UFLA na Mídia: pesquisas da UFLA são destaque no Blog Minas Faz Ciência, da Fapemig

O Blog Minas Faz Ciência, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig), divulgou neste mês três reportagens a respeito de pesquisas desenvolvidas na Universidade Federal de Lavras (UFLA).

A primeira trata-se de um projeto que utiliza como matérias-primas resíduos de sacolas plásticas e de bagaço de cana para produzir placas de MDP, sigla para Medium Density Fiberboard (um painel de fibra de média densidade). A pesquisa é desenvolvida pela estudante Nayra Diniz Nogueira em seu mestrado em Engenharia de Biomateriais na UFLA. Confira o texto na íntegra aqui.

A segunda diz respeito à técnica conhecida como polinização artificial, controlada ou manual, bastante comum na produção de frutas como o maracujá e a graviola. Os pesquisadores da UFLA estão estudando o processo também na pitaya e atualmente há dois experimentos sendo realizados sobre a técnica. Confira aqui o texto completo.

A terceira refere-se à Expedição Urubu na Estrada, que se trata da maior ação de conservação da biodiversidade para avaliar os efeitos de estradas, rodovias e ferrovias das Unidades de Conservação e espécies ameaçadas no País. A ação será realizada pelo professor da UFLA e coordenador do Centro Brasileiro de Ecologia de Estradas (CBEE), Alex Bager. A Expedição ocorrerá entre agosto de 2018 e julho de 2019. Confira aqui o texto completo.

Luciana Tereza- estagiária Dcom/UFLA.

 

UFLA inicia capacitação para gestores da Universidade

Para criar uma gestão pública cada vez mais eficiente na Universidade Federal de Lavras (UFLA), 45 docentes e técnicos administrativos iniciaram, ontem (25/4), o curso de Capacitação para Gestores, realizado pela Pró-Reitoria de Gestão e Desenvolvimento de Pessoas (PRGDP). Em sua segunda edição, a abertura do evento ocorreu na Sala dos Conselhos do prédio da Reitoria e foi conduzida pela vice-reitora da Instituição, a professora Édila Vilela de Resende Von Pinho. 

O curso tem como objetivo oferecer ao núcleo administrativo da UFLA conhecimentos necessários para exercer as atribuições do cargo em consonância com a legislação vigente e com os objetivos estratégicos da Universidade.

Na apresentação, a vice-reitora ressaltou a importância da capacitação para orientar os gestores a respeito das boas práticas na administração pública. “Somos servidores públicos por opção e na carreira não é permitido qualquer deslize, uma vez que temos legislações específicas e rigorosas para cumprir. Praticamente toda semana é lançada uma nova legislação na área, tornando a gestão um desafio encarado com muita responsabilidade pelos reitores e gestores da UFLA”, frisou.

Para a professora, é importante que o núcleo administrativo mantenha o foco nas causas institucionais para o fomento à expansão contínua da universidade. “Em cada unidade acadêmica, é dever do gestor exercer autoridade em prol da qualidade da educação pública de qualidade, trabalho em equipe e responsabilidade financeira”, disse.

Na apresentação,  a professora Édila mostrou os números do crescimento da Universidade na oferta de cursos (de graduação e pós-graduação), ao quadro de servidores (técnicos-administrativos e docentes) e às obras no câmpus, principalmente, a partir de 2007 com o programa de expansão das universidades federais Reuni.

A vice-reitora destacou que os dados reforçam a posição de destaque da UFLA entre as melhores instituições de ensino superior do País. “Não é por menos que somos referência nas ciências agrárias e temos a certeza que as outras áreas também serão. Vale lembrar que a UFLA ocupa a segunda posição no Estado e a oitava no País no Índice Geral de Cursos, que é a melhor avaliação de infraestrutura e qualidade do ensino ”, afirmou.

