SNCT 2017: professor explica pesquisa que recebeu Nobel de Química

Professor Guilherme Max Dias Ferreira, do DQI

Uma palestra sobre a pesquisa que venceu o prêmio Nobel de Química de 2017 foi um dos eventos que marcaram o início da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) na Universidade Federal de Lavras (UFLA). O professor Guilherme Max Dias Ferreira, do Departamento de Química (DQI), falou nessa segunda-feira (23/10) sobre  “Microscopia eletrônica para o estudo das biomoléculas”, técnica desenvolvida pelos cientistas Jacques Dubochet, Joachim Frank e Richard Henderson.

Na prática, esse método permite produzir imagens de moléculas em sistemas biológicos, conforme explicou o professor. Dessa forma, é possível determinar e entender as estruturas das moléculas, contribuindo para a resolução de problemas que afetam a vida da população.

“Conhecendo as estruturas dessas moléculas que são formadoras da vida, a gente pode, de certa forma, estudar e combater determinados tipos de doença ou entender como determinados medicamentos funcionam no nosso corpo por exemplo. É uma técnica extremamente poderosa vai ter um papel fundamental em outras descobertas que a gente vai presenciando”, destacou.

O professor considera importante falar a respeito da pesquisa que levou o Nobel de Química e do avanço da ciência com os alunos no sentido de compreender determinados fenômenos. “Apesar de parecer ser muito complicada, a técnica traz informação que qualquer um pode acessar. Uma foto vale mais que mil palavras. Uma foto de uma molécula é um achado, é uma dádiva”, disse.

Na UFLA, a SNCT ocorre até sábado, dia 28. O evento tem o objetivo de aproximar a Ciência e Tecnologia da população, promovendo eventos que congregam centenas de instituições a fim de realizarem atividades de divulgação científica em todo o país. A ideia é criar uma linguagem acessível à população, por meios inovadores que estimulem a curiosidade e motivem a população a discutir as implicações sociais da Ciência.

A SNCT é realizada desde 2004 e tem a coordenação nacional do Ministério da Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações (MCTIC), por meio da Coordenação-Geral de Popularização e Divulgação da Ciência, da Secretaria de Políticas e Programas de Pesquisa e Desenvolvimento. Em cada estado, existem parceiros locais que podem orientar em como participar da SNCT.

A realização da Semana conta com a participação ativa de governos estaduais e municipais, de instituições de ensino e pesquisa, e de entidades ligadas à C&T de cada região. Muitos estados e municípios já criaram suas semanas estaduais ou municipais de C&T, articuladas com a SNCT.

Clique aqui e confira a programação completa da SNCT

Texto: Rafael Passos – Jornalista/bolsista – Fapemig