Abertas inscrições para os cursos gratuitos de inglês do NucLi

O Núcleo de Línguas da Universidade Federal de Lavras (Nucli/UFLA) anuncia novas turmas de cursos presenciais do programa Inglês sem Fronteiras (IsF). Os cursos serão ministrados entre 4 de junho e 14 de julho, incluindo duas semanas de atividades on-line, em consonância com o período letivo da UFLA.

Para se inscrever, os interessados devem acessar, até às 12h do dia 22/5, o site Idiomas sem Fronteiras e abrir a opção “Aulas presenciais”. É necessário possuir pontuação no Toefl ITP ou estar ativo no My English Online (MEO).

Os seguintes cursos serão ofertados:

– A2 (32h) Produção Oral: interações acadêmicas; compreensão oral: palestras e aulas 
– B1 (32h) Produção Oral: debates; produção oral: comunicações acadêmicas; Toefl ITP: Preparatório 

Em caso de dúvidas, a orientação é entrar em contato com o NucLi pelo telefone (35) 3829-3127, pelo e-mail nucli@dri.ufla.br, pelo endereço Idiomas sem Fronteiras – UFLA no Facebook ou presencialmente na sala do núcleo, localizada no pavilhão 6, sala 10.

Luciana Tereza- estagiária Dcom/UFLA.

O que você precisa saber sobre Doenças Negligenciadas e como elas afetam sua vida

Para debater o tema, será realizado na UFLA o IV Simpósio Brasileiro de Doenças Negligenciadas, de 24 a 26 de maio.

Mais de um milhão de pessoas morrem por ano no mundo por doenças que podem ser prevenidas e são consideradas negligenciadas. Saiba mais sobre essas doenças, que serão tema de Simpósio na UFLA em maio.

As doenças tropicais negligenciadas (DTNs) afetam, todos os anos, milhões de pessoas no mundo, principalmente de baixa renda. Causadas por vírus, bactérias, vetores e protozoários, esses males, muitas vezes, são consequências da falta de moradia e de saneamento básico. 

Tais enfermidades estão mais presentes do que se imagina: dengue, zika, chikungunya e leishmaniose são apenas algumas das doenças listadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como negligenciadas, conforme explica a professora Joziana Muniz de Paiva Barçante, do Departamento de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Lavras (DAS/UFLA). “A OMS considera 17 grupos de doenças negligenciadas, e elas exigem ações diferenciadas em diversas partes do mundo, com grupos de pessoas que se reúnem para definir formas de controle de prevenção, diagnóstico, erradicação e ações de ações voltadas para a informação da população. Dos 17 grupos, 14 estão presentes no Brasil. O Ministério da Saúde possui uma série de programas estratégicos de combate e controle de diversas dessas doenças”.

A denominação “negligenciadas” é uma menção ao fato de que essas doenças são as que menos recebem investimentos em pesquisas, produção de medicamentos e vacinas, mesmo sendo as que mais matam no mundo. Segundo a OMS, a estimativa é de que um bilhão de pessoas tenham recebido tratamento para, pelo menos, uma doença tropical negligenciada somente no ano de 2015. Para a especialista, o grande problema dessas doenças, além do investimento financeiro, é em relação à falta de informação sobre elas no meio social. “Não é só a doença que é negligenciada; a própria população tem poucas informações. Por isso, nós, das universidades, temos a capacidade de levar conhecimento para estas pessoas, orientando sobre as medidas de prevenção, que, muitas vezes, são desconhecidas.”

Dada a importância de se debater a respeito dessas doenças, será realizado, de 24 a 26 de maio na UFLA, o IV Simpósio Brasileiro de Doenças Negligenciadas (IV SBDN). Serão mais de vinte temas que abordarão, por exemplo, as leishmanioses, a hanseníase, as arboviroses (que incluem doenças como dengue, zika, febre chikungunya e febre amarela), a doença de chagas, as helmintoses (ascaridíase, teníase e esquistossomose são exemplos), sífilis e HIV. O evento é voltado para os profissionais de saúde “É um simpósio que integra a universidade com o serviço de saúde. Vários profissionais que atuam na atenção primária foram convidados; a intenção é estreitar esses laços e, assim, melhorar a qualidade de vida da população, ” enfatiza Joziana.

