífilis e HIV.

O diretor do Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Renato Vieira Alves, esteve na cerimônia de abertura e realçou a importância do intercâmbio entre academia e sociedade para controle e prevenção dessas doenças. “Designamos doenças negligenciadas, mas é o público afetado por tais doenças que, na verdade, é negligenciado; isso porque são as populações socialmente mais vulneráveis que estão mais expostas aos riscos. Por isso, não basta investir em cura e tratamento. É necessária uma atuação mais sistêmica e completa. Nesse ponto, a parceria com as universidades é uma saída fundamental”. Esta edição do SBDN teve justamente um tema focado nessa perspectiva: Reconstruindo a ponte entre a academia e a sociedade.

Para a vice-reitoria da UFLA, professora Édila Vilela de Resende Von Pinho, a extensão e a importância que o Simpósio alcançou são indicativos do avanço da UFLA em uma nova área do conhecimento e da qualidade com a qual esse avanço vem se dando. O chefe do Departamento de Saúde (DSA/UFLA), Thales Augusto Barçante, lembra também a importante missão do evento, ao colaborar com a formação dos estudantes e colocá-los em interação com os profissionais que estão nas redes de saúde.

De acordo com a presidente da comissão executiva Simpósio, professora Joziana Muniz de Paiva Barçante, 51 palestrantes e moderadores, de diferentes regiões do País, juntaram-se à UFLA e aos participantes na tarefa de debater um tema relevante para a saúde pública.  “Apesar de todos os problemas relacionados ao transporte, em meio à paralisação nacional, o evento superou positivamente todas as nossas expectativas: membros da equipe organizadora, participantes e palestrantes ultrapassaram os obstáculos e a programação científica foi cumprida integralmente, com pequenas adaptações nos horários. Ao final, o saldo foi extremamente positivo. Os palestrantes convidados elogiaram muito quesitos como receptividade, acolhimento, programação científica, organização e espaço físico da Universidade. Foram especialmente importantes para nós os comentários dos participantes acerca das ações de extensão que temos desenvolvido na área, pelas quais criamos um intercâmbio de conhecimentos muito grande com os profissionais dos programas de saúde da família, da unidade de pronto atendimento da cidade e dos hospitais. O projeto Minuto da Saúde e a comunicação com a sociedade demonstraram que, na UFLA, estamos conseguindo realmente fazer essa ponte tão necessária entre Universidade e sociedade”, resume Joziana.

Por eleição, ficou definido que o prêmio ofertado aos melhores trabalhos do Simpósio será denominado “Prêmio Carlos Chagas”. Nesta edição, três trabalhos de apresentação oral e três da modalidade de apresentação em pôster foram agraciados. O evento registrou 140 trabalhos inscritos.

Um pouco da programação

Entre as 27 atividades do IV SBDN estava a mesa que tratou do tema “Populações negligenciadas – abordagens inovadoras”, tendo como palestrantes professores da UFLA. Conheça pouco do conteúdo discutido nesse momento do evento:

População rural

A professora do Departamento de Ciências da Saúde (DSA) Miriam Graciano explicou que as doenças negligenciadas acabam replicando, em populações atingidas, ciclos de pobreza e desenvolvimento infantil deficitário. “A maioria das doenças negligenciadas são transmissíveis por parasitas ou infecções, colocando em risco a saúde, sobretudo, da população rural que não tem acesso à água tratada, esgoto sanitário e coleta de resíduos”, salientou.

Para ilustrar a gravidade do problema, a médica informou que exames feitos em mais de 1.200 moradores da zona rural de Alfenas, no sul de Minas Gerais, apontaram que 60% deles sofriam de intoxicação crônica e insuficiência hepática . “Os estudos evidenciaram  alto índice de mutagenicidade de células cancerosas, o que nos faz pensar que o principal motivo é o uso incorreto de agrotóxicos”, disse.

