UFLA inicia participação em estudo multicêntrico que avaliará saúde dos egressos das universidades mineiras

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) participa de uma extensa pesquisa que irá avaliar a saúde e o desenvolvimento, em profissionais que se formaram nas Universidades mineiras, de doenças não transmissíveis. A pesquisa vai abranger mais de 60 mil pessoas e formar um grande banco de dados sobre hábitos de saúde que poderá subsidiar políticas públicas e muitos estudos para melhorar a qualidade de vida do cidadão. Para tudo isso dar certo, a equipe de pesquisadores pede a colaboração dos egressos das universidades.

A pesquisa chamada de Coorte de Universidades Mineiras (Cume) é um projeto considerado arrojado, e pode dar grandes contribuições para conhecer melhor os hábitos de vida de pessoas que têm escolaridade no ensino superior, acesso a informações e renda suficiente para uma boa qualidade de vida. O objetivo é saber se tudo isso influencia na adoção de hábitos saudáveis ao longo do tempo. Isso porque as entrevistas serão aplicadas a egressos que se formaram na graduação ou pós-graduação destas universidades entre 1994 e 2018, ou seja, que estão na faixa etária compreendida aproximadamente entre 20 e 40 e poucos anos. 

Os egressos serão convidados por e-mail a responder um questionário sobre hábitos alimentares cotidianos e atual estado de saúde. Quem se dispuser a responder poderá ser alertado caso os pesquisadores encontrem algo alarmante nos resultados dos exames informados. 

A Cume está sendo coordenada pela professora do Departamento de Nutrição e Saúde da Universidade Federal de Viçosa Josefina Bressan, e conta com apoio dos professores Helen Hermana Miranda Hermsdorff (UFV), Adriano Marçal Pimenta (Universidade Federal de Minas Gerais – UFMG), Fernando Luiz Pereira Oliveira, da Universidade Federal de Ouro Preto (Ufop) e do professor da UFLA Túlio Junqueira. 

Para participar da pesquisa e saber outras informações sobre a pesquisa basta acessar o site www.projetocume.com.br e/ou o link página do projeto no facebook.

Nesta quinta-feira (24/5) tem a 8ª edição do Música no Museu

Diversas apresentações musicais esperam por você nesta quinta-feira (24/5), em mais uma edição do Música no Museu, projeto da Coordenadoria de Cultura da Pró Reitoria de Extensão e Cultura (Proec/UFLA).

O Música no Museu é uma proposta que integra a comunidade universitária com a de Lavras e região através de apresentações artísticas gratuitas que promovem a cultura, e ainda dão oportunidades a músicos iniciantes e experientes de se apresentarem ao público. As performances são   individuais e em grupos de câmara, com instrumentos como violino, viola, violoncelo, clarinete, trompete, piano, violão e canto. Os expectadores têm a oportunidade de entrar em contato com obras conhecidas e também com interpretações raras, de peças pouco tocadas em recitais e ainda desconhecidas do grande público.

As apresentações ocorrem no Museu Bi Moreira às 19h30. Para esta edição, os ingressos devem ser retirados gratuitamente na secretaria do Centro de Cultura, situada também no campus histórico, no horário das 8h às 12h e das 14h às 18h.

Karina Mascarenhas- jornalista, bolsista Dcom/Fapemig. 

Últimas vagas para os cursos gratuitos de inglês do NucLi

O Núcleo de Línguas da Universidade Federal de Lavras (Nucli/UFLA) anuncia novas turmas de cursos presenciais do programa Inglês sem Fronteiras (IsF). Os cursos serão ministrados entre 4 de junho e 14 de julho, incluindo duas semanas de atividades on-line, em consonância com o período letivo da UFLA.

Ainda há vagas para os seguintes cursos: 

A 2 – Produção Oral – Interações Acadêmicas – 9h  às 11h (segunda e quarta-feira). 

A2  –  Compreensão Oral – palestras e Aulas –  11h50 às 13h50 (segunda e quarta-feira).

A 2 – Produção Oral – Interações Acadêmicas –  11h50 às 13h50 (segunda e quarta-feira).

B 1-  Produção Oral – Comunicação Acadêmicas – 7h às 9h (terça e quinta-feira). 

A 2 – Produção Oral – Interações Acadêmicas –  11h50 às 13h50 (terça e quinta-feira). 

B 1-  Produção Oral – Debates – 16h50  às 18h50  (terça e quinta-feira). 

Para se inscrever, os interessados devem acessar, até às 12h do dia 22/5, o site Idiomas sem Fronteiras e abrir a opção “Aulas presenciais”. É necessário possuir pontuação no Toefl ITP ou estar ativo no My English Online (MEO).

