UFLA na mídia: pesquisa sobre a redução da renda de produtores rurais do Sul de Minas é destaque no G1

O Departamento de Administração e Economia da Universidade Federal de Lavras (DAE/UFLA), em seu trabalho de coleta e divulgação do Índice de Preços Recebidos (IPR) referente à venda dos produtos agrícolas no Sul de Minas Gerais, detectou para o primeiro semestre do ano de 2017 uma retração média da renda dos produtores locais na ordem de -19,73%, refletindo na diminuição dos preços das principais commodities agropecuárias produzidas na região.

As informações sobre a pesquisa e os fatores que influenciaram na queda de preços foram destaque em matéria no site G1, no dia 20/7.

Clique aqui para acessar a matéria do G1 na íntegra.

Música no Museu – 2ª edição: apresentações artísticas movimentam o Bi Moreira

Na próxima quinta-feira (27), será realizada a segunda edição do Sarau Música no Museu. Com início às 19h30, o evento ocorre mensalmente no Museu Bi Moreira da Universidade Federal de Lavras (UFLA).

Com organização da Coordenadoria de Cultura da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec), as apresentações são abertas para estudantes da UFLA e comunidade externa. Para participar, basta se inscrever pelo e-mail: musica@proec.ufla.br.

O objetivo do trabalho é promover eventos que incentivem as manifestações artísticas no formato de sarau cultural, ou seja, um espaço no qual os participantes possam expressar seus talentos artísticos, como, por exemplo, apresentação de poesia, representação dramática, pequenos monólogos, performance com instrumentos, canto, entre outros.

Toda a comunidade é convidada a assistir e a entrada é franca. Mais informações pelo telefone: (35) 3829-1585.

Confira as fotos da primeira edição. 

Panmela Oliveira – comunicadora e bolsista Dcom/Fapemig

 

Edital seleciona professor para participar do PET de Administração

A Pró-Reitoria de Graduação (PRG), da Universidade Federal de Lavras (UFLA), divulgou nesta segunda-feira edital para selecionar professor tutor (a) para o grupo Programa de Educação Tutorial (PET) de Administração. Os interessados em participar da seleção podem se inscrever de 01/08/2017 às 21h de 11/08/2017, na PRG. O resultado do processo seletivo será divulgado em 28 de agosto.

O período de vigência do programa vai de 01/09/2017 a 31/08/2020 e pode ser prorrogado uma única vez, por igual período.

Segundo informações do edital, o docente selecionado vai receber mensalmente um valor que corresponde ao praticado na política federal de concessão de bolsas de doutorado. Os recursos são disponibilizados pelo Fundo Nacional de Educação – FNDE.

O regime de atividades prevê dedicação mínima de dez horas semanais para orientação aos integrantes discentes do grupo PET, sem prejuízo das demais atividades previstas na instituição.

Clique aqui para acessar o edital no site da PRG.

Texto:  Rafael Passos – Jornalista/bolsista – Fapemig

Abertas as inscrições para os cursos gratuitos de inglês do NucLi

Estão abertas as inscrições  para a segunda oferta de cursos presenciais gratuitos 2017 do Núcleo de Línguas da Universidade Federal de Lavras (NucLi/UFLA).

Para se inscrever, os interessados devem acessar, até às 12h do dia 2/8, o site Idiomas sem Fronteiras e abrir a opção “Aulas presenciais”. É necessário possuir o resultado do TOEFL ITP publicado por meio do Programa IsF ou ter realizado o teste de nivelamento do My English Online (MEO). Para aqueles que ainda não possuem, é possível fazê-lo pela internet, acessando:

Aluno : http://cadastro.myenglishonline.com.br/

Servidor: http://meo.capes.gov.br/sys/meo/inscricao/acesso

As aulas terão início dia 14 de agosto (com recesso entre os dias 28 de agosto e 8 de setembro, devido ao período de férias).

Em caso de dúvidas, deve-se entrar em contato com o NucLi pelo telefone 3829-3127, pelo e-mail nucli@dri.ufla.br, pelo endereço Idiomas sem Fronteiras – UFLA no Facebook ou presencialmente no núcleo.

Panmela Oliveira – bolsista Dcom/Fapemig

UFLA na Comunidade: “Doutores palhaços” levam bem-estar e conforto a hospitais de Lavras

Equipe de doutores palhaços em visita ao Hospital Vaz Monteiro
Foto: Unidade de Pronto Alegramento

Contato humanizado e aproximação com pacientes em hospitais. Algumas experiências que estudantes dos cursos de Educação Física, Nutrição e Medicina, da Universidade Federal de Lavras (UFLA) podem vivenciar durante a graduação. Nesse sentido, o curso de extensão “Unidade de Pronto Alegramento” (UPA) promoveu uma capacitação com alunos para que eles atuem como “doutores palhaços” em unidades de saúde da cidade. O ator Alexandre Penha, de Maringá, cidade do interior do Paraná, esteve na Universidade e realizou uma palestra para os graduandos. Penha trabalha com ações sociais ligadas à área de saúde.