Indígenas

 A professora do Departamento de Ciências Humanas (DCH) Débora Cristina de Carvalho trouxe a tona o impacto da barreira cultural entre a medicina tradicional e a crença dos indígenas. “O maior problema é a reprodução de protocolos médicos universais dos quais os agentes de saúde têm extrema dificuldade de traduzir para o indígena”, frisou.

A socióloga colocou em pauta a necessidade de restabelecer a ponte entre a academia e a sociedade. “Para a população indígena ter acesso à saúde, professores e estudantes da área precisam ampliar a responsabilidade social e adotar o lugar do senso comum, dos saberes tradicionais”, argumentou.

Patentes

Segundo o professor do Departamento de Direito e coordenador-geral do Núcleo de Inovação Tecnológica (Nintec), Fellipe Guerra, a indústria farmacêutica despreza a busca por remédios para tratar as doenças negligenciadas devido ao alto custo das pesquisas e desenvolvimento dos fármacos  para atender as áreas pobres do planeta. “A patente é o estímulo fundamental para o interesse da empresa. Mas, infelizmente, a legislação brasileira acatou os interesses da política de patentes dos Estados Unidos. Para nós, é extremamente difícil inovar e, quando conseguimos, a logística de produção e distribuição. Como resultado, exportamos conhecimentos em forma de artigo científico e importamos medicamentos”, explicou.

Para Renato Vieira Alves, do Ministério da Saúde, é fundamental ampliar o acesso das populações de regiões com baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) aos remédios eficientes que já estão no mercado para tratamento das doenças negligenciadas.

Assista à matéria da TVU sobre a abertura do IV SBDN

Clique e assista também a íntegra da cerimônia de abertura e da palestra de encerramento (O trabalho dos Médicos sem Fronteiras em vigilância epidemiológica de Doenças Negligenciadas) 

Doenças Negligenciadas

As doenças tropicais negligenciadas (DTNs) afetam, todos os anos, milhões de pessoas no mundo, principalmente de baixa renda. Causadas por vírus, bactérias, vetores e protozoários, esses males, muitas vezes, são consequências da falta de moradia e de saneamento básico. 

Tais enfermidades estão mais presentes do que se imagina: dengue, zika, chikungunya e leishmaniose são apenas algumas das doenças listadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como negligenciadas. Acesse o texto com informações mais detalhadas sobre as doenças negligenciadas.

No canal da UFLA no YouTube é possível saber um pouco mais sobre algumas das doenças negligenciadas, sobre doenças que agravam as doenças negligenciadas e vacinas (clique na miniatura e acesse os vídeos do Núcleo de Divulgação Científica):

Textos: Ana Eliza Alvim, Pollyanna Dias

Fotos: Laís Diniz, Melissa Vilas Boas e Pollyanna Dias

Matéria TVU: Laís Diniz e Melissa Vilas Boas

 

 

 

 

   

 

Lanchonete e restaurante do Centro de Convivência têm alteração no horário de funcionamento durante suspensão de atividades acadêmicas

A Pró-Reitoria de Planejamento e Gestão (Proplag) comunica sobre o funcionamento da lanchonete e do restaurante do Centro de Convivência durante o período de suspensão das atividades acadêmicas ocasionada pelas consequências da paralisação nacional dos caminhoneiros.

Será praticado o horário previsto para períodos de férias: segunda a sexta-feira, das 6h30 às 18h (exceto feriados).

O restaurante Saúde e Cia não funcionará na sexta (1º/6) e no sábado (2/6).

No sábado (2/6), a lanchonete conhecida como Cantina do Saulo também não funcionará. 

*Informações atualizadas em 30/5

 

Funcionamento das portarias da UFLA nesta semana

As portarias 2 (entrada das Goiabas) e 3 (do SindUFLA) estarão disponíveis das 6h às 19h30, apenas para pedestres até quarta-feira (30/5). De quinta-feira (31/5) a domingo (3/6) estarão fechadas até para pedestres. Isso devido à limitação de combustível no setor de vigilância para realizar a ronda móvel. 

Já a entrada principal estará disponível das 6h à meia-noite para pedestres e veículos todos os dias.