Em caso de dúvidas, a orientação é entrar em contato com o NucLi pelo telefone (35) 3829-3127, pelo e-mail nucli@dri.ufla.br, pelo endereço Idiomas sem Fronteiras – UFLA no Facebook ou presencialmente na sala do núcleo, localizada no pavilhão 6, sala 10.

 

Dicas de Português: uso do porque, porquê, por que ou por quê

O uso dos porquês é um dos assuntos da língua portuguesa que mais causa dúvidas entre os falantes. Para que o emprego dos porquês seja feito de forma correta, é essencial entender e distinguir as quatro formas: porque, porquê, por que ou por quê.

Quando usar porque?

Porque (junto e sem acento) é usado principalmente em respostas e em explicações. Indica a causa ou a explicação de alguma coisa.

Porque pode ser substituído por:

  • pois;
  • visto que;
  • uma vez que;
  • por causa de que;
  • dado que;

Exemplos com porque

  • Choro porque machuquei o pé.
  • Ela não foi à escola porque estava chovendo.

Substituição do porque

  • Choro pois machuquei o pé.
  • Choro visto que machuquei o pé.
  • Ela não foi à escola pois estava chovendo.
  • Ela não foi à escola uma vez que estava chovendo.

Porque é uma conjunção subordinativa causal ou explicativa, unindo duas orações que dependem uma da outra para ter sentido completo.

Quando usar por que?

Por que (separado e sem acento) pode ser usado para introduzir uma pergunta ou para estabelecer uma relação com um termo anterior da oração.

Por que interrogativo

Possuindo um caráter interrogativo, por que é usado para iniciar uma pergunta, podendo ser substituído por:

  • por que motivo;
  • por qual motivo;
  • por que razão;
  • por qual razão.

Exemplos com por que (interrogativo)

  • Por que você não foi dormir?
  • Por que não posso sair com meus amigos?

Substituição do por que (interrogativo)

  • Por qual motivo você não foi dormir?
  • Por qual razão você não foi dormir?
  • Por qual motivo não posso sair com meus amigos?
  • Por qual razão não posso sair com meus amigos?

Com este uso, por que é formado pela preposição por seguida do pronome interrogativo que.

Por que relativo

Estabelecendo uma relação com um termo antecedente, por que é usado como elo de ligação entre duas orações, podendo ser substituído por:

  • pelo qual;
  • pela qual;
  • pelos quais;
  • pelas quais;
  • por qual;
  • por quais.

Exemplos com por que (relativo)

  • Não achei o caminho por que passei.
  • As razões por que fui embora são pessoais.

Substituição do por que (relativo)

  • Não achei o caminho pelo qual passei.
  • Não achei o caminho por qual passei.
  • As razões pelas quais fui embora são pessoais.
  • As razões por quais fui embora são pessoais.

Com este uso, por que é formado pela preposição por seguida do pronome relativo que.

Quando usar por quê?

Por quê (separado e com acento) é usado em interrogações. Aparece sempre no final da frase, seguido de ponto de interrogação ou de um ponto final.

Por quê pode ser substituído por:

  • por qual motivo;
  • por qual razão.

Exemplos com por quê

  • Você não comeu? Por quê?
  • O menino foi embora e nem disse por quê.

Substituição do por quê

  • Você não comeu? Por qual motivo?
  • Você não comeu? Por qual razão?
  • O menino foi embora e nem disse por qual motivo.
  • O menino foi embora e nem disse por qual razão.

Por quê é formado pela preposição por seguida do pronome interrogativo tônico quê.

Quando usar porquê?

Porquê (junto e com acento) é usado para indicar o motivo, a causa ou a razão de algo.

Aparece quase sempre junto de um artigo definido (o, os) ou indefinido (um, uns), podendo também aparecer junto de um pronome ou numeral.

Porquê pode ser substituído por:

  • o motivo;
  • a causa;
  • a razão.

Exemplos com porquê

  • Todos riam muito e ninguém me dizia o porquê.
  • Gostaria de saber os porquês de ter sido mandada embora.

Substituição do porquê

  • Todos riam muito e ninguém me dizia o motivo.
  • Todos riam muito e ninguém me dizia a razão.
  • Gostaria de saber os motivos de ter sido mandada embora.
  • Gostaria de saber as causas de ter sido mandada embora.

Porquê é um substantivo masculino, podendo sofrer flexão em gênero: o porquê, os porquês.

Dicas para o uso dos porquês

Por que = Usado no início das perguntas.
Por quê? = Usado no fim das perguntas.
Porque = Usado nas respostas.
O porquê = Usado como um substantivo.

 

Paulo Roberto Ribeiro

DCOM