UFLA na Mídia: pesquisa é destaque nos jornais Hoje em Dia, EPTV e G1

Uma pesquisa realizada pelo Departamento de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Lavras (DSA/UFLA) aponta que usar o celular ou ler durante as refeições aumenta o consumo de calorias em até 20%. O estudo foi destaque nos jornais da EPTV- 1ª e 2ª edições e G1 Sul de Minas (10/5) e Hoje em Dia (14/5).

Durante o levantamento, foram avaliadas 64 pessoas, entre 18 e 40 anos, em aspectos relacionados à mastigação, Índice de Massa Corporal e preferência de alimentação. Os resultados mostraram que, ao utilizar o smartphone enquanto se alimenta, aumenta em 15% o consumo de calorias e até 20% no caso de fazer uma leitura durante a refeição.

De acordo com o professor responsável pela pesquisa, Luciano José Pereira, “a partir do momento que você não presta atenção naquilo que você está ingerindo, você corre o risco de se alimentar em excesso”.

Veja as matérias na íntegra em:

Pesquisa da Ufla relaciona uso do celular durante refeição a consumo maior de calorias (AO VIVO- 1ª Edição)

Pesquisa aponta que usar celular ou ler durante refeições aumenta consumo de calorias (2ª Edição)

Pesquisa da Ufla aponta que usar celular ou ler durante refeições aumenta consumo de calorias em até 20% (G1 Sul de Minas)

Pesquisa indica que uso de celular durante as refeições aumenta ingestão de caloria (Hoje em Dia).  

Luciana Tereza- estagiária Dcom/UFLA.

UFLA é destaque no programa Viação Cipó, da TV Alterosa

A Universidade Federal de Lavras foi destaque no programa Viação Cipó, da TV Alterosa, exibido nesse domingo (13/5).  O jornalista Otávio di Toledo esteve em Lavras e conheceu a história e a estrutura da Universidade, o plano ambiental desenvolvido pela instituição, e ressaltou sua importância no desenvolvimento de pesquisas científicas de ponta para o Brasil e para o mundo.

 

Clique aqui para assistir ao programa Viação Cipó na íntegra.

UFLA de Portas Abertas: inscrições encerradas, mais de 17 mil estudantes confirmados

Já estão confirmados para o IV UFLA de Portas Abertas 17.165 inscritos. O evento será realizado nesta semana, 16/5 (quarta-feira), das 8h às 18h, no câmpus universitário. A mostra de profissões tem como objetivo permitir que os estudantes matriculados no Ensino Médio conheçam os cursos de graduação, as respectivas profissões e o funcionamento da Universidade. 

A organização das atividades é feita pela Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec), em conjunto com as entidades de extensão da Universidade e colaboração de toda a comunidade acadêmica. 

Aplicativo 

O aplicativo do UFLA de Portas Abertas já está disponível. Para baixar basta acessar o Play Store e procurar por UFLA de Portas Abertas (ou clique aqui para acessar o link). Por meio do aplicativo os participantes poderão conhecer melhor os cursos ofertados pela Universidade, obter informações gerais sobre a vida acadêmica, além de acessar um mapa para melhor orientá-los. 

O aplicativo foi desenvolvido pela Robotica Jr, empresa júnior formada por alunos do curso de Engenharia de Controle e Automação, com orientação de professores do Departamento de Engenharia da UFLA.

 

Tecnologias na pecuária contribuem para uma produção mais sustentável

Professor Mateus Pies Gionbelli, especialista em Bovinocultura de Corte (DZO/UFLA)

Você já ouviu falar que a pecuária é uma das grandes responsáveis pela concentração de gases de efeito estufa na atmosfera? Um dos motivos de ter sido por muito tempo considerada vilã é o fato de os bovinos serem animais ruminantes. 

“Esses animais produzem um gás chamado metano (CH4) através de um processo de fermentação entérica, que permite que eles sejam capazes de digerir alimentos fibrosos, como capins, que têm baixo valor para os humanos, e converter em alimentos de altíssimo valor biológico para nós, como a carne e o leite”, comenta o professor Mateus Pies Gionbelli, especialista em Bovinocultura de Corte do Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Lavras (DZO/UFLA).

O metano é um dos gases que causam a destruição da camada de ozônio, porém não é o dominante. “Temos o dióxido de carbono (CO2), que é o principal contribuidor para o efeito estufa. Se considerarmos o total de emissões que causam o efeito estufa, pelo menos dois terços delas são de gás carbônico, cuja origem vem de processos industriais e da produção de energia, principalmente da queima de combustíveis fósseis. Se somarmos ainda a quantidade de gás carbônico produzida com o mau uso da terra e das florestas, esse valor é ainda mais surpreendente”, enfatiza Mateus.

Com um rebanho de mais de 218 milhões de cabeças, de acordo com o último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil tem buscado alternativas para conciliar a prática da pecuária com o meio ambiente e, ainda assim, gerar boa produtividade “Há recentes artigos científicos, publicados em revistas de alto impacto como a Nature Climate Change, que mostram que a produção de bovinos em sistemas intensivos, elaborados com muito critério e adoção de tecnologias, é capaz de ter um saldo positivo sobre o meio ambiente, mitigando gases de efeito estufa. Sistemas sustentáveis que não são difíceis de serem mantidos”, explica o especialista.

Como modelo dessas tecnologias, há, por exemplo, a utilização de pastos consorciados de gramíneas e leguminosas, a integração entre lavoura e pecuária e entre pecuária e florestas. Para o professor, o importante é que além de alinhar até três sistemas de produção, a diversificação proporciona maior lucratividade; além disso, o uso intensivo bem manejado dessas pastagens pode melhorar bastante o balanço entre captação e emissão de gases de efeito estufa. O resultado final ainda diminui a área de pastagens e preserva o meio ambiente. “Quanto mais tecnologia é aplicada no sistema de produção, menor fica o custo ambiental por quilograma de produto produzido e mais sustentável é o sistema”.

Modelos de produção integrada e outras alternativas para a pecuária muitas vezes são gerados dentro do ambiente acadêmico. “As universidades brasileiras têm fornecido muita tecnologia que permite a produção intensiva em pastagens, em confinamento, e a produção sustentável de carne bovina”. Para orientar os produtores, professores e estudantes da UFLA realizam de 28 a 30 de maio, a II Conferência Internacional sobre Forragens (Confor), que abordará temas como o papel da forragem e dos grãos na produção de leite; o papel da semente e da fertilidade do solo na produção de forragens com um dia de campo e o papel da forragem e dos grãos na produção de carne. Detalhes e inscrições para o evento pelo site do 2º Confor.

Reportagem:  Karina Mascarenhas, jornalista – bolsista Fapemig/Dcom
Edição do vídeo: Mayara Toyama, bolsista Fapemig/Dcom