Ação de extensão do Departamento de Engenharia da UFLA pode beneficiar quem precisa de um projeto civil de residência

Famílias de baixa renda que possuem lote legalizado na cidade de Lavras poderão contar uma ação de extensão do Departamento de Engenharia da Universidade Federal de Lavras (DEG/UFLA). Estudantes da disciplina Projeto em Engenharia Civil II, sob coordenação e orientação da professora Andréa Corrêa, poderão atender gratuitamente a quem precisa de um projeto civil de residência.

Os interessados devem entrar em contato com a professora Andréa para realizar a inscrição. É necessário agendar horário pelo telefone (35) 3829-4655 ou pelo e-mail andrea.rcorrea@deg.ufla.br Os contemplados serão selecionados a partir de entrevista e cadastro. Para identificar os candidatos que serão beneficiados com a ação, serão adotados os seguintes critérios:

– Prioridade para as menores rendas familiares;

– Que haja propriedade de lote legalizado na cidade (necessário levar os documentos comprobatórios para inscrição);

– Que haja o compromisso do candidato de executar a limpeza do lote para inspeção local, que será feita pelos alunos antes do início do projeto.

– Que o candidato tenha disponibilidade para reunir-se com os alunos nas etapas de desenvolvimento do projeto: programa de necessidades; estudo preliminar; anteprojeto; projeto executivo e detalhamento.

O benefício não se estende aos casos de reforma e acréscimos em edificações já existentes. Os projetos civis a serem desenvolvidos a partir da iniciativa serão finalizados e entregues em agosto de 2018.

Após agendamento, o local de atendimento aos candidatos será a sala 26 do Complexo das Engenharias (ABI), localizado na Avenida Sul do câmpus da UFLA. Os horários da professora para essa finalidade são segunda, terça e quarta-feira, das 16h às 18h; e sexta-feira, das 10h às 12h.

Programa Institucional de Bolsas – relatórios devem ser aprovados até o 5º dia de cada mês

Estudantes e orientadores participantes do Programa Institucional de Bolsas (PIB/UFLA) devem ficar atentos aos prazos para aprovação dos relatórios de atividades no Sistema Integrado de Gestão (SIG). De acordo com a Pró-reitoria de Assuntos Estudantis e Comunitários (Praec), os documentos devem ser preenchidos pelos bolsistas mensalmente e aprovados pelos orientadores até o 5º dia do mês subsequente para a liberação do subsídio ao estudante. O preenchimento online é rápido e fácil.

A pró-reitora de Assuntos Estudantis e Comunitários, Ana Paula Piovesan Melchiori, explica que os relatórios são fundamentais para documentar as atividades desenvolvidas pelos bolsistas. “O sistema online permite aos bolsistas relatar de forma mais fácil suas atribuições a cada dia. Quando terminado, o orientador consegue visualizar o documento e proceder com a aprovação ou reprovação. As bolsas somente serão liberadas com os relatórios devidamente aprovados”, explica a pró-reitora.   

 

Preenchimento do Relatório – Bolsista

Acesse www.sig.ufla.br e faça o login.

1 – Clique em Bolsa Institucional, no canto superior esquerdo da tela;

2 – Clique em Relatório Mensal de Atividades (ícone azul);

3 – Clique em Cadastrar Relatório Mensal de Atividades para criar seu relatório do mês;

 

4 – Selecione o mês e o ano que deseja relatar suas atividades, e clique em cadastrar;

5 – Clique em “definir atividades do bolsista institucional” (ícone verde, parecido com uma lousa);

Extração e uso de óleos essenciais é tema de diversas pesquisas na UFLA

Há séculos, o uso de óleos essenciais é feito pela humanidade, seja por conta de seus aromas ou propriedades terapêuticas. Além do uso para cosméticos, medicamentos e aromoterapia, atualmente, os óleos são muito importantes no combate a microorganismos.

Na Universidade Federal de Lavras (UFLA), pesquisas já testaram os óleos para observar a ação bactericida, fungicida, antitumoral e parasitária, com a coordenação da professora Maria das Graças Cardoso, do Departamento de Química (DQI/UFLA).

O Brasil possui um grande número de plantas ainda não estudadas com relação ao seu uso, principalmente com relação aos óleos essenciais. Para a professora Graça, é possível que a cura para muitas doenças seja encontrada em plantas nativas “Um óleo essencial não tem apenas um componente, ele tem vários. Por exemplo, o óleo de menta tem de 20 a 30 componentes. Então, não sabemos ainda se é um componente ou a  mistura desses que vai provocar um determinado efeito”.

A extração dos óleos pode ser feita de diversas partes das plantas, como folhas, frutos, cascas, raízes e sementes. Dependendo da planta, o óleo essencial terá características diferenciadas de aroma, cor e densidade, variando de qual parte da planta ele foi extraído. O modo de se obter o líquido também varia: “Os óleos podem ser extraídos de várias maneiras, as mais comuns e que são aceitas pela comunidade europeia são destilação a vapor, hidrodestilação ou fluídos supercríticos. Nos nossos laboratórios, trabalhamos com a técnica de hidrodestilação”, ressalta a professora.

De acordo com a Sociedade Nacional de Agricultura, há, pelo menos, 300 óleos essenciais de interesse comercial no mundo e, entre os 18 mais importantes, o Brasil lidera a produção de dois: laranja (Citrus sinensis) e lima destilada (Citrus aurantifolia). Dados da Comtrade (United Nations Commodity Trade Statistics Database), mostram que os maiores consumidores de óleos essenciais no mundo são os EUA (40%) e a União Europeia (30%), sendo a França o país líder em importações.

 

Reportagem:  Karina Mascarenhas, jornalista – bolsista Fapemig/Dcom
Edição do vídeo: Lídia Bueno, jornalista – bolsista Dcom

UFLA participará da aplicação da prova da primeira fase da Olimpíada Brasileira de Matemática- confira local e horário

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) participará da aplicação da prova da primeira fase da Olimpíada Brasileira de Matemática, nível universitário. Será realizada na sala 05 do Departamento de Exatas (DEX), a partir das 13h, nesta sexta-feira (4/5). Lembrando que serão 3 horas de prova.

 

Mais informações: http://www.obm.org.br/2018/04/27/prepare-se-para-a-prova-da-primeira-fase-da-obm-nivel-universitario/