UFLA oferece a produtores Dia de Campo sobre sistema de cama sobreposta para suínos – participação gratuita

Unidade demonstrativa da UFLA – criação de suínos em cama sobreposta.

Suinocultores e outros interessados pela suinocultura podem anotar na agenda: sábado, 28/4, tem Dia de Campo na Universidade Federal de Lavras (UFLA). O tema é a criação de suínos pelo sistema de cama sobreposta. Os participantes poderão conhecer o funcionamento do sistema e buscar o conhecimento necessário para investir nesse tipo de projeto.

As atividades serão realizadas no Setor de Suinocultura da UFLA, Departamento de Zootecnia (DZO), das 8h às 12h. O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas durante o próprio Dia de Campo, que já está em sua terceira edição. Trata-se de uma iniciativa que faz parte de um projeto de extensão coordenado pelo professor do DZO Rony Antônio Ferreira.

Sobre o sistema de cama sobreposta

Pelo sistema de cama sobreposta, suínos em fase de crescimento e terminação são abrigados em uma estrutura com piso de maravalha (30 cm), material semelhante à serragem.  O professor Rony explica que esse procedimento dá origem a uma compostagem natural. “Os dejetos dos animais ficam depositados sobre a maravalha e, com o tempo, os próprios animais vão revolvendo esse material, que se transforma em um composto orgânico”.

No Setor de Suinocultura da UFLA há uma unidade de criação de suínos para demonstração do sistema. Até 20 animais podem ficar alojados na área, constituída de 24mde cama e 7mde concreto. Trata-se de um sistema alternativo de criação que possibilita a produção ecologicamente correta, eticamente defensável, atendendo às exigências de bem-estar animal e com baixa necessidade de mão de obra. O sistema de cama sobreposta começou a ser utilizado no Brasil na década de 1990 e beneficia principalmente o pequeno produtor.

Os suínos permanecem no galpão até o abate, podendo o substrato ser reutilizado em até três lotes consecutivos de suínos. “É um sistema barato, em que o produtor não precisa entrar na baia e lavá-la periodicamente, como acontece nos sistemas tradicionais. Reduz-se o gasto de água, tão escassa nos dias atuais”, diz o professor.

Em criações de suínos em larga escala, as fases de crescimento e terminação (quando os suínos vão de 25 a 100 kg de peso) são as responsáveis pela maior produção de dejetos. Esses dejetos devem ser tratados para evitar danos ao meio ambiente. O custo do tratamento, muitas vezes, inviabiliza o investimento da produção de suínos. Nesse sentido, a criação em cama sobreposta pode ser uma alternativa para o pequeno produtor iniciar a produção, obter retorno financeiro e, posteriormente, investir em criações maiores, com sistemas eficientes para tratamento dos dejetos.

De acordo com o professor Rony, que desde 2012 trabalha em projeto de extensão relacionado ao tema, as capacitações e dias de campo realizados na UFLA têm sido referência para muitos produtores. “Temos histórico de produtores que, após participar, conseguiram implantar o sistema e obter bons resultados. Isso nos motiva a investir nos eventos”, diz.