Contrate uma EJ: campanha foi realizada para fortalecer o conceito de empresas juniores em Lavras

Desenvolvimento profissional, fortalecimento da cultura empreendedora e oferta de consultorias com um preço abaixo do mercado. Essas são apenas uma das finalidades de uma empresa júnior. Por isso, na última quinta-feira (10/5),  foi realizado na Universidade Federal de Lavras (UFLA) o evento “Contrate uma EJ”.

O encontro ocorreu com o intuito de promover a interação entre lavrenses, UFLA e instituições de apoio a empresas – como o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).  A Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec) e os representantes do Movimento Empresa Júnior (Mej), do Conselho de Empresas Juniores da UFLA (Consej) e da Federação Mineira de Empresas Juniores (Fejemg), apresentaram o conceito e o impacto das empresas juniores na sociedade.

Em sua fala, o pró-reitor adjunto de Extensão e Cultura, professor Dany Flávio Tonelli, salientou a proximidade da Proec com as empresas juniores (EJ’s) e relembrou a trajetória da criação do Consej. “Houve uma longa discussão para saber qual seria o melhor caminho para estruturar a regulamentação das EJ’s dentro da universidade, até concluir que a melhor opção seria a criação de um Conselho. Desde então, o Consej está inserido no regimento da Pró-Reitoria, que vem trabalhando em parceria com os representantes das empresas juniores da UFLA”, explicou. 

O professor de empreendedorismo do Departamento de Administração e Economia (Dae/UFLA), Paulo Henrique Leme, falou sobre a importância do empreendedorismo e como as empresas juniores desenvolvem as habilidades empreendedoras, sendo uma importante forma de auxiliar, principalmente, as micro e pequenas empresas da cidade de Lavras a desenvolverem seus negócios.

O conceito de Empresa Júnior

As empresas juniores são instituições formadas por estudantes de graduação, organizados em associação civil sem fins lucrativos, com o objetivo de prestar serviços e realizar projetos preferencialmente para micro e pequenas empresas e terceiro setor, contribuindo com seu desenvolvimento.

Dentre seus objetivos, encontra-se o propósito de contribuir para um país mais empreendedor, com a formação de jovens por meio da prestação de serviços e execução de projetos.

O impacto do MEJ UFLA

Hoje, a UFLA conta com 16 empresas juniores de diversos cursos de graduação. De acordo com Yoran, atual diretor presidente do Consej, durante o ano de 2017 as empresas realizaram mais de 250 projetos no total, com um faturamento de mais de R$ 600.000,00, mostrando a importância da atuação e do impacto das EJ’s no município lavrense.

Além disso, a UFLA também foi destaque no “Prêmio Fejemg”, evento realizado pela Federação das Empresas Juniores de Minas Gerais que visa reunir empresários juniores de todo o estado para celebrar e reconhecer seus resultados.

De acordo com Heloísa Villela, estudante de agronomia na UFLA e atual assessora de suporte às EJ’s da Fejemg,  o Consej foi destaque no evento no último ano, sendo o núcleo com destaque de alto crescimento, onde 100% das EJ’s federadas a Fejemg bateram suas metas. “Em 2018, a UFLA já está sendo destaque novamente, uma vez que o Consej já bateu as metas do selo EJ, destacando-se cada vez mais dentro da Fejemg”, ressaltou.

O impacto deste trabalho tem sido ampliado para outras instituições de ensino. O Consej vem articulando para auxiliar na criação de um projeto dentro do Centro Universitário de Lavras – Unilavras, trabalhando em prol do desenvolvimento das empresas juniores dentro do município.

Relembre alguns destaques e atuações do MEJ lavrense  

Empresas Juniores da UFLA participam do Prêmio Fejemg neste sábado, 16/12 – sete receberão o título de Alto Crescimento

Terra Jr. é a empresa júnior que mais evoluiu em projetos e faturamento em todo o Estado

Mais de 60 empresários juniores da UFLA participaram da reunião presencial da Fejemg

 

Mayara Toyama – Bolsista Fapemig/DCOM

UFLA na Mídia: pesquisa que relaciona uso do celular durante a refeição a consumo maior de calorias é destaque nos jornais da EPTV e G1 Sul de Minas

Uma pesquisa feita pelo Departamento de Ciências da Saúde da Universidade Federal de Lavras (DSA/UFLA) aponta que usar o celular ou ler durante as refeições aumenta o consumo de calorias em até 20%. O estudo foi destaque nos jornais da EPTV- 1ª e 2ª edições e G1 Sul de Minas dessa quinta-feira (10/5).

Durante o levantamento, foram avaliadas 64 pessoas, entre 18 e 40 anos, em aspectos relacionados à mastigação, Índice de Massa Corporal e preferência de alimentação. Os resultados mostraram que, ao utilizar o smartphone enquanto se alimenta, aumenta em 15% o consumo de calorias e até 20% no caso de fazer uma leitura durante a refeição.

De acordo com o professor responsável pela pesquisa, Luciano José Pereira, “a partir do momento que você não presta atenção naquilo que você está ingerindo, você corre o risco de se alimentar em excesso”.

Assista às matérias na íntegra em:

Pesquisa da Ufla relaciona uso do celular durante refeição a consumo maior de calorias (AO VIVO- 1ª Edição)

Pesquisa aponta que usar celular ou ler durante refeições aumenta consumo de calorias (2ª Edição)

Pesquisa da Ufla aponta que usar celular ou ler durante refeições aumenta consumo de calorias em até 20% (G1 Sul de Minas)

Luciana Tereza- estagiária Dcom/UFLA

Programação especial da Semana Nacional dos Museus começa segunda-feira (14/5) na UFLA

Começa na segunda-feira (14/5) a programação especial dos museus Bi Moreira e de História Natural da UFLA, com uma série de eventos como parte da programação da 16ª Semana Nacional dos Museus. As atividades incluem oficinas, rodas de conversa, exposições, workshops, palestras e ações educativas gratuitas à comunidade. 