O professor Rodrigo Ferreira de Moura, do Departamento de Ciências da Saúde (DCS), é quem coordena o projeto extensionista e contou que o UPA foi criado há cerca de um ano. Segundo ele, a proposta busca deixar os alunos mais próximos da realidade de pessoas que estão hospitalizadas, proporcionando a elas conforto e bem-estar.

Semanalmente, os alunos visitam dois hospitais de Lavras, sendo que o contato é feito com pacientes de diferentes setores. “Primeiro, nós identificamos os locais que podem ser visitados e fazemos uma abordagem cuidadosa junto às pessoas. Levamos um palhaço nas visitas para justamente quebrar o gelo e descontrair o ambiente”, explicou o professor.

O UPA envolve cerca de 40 estudantes de cursos da área de saúde
Foto: Unidade de Pronto Alegramento

O trabalho de extensão é parte da proposta pedagógica dos cursos da área da saúde de potencializar a formação humana dos alunos e de fortalecer ações educativa na comunidade. Além disso, o professor acredita que o projeto pode auxiliar os alunos a amenizar o estresse e a pressão pelo bom desempenho acadêmico. O UPA envolve cerca de 40 estudantes.

Na condição de professor, Rodrigo de Moura disse estar orgulhoso por perceber a resposta positiva dos alunos envolvidos no projeto. “É uma satisfação vê-los (os estudantes) engajados nessa proposta e contribuir para a formação humana deles”, acrescentou.

 

 

Jornalista Rafael Passos – bolsista Dcom/Fapemig

Encontro na UFLA promove troca de conhecimentos sobre Agroecologia com produtores rurais

Mesa redonda bateu assuntos ligados à Agroecologia

Troca de experiências e de conhecimento a favor da produção mais sustentável no campo deu o tom ao Primeiro Encontro de Agroecologia da Universidade Federal de Lavras (UFLA). O evento reuniu agricultores familiares de Lavras e região, professores, pesquisadores, estudantes e autoridades. A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater-MG) e núcleos de estudos ligados à Agroecologia estiveram à frente da organização da ação. O encontro teve uma extensa programação, que envolveu apresentação de trabalhos, realização de oficinas e mesa redonda.

O professor Thiago Rodrigo de Paula Assis, do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Sustentável e Extensã (PPGDE), que participou do encontro, considera que a Agroecologia, enquanto objeto de estudo, se sustenta por meio de três vertentes: ciência, prática e movimento. 

O professor frisou a expansão do número de cursos de graduação e de pós-graduação que contemplam especificamente a matéria, além de trabalhos de associações de agricultores do Sul de Minas que se baseiam em técnicas ecologicamente sustentáveis. “A transição agroecológica parece ser difícil. Pode parecer complicado a gente deixar de produzir da forma como estamos acostumados, usando os insumos. Mas podemos aprender uns com os outros e, por isso, acredito muito no potencial da agroecologia”.

Agricultores prestigiaram o evento

A necessidade de repensar o uso indiscriminado de agrotóxico na lavoura e a consequente contaminação de trabalhadores acende o alerta no campo e preocupa as autoridades. Nesse aspecto, a agroecologia entrou na pauta de temas que a Emater tem levado aos agricultores, segundo Edmundo Modesto de Melo, coordenador técnico regional da instituição em Lavras. Melo frisou a relevância do evento na UFLA por oferecer aos produtores rurais conhecimentos sobre o tema.

O casal de agricultores de Itutinga, cidade próxima a Lavras, Gilmar e Alessandra Medeiros participou do evento. Há cerca de 10 anos, eles cultivam cogumelo e já utilizam o manejo agroecológico na lavoura. Apesar de usarem técnicas sustentáveis no campo, os agricultores contaram que buscam ampliar conhecimento sobre o assunto, principalmente a respeito de técnicas de combate a pragas.

Produtos cultivados com manejos ecologicamente sustentáveis

O pró-reitor de Extensão e Cultura, João José Granate de Sá e Melo Marques, destacou o empenho da organização do encontro e o interesse dos agricultores familiares pelo assunto. “Os diversos núcleos de estudo da UFLA que promovem a agroecologia e a EMATER-MG uniram forças e organizaram um ótimo evento. Além das palestras, foram oferecidas 10 oficinas com diferentes temáticas relacionadas à agroecologia, onde os interessados puderam participar ativamente. Tivemos cerca de 170 participantes, sendo aproximadamente 120 agricultores, agriculturas e técnicos da EMATER. Acredito que o evento foi muito bem-sucedido e esperamos dar continuidade”, opinou.

Texto: Rafael Passos – Jornalista/bolsista – Fapemig

Dicas de Português: O elemento de formação eco- e o hífen

O prefixo eco– não se separa com hífen. Vejo muito aqui na UFLA as seguintes grafias: eco-fenótipo, eco-equilíbrio, etc. No entanto muitas pessoas me perguntam como se escreve a palavra eco-oficina. Se é”eco-oficina”, “ecoficina”, ou “ecooficina”?

Pelo Acordo Ortográfico de 1990, não se emprega o hífen nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por vogal diferente, prática essa em geral já adotada também para os termos técnicos e científicos. Assim: antiaéreo, coeducaçao, extraescolar, aeroespacial, autoestrada, autoaprendizagem, agroindustrial, hidroelétrico, plurianual. Emprega-se, sim, o hífen nas formações em que o prefixo ou pseudoprefixo termina com a  mesma vogal com que se inicia o segundo elemento: anti-ibérico, contra-almirante, infra-axilar, supra-auricular; arqui-irmandade, auto-observação, eletro-ótica, micro-onda, semi-interno. São exceção a esta regra as formações com o prefixo co-: esse aglutina-se em geral com o segundo elemento mesmo quando iniciado por ocoobrigação, coocupante, coordenar, cooperação, cooperar, coorientador, etc.

Assim, eco-oficina é a forma correta.

Fonte: https://ciberduvidas.iscte-iul.pt/ (com adaptações)

Paulo Roberto Ribeiro

DCOM

Sisu 2017/2: UFLA divulga a terceira chamada

A Diretoria de Registro e Controle Acadêmico (DRCA) divulgou a terceira chamada do Sistema de Seleção Unificada (SiSU), para ingresso na UFLA no segundo período letivo de 2017. A lista geral de convocados pode ser acessada aqui. 

Os candidatos convocados terão o prazo de 28/7 a 1/8 para efetuar a matrícula, seguindo as instruções específicas (Ampla Concorrência ou Vagas Reservadas).

Caso seu nome conste na lista, favor preencher a ficha de inscrição acessando o sistema pela página de autenticação.

Caso conste um ‘*’ logo antes do início do seu nome, significa que você está empatado com outros candidatos. Conforme a Lei Nº 13.184, de 04/11/2015, no caso de empate no processo seletivo, as instituições públicas de ensino superior darão prioridade de matrícula ao candidato que comprove ter renda familiar inferior a dez salários mínimos, ou ao de menor renda familiar, quando mais de um candidato preencher o critério inicial.

Caso algum curso não apareça na lista, significa que não existem candidatos chamados para o curso (até este momento).

Veja instruções de matrícula:

Instruções de matrícula – ampla concorrência 

Instruções de matrícula – vagas reservadas

SiSU 2017/2 – 3ª Chamada

 

Magia da Física e do Universo realizará XII Feira de Ciências e Tecnologia em Três Pontas

O grupo Magia da Física e do Universo, da Universidade Federal de Lavras (UFLA), realizará a XII Feira de Ciências e Tecnologia, em Três Pontas, no dia 5 de agosto, das 7h às 12h. O evento tem por objetivo divulgar as ciências naturais para a comunidade local através de exposições e oficinas inovadoras, interativas e lúdicas, visando despertar o interesse de crianças, jovens e adultos pela temática científica.

A feira contará com o apoio do Museu de História Natural da UFLA, e pelas equipes Engenheiros Sem Fronteiras Núcleo Lavras, Troia Equipe de Robótica, Centro Acadêmico de Matemática, Núcleo de Estudos em Sistemática e Biologia de Insetos, Programa de Educação em Solos, Núcleo de Estudos em Bioprospecção Microbiologia Aplicada, e Núcleo de Estudos do Laboratório de Mobilidade Terrestre.

Em sua 12ª edição, o evento ocorrerá no município de Três Pontas na Escola Estadual Tancredo Neves.

Palestras e lançamento de livros na UFLA

Na próxima terça-feira (25/7), na Universidade Federal de Lavras (UFLA), às 14 horas, haverá o lançamento dos livros Gestão Pública Municipal, de autoria de José Roberto Pereira e João Batista Rezende (UFLA) e Teoria do Ator-Rede e Adequação Sociotécnica, de José de Arimatéia Dias Valadão e Jackeline Amantino de Andrade no anfiteatro do Departamento de Administração e Economia (DAE),  bloco 3.

O lançamento será acompanhado de palestras e uma tarde de autógrafos.

Gestão Pública Municipal

Este livro contextualiza o desenvolvimento histórico dos municípios brasileiros desde o período colonial até a atualidade e procura explicar como se encontram em termos de potencialidade administrativa (incluindo as dimensões sociopolítica, institucional-administrativa, econômico-financeira e socioambiental) frente aos problemas políticos, socioeconômicos, institucionais e ambientais.

Para isso, construiu