Diretrizes

Nesse cenário de crescimento contínuo, a professora Édila ressaltou o principal desafio à gestão da Instituição: garantir a expansão da UFLA com qualidade independente das medidas de contenção de gastos do governo federal.  “Conseguimos driblar a crise econômica que abateu as universidades federais por meio de projetos apresentados aos ministérios da Educação, dos Esportes, do Meio Ambiente e da Ciência, Tecnologia e Inovações”, afirmou. Outra diretriz estratégica para a Universidade é a ampliação da internacionalização da UFLA, além da estruturação de novos cursos de graduação e pós-graduação. 

As palestras previstas no evento vão até o dia 11 de julho, sempre às segundas e quarta-feiras, das 14h às 16h.  As próximas atividades serão realizadas no Anfiteatro do Bloco 3 do Departamento de Administração e Economia (DAE). Para conhecer a programação do evento, clique aqui

Texto: Pollyanna Dias, jornalista, bolsista Dcom/Fapemig. 

Professor da UFLA recebeu título em Nova Odessa pelos serviços prestados ao município

O professor da Universidade Federal de Lavras (UFLA) Kleber Tuxen Carneiro Azevedo, do Departamento de Educação Física (DEF), recebeu o título de “Cidadão Novaodessense”, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados ao município de Nova Odessa, em São Paulo.

Kleber é doutor em Educação Escolar, na área de estudos históricos, filosóficos e antropológicos sobre escola e cultura, pela Faculdade de Ciências e Letras da Universidade Estadual Paulista (Unesp) de Araraquara/SP. Mestre em Educação Escolar na área de concentração em Psicologia da Educação, pela mesma instituição. Graduado em Educação Física e Pedagogia, pela Universidade Adventista de São Paulo.

Autor de inúmeros artigos científicos em revista e periódicos nacionais e internacionais. Também é escritor de obras literárias, científicas e poéticas, merecendo destaque quatro delas: O jogo na Educação Física Escolar: as concepções dos professores; O jogo/brincadeira como elemento pedagógico no sistema prisional; O jogo na Educação Infantil; Por uma memória do Jogo: a presença do jogo na infância das décadas de 20 e 30.

Há 16 anos na docência, em novembro de 2016, Kleber assumiu como professor adjunto na UFLA, permanecendo até o momento enquanto pesquisador/professor.

 

Mais de 30 estudantes da UFLA foram selecionados para o Programa de Doutorado Sanduíche da Capes

O Programa Institucional de Doutorado Sanduíche no Exterior (PDSE) da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) selecionou 32 estudantes da Universidade Federal de Lavras (UFLA). O PDSE objetiva oferecer bolsas de estágio em pesquisa de doutorado no exterior de forma a complementar os esforços despendidos, pelos programas de pós-graduação no Brasil, na formação de recursos humanos de alto nível para inserção nos meios acadêmico, de ensino e de pesquisa no país.

O pró-reitor de Pós-Graduação da UFLA, professor Rafael Pio, destaca que o resultado foi extremamente satisfatório, principalmente pelo fato de o Programa ter exigido pela primeira vez a proficiência linguística. “Para que fosse possível o engajamento dos nossos estudantes, fizemos diversas reuniões produtivas com o Núcleo de Línguas e a Diretoria de Relações Internacionais. Assim, foi possível ampliar as aplicações do teste Toefl e adiantar os resultados”.

Os benefícios ao estudante são: mensalidade, seguro saúde, auxílio deslocamento, auxílio instalação e auxílio cidade de alto custo. Os candidatos estão classificados de acordo com a seguinte pontuação: currículo lattes do orientador, considerado a sua produção intelectual de artigos científicos e formação de recursos humanos nos últimos 5 anos (25%), currículo lattes do candidato, considerando a produção intelectual de artigos científicos (50%) e plano de estudos (25%).

Foram beneficiados os programas: Administração, Agroquímica, Biotecnologia Vegetal, Ciência do Solo, Ciência dos Alimentos, Ciências Veterinárias, Ecologia Aplicada, Engenharia de Biomateriais, Entomologia, Estatística e Experimentação Agropecuária, Fisiologia Vegetal, Fitopatologia, Fitotecnia, Genética e Melhoramento de Plantas, Microbiologia Agrícola, Recursos Hídricos em Sistemas Agrícolas, e Zootecnia.