A Semana Nacional dos Museus promove a ideia “Hiperconectados: novas abordagens, novos públicos”, e é uma iniciativa do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), envolvendo 3,2 mil eventos em 489 cidades de 26 estados brasileiros.

Confira a programação:

UFLA sediará o Campeonato Mineiro de Ginástica Aeróbica no dia 24 de maio

No dia 24 de maio a Universidade Federal de Lavras (UFLA) sediará o Campeonato Mineiro de Ginástica Aeróbica, no Ginásio 1, às 19 horas. Equipes da UFLA e UFMG apresentarão coreografias planejadas para o Mundial, que será entre o dia 1º e 3 de junho, na cidade de Guimarães, Portugal.

A Ginástica Aeróbica da UFLA tem em sua equipe atletas da Seleção Brasileira que são: Adrielle Caroline Lopes, Aline Teixeira, Ana Sophia Ramalho, Caroline Santiago, Christian Andrade, Edson Pontes, Elisa Nunes, José Henrique Oliveira, Julia Diniz, Maelton Siqueira, Marcelo Martins, Maria Eduarda Oliveira e Martha Mazochi, comandados pelos técnicos Luiz Maciel e Marília Pires. Já a UFMG, treinada por Kátia Lemos e Pêt Augusto Rezende, conta com a experiência de Lucas Santiago, Ludmilla Freire, Milena Ribeiro e Tamires Rebeca.

Crianças de 5 a 16 anos que fazem parte do projeto “Ginástica na UFLA”, supervisionadas por Luiz Maciel, demonstrarão todo o seu talento para um ginásio que promete estar lotado. As cheerleaders da Máfia X – A. A. A. E. Xarada animarão o público com coreografias inéditas feitas especialmente para o Engenharíadas Mineiro 2018.

A população lavrense poderá comparecer ao evento, sendo necessário levar apenas um item de higiene pessoal para doação. Tudo o que for arrecadado será doado para os asilos da cidade.

O Campeonato Mineiro é uma realização da Ginástica Aeróbica UFLA em parceria com a própria universidade, tendo o apoio da Liga das Atléticas, Federação Mineira de Ginástica e UFMG.

Mais informações estão disponíveis na página oficial.

Leonardo Assad- jornalista, bolsista UFLA. 

Emerging Economies University Rankings 2018: UFLA está entre as universidades do País com reconhecimento internacional

Nesta semana, a Times Higher Education (THE), em parceria com a Elsevier, publicou o Emerging Economies University Rankings 2018. A Universidade Federal de Lavras (UFLA) está entre as 378 universidades do mundo que integram a classificação, pela qual são destacadas as instituições de 42 países de economias emergentes, em quatro continentes, que apresentam altos índices de qualidade nas categorias ensino, pesquisa, perspectivas internacionais, transferência de conhecimento e citações.

Das 2.407* instituições de ensino brasileiras, 32 têm hoje o reconhecimento do Emerging Economies University Rankings 2018. A UFLA, mesmo sendo uma organização de pequeno porte – e que se encontra em fase de expansão, com cursos novos e ingresso de docentes em início da carreira acadêmica -, vem se mantendo no seleto das instituições do País com reconhecimento internacional, ao lado de grandes e consolidadas universidades, desde que passou a alcançar posições no ranking, na edição 2015-2016.

O ranking relativo às economias emergentes é construído a partir dos mesmos dados que compõem o ranking mundial THE World University Rankings 2017-2018, já publicado em setembro de 2017. Os 13 indicadores são os mesmos nos dois casos, entretanto são atribuídos pesos diferenciados, de modo a refletir melhor as características e as prioridades de desenvolvimento das universidades localizadas em economias em desenvolvimento.

Em 2015, quando a UFLA posicionou-se pela primeira vez no ranking, o editor Phil Baty destacou a significação da conquista, enfatizando o fato de a Universidade passar a fazer parte do grupo das melhores instituições dos países incluídos no levantamento. Para o reitor da UFLA, professor José Roberto Soares Scolforo, a presença da UFLA na classificação – e o reconhecimento internacional que ela gera – é um parâmetro importante na busca da melhoria contínua dos processos e atividades, cujo maior foco é a prestação de serviços públicos de excelente qualidade para a sociedade brasileira. “Investimos e continuaremos a investir no aperfeiçoamento do ensino, da pesquisa, da internacionalização, da geração de conhecimento e tecnologia, porque desejamos que a UFLA continue oferecendo um serviço de alta qualidade ao País, contribuindo para seu desenvolvimento e para o bem-estar social. A presença nos rankings é uma consequência do esforço da comunidade acadêmica em prol desses objetivos”, avalia.

O diretor de Relações Internacionais da UFLA, professor Antônio Chalfun Júnior, também comenta o ranking, lembrando que a Times Higher Education ressaltou na avaliação do relatório que o Brasil se manteve como o país com maior número de instituições na classificação, embora a maior parte das instituições brasileiras tenha apresentado queda nas posições. “O desempenho da UFLA foi especialmente produtivo nos indicadores relativos a ensino e pesquisa. No ensino, nossa pontuação está acima da média alcançada pelas 378 instituições classificadas. O ranking é um bom indicativo também das questões sobre as quais devemos trabalhar para aperfeiçoar nossos processos”, diz.

* Dados do Censo da Educação Superior de 2016 – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).