Para alertar a população sobre as doenças negligencias mais comuns e suas formas de contaminação, prevenção e tratamento, a diretoria de comunicação da UFLA preparou uma série de reportagens que serão divulgadas nas páginas da Universidade na Internet nos próximos dias.

Karina Mascarenhas – Jornalista bolsista Fapemig/DCOM

UFLA de Portas Abertas: orientações à comunidade interna

Amanhã, quarta-feira (16/5), será realizada a quarta edição do UFLA de Portas Abertas. Neste ano houve um aumento expressivo no número de participantes: mais de 17 mil pessoas pré-inscritas (estudantes e professores) de 221 escolas, com o envolvimento de cem municípios de Minas Gerais.

Com a finalidade de orientar a comunidade acadêmica, a organização do evento informa:

Ao longo de todo o dia, o trânsito estará impedido nos seguintes locais:

* Avenida Central (nos dois sentidos) desde imediações do Departamento de Biologia até o PV6;

* Avenida do Salão de Convenções, desde o Departamento de Ciência dos Alimentos até o Departamento de Medicina Veterinária.

* Estacionamentos das cantinas da veterinária e biologia e entre as naves e o RU; vias entre o Centro de Convivência e o Departamento de Ciências Exatas e a Via Central de acesso ao Departamento de Ciência dos Solos.

Devido ao grande fluxo de ônibus, micro-ônibus e vans na entrada principal, sugerimos que a comunidade utilize a Portaria 2, acessada pela estrada Lavras-Ijaci e a Portaria do Sindufla. 

O trânsito na Avenida Sul será modificado:

A Avenida Sul dará mão apenas subindo (sentido Pró-reitorias – Departamento de Medicina Veterinária). Os ônibus das caravanas estarão estacionados ao longo dessa avenida.

Pontos de ônibus da Autotrans:

Os pontos de ônibus da Autotrans serão reposicionados na Avenida Sul e Norte, devidamente sinalizados.

Mamute:

O Mamute (transporte interno da UFLA) fará o trajeto normalmente (das 7h às 19) para transporte dos estudantes que estarão trabalhando no evento. Os pontos serão alterados para a Avenida Norte (Departamento de Física) e Avenida Sul (ABI). 

Alimentação:

Além das cantinas, haverá duas praças de alimentação com “Food Trucks” entre o Centro de Convivência e o Departamento de Ciências Exatas e em frente ao Departamento de Ciência dos Alimentos.

Equipe de apoio:

A equipe da Proec estará na Sala 2 do Pavilhão 3 ao longo do dia e em uma tenda de informações no canteiro central, em frente ao Centro de Convivência.

UFLA realiza Workshop de Magnetismo de Sistemas de Baixa Dimensionalidade

Abertura com o professor Onofre Rojas

O Departamento de Física da Universidade Federal de Lavras (UFLA) realiza nesta semana o II Workshp on Quantum Low-Dimensional Magnetism. A abertura ocorreu na manhã desta terça-feira (15/5). A primeira edição foi realizada com sucesso pelo Instituto de Física da Universidade Federal de Alagoas, em Maceió.

Estão reunidos na UFLA alguns pesquisadores especializados para apresentar suas últimas investigações sobre os sistemas de spin quântico de baixa dimensão.

Os principais tópicos de interesse incluem frustração magnética, efeito magnetocalórico, emaranhamento quântico entre outros tópicos relacionados, usando novas abordagens analíticas e numéricas. Além das principais palestras de especialistas convidados, haverá seções para comunicações orais curtas e pôsteres que permitam aos participantes apresentar suas contribuições recentes.

O evento  foi organizado pelos professores Onofre Rojas Santos (DFI-UFLA),  Sérgio Martins de Souza (DFI-UFLA),  Marcelo Lyra (IF-UFAL) e Jordana Torrico (Pós-doc UNIFAL) e conta com a participação especial do professor Jozef Strecka (JPSU, Slovakia), além de docentes das Universidades Federais de Alagoas, Pernambuco e Fluminense. “Estaremos reunidos para discutir os avanços dos nossos grupos de pesquisas. Nossos estudos neste momento são mais teóricos, contudo, há diversas aplicações, como em supercomputadores quânticos”, comenta o professor Onofre.