Confira aqui os selecionados 

Em disciplina Computação Gráfica, estudantes desenvolveram dispositivo holográfico 3D – confira vídeo

A disciplina Computação Gráfica, ministrada para o curso de Ciência da Computação, tende a ser voltada à criação de aplicativos (software) para a área. Mas, durante o segundo período de 2017, o professor Bruno de Oliveira Schneider resolveu inovar, incumbindo os estudantes a criarem também um dispositivo físico (hardware). Por isso, a turma desenvolveu, em grupos, um dispositivo holográfico. Ficou combinado que o grupo que desenvolvesse aquele considerado melhor teria seu dispositivo apresentado para a comunidade.

Os alunos do grupo escolhido construíram um protótipo com um monitor de 23 polegadas e um “mini computador” Raspberry Pi. Ele exibe imagens aparentemente no interior de uma pirâmide de vidro acoplada a ele onde se forma uma imagem 3D que pode ser vista de qualquer ponto.

A construção de algo concreto, com visibilidade de diferentes pontos de vista, foi o desafio proposto na disciplina, de acordo com o professor Bruno.  “Já é uma técnica utilizada em shows e exposições, mostrando-se muito útil para a publicidade”, lembra o docente.

Durante o período, os estudantes desenvolveram conhecimentos sobre programação de síntese de imagens, a fim de externalizar o que poderia ser visto em 2D na tela do computador.

“A computação gráfica é uma área ainda pouco explorada no Brasil, e tivemos a oportunidade de obter uma introdução nesta área, a partir da disciplina”, festeja a estudante Stella Azevedo Marques. Além dela, participaram do grupo os estudantes Álisson Vilaça Silva e Fernando Caio Silva Amaral.

 

 Núcleo de Divulgação Científica

 

Doenças Negligenciadas serão discutidas em Simpósio na UFLA – prazo para submissão de resumos é até 2/5

O prazo para submissão de resumos ao IV Simpósio Brasileiro de Doenças Negligenciadas (IV SBDN) foi prorrogado para 2/5. Os trabalhos devem ser enviados pelo e-mail sbdnresumos@gmail.com, atendendo a todas as especificações disponíveis no site do evento. O Simpósio será realizado no Salão de Convenções da Universidade Federal de Lavras (UFLA) de 24/5 a 26/5. Inscrições podem ser feitas até o dia do evento, tanto no Centro de Convivência quanto pelo endereço http://www.biopar.ufla.br/sbdn/.

Além da comunidade acadêmica interna e externa à UFLA, o evento tem como público prioritário os profissionais de saúde. Até o momento, já estão inscritos 40 integrantes das equipes do Programa de Saúde da Família do município de Lavras. Profissionais de Ijaci e Ribeirão Vermelho também já confirmaram participação. Essa interação vai ao encontro do objetivo de integrar academia e sociedade. “É preciso difundir o conhecimento produzido nas universidades de modo a alcançar e contribuir com a administração pública e privada em saúde, com o desenvolvimento tecnológico da indústria nacional, a fim de proporcionar a oferta de novos produtos, serviços e informações capazes de promover o bem estar da sociedade”, explica a presidente do SBDN, professora Joziana Muniz de Paiva Barçante.

Esta é a quarta edição do Simpósio, que teve início em 2014. Entre as doenças negligenciadas que estarão em foco na programação deste ano estão as leishmanioses, a hanseníase, as arboviroses (que incluem, por exemplo, dengue, zika, febre chikungunya e febre amarela), doença de chagas, as helmintoses (ascaridíase, teníase e esquistossomose são exemplos), sífilis e HIV.

Confira a programação preliminar completa e os palestrantes: http://www.biopar.ufla.br/sbdn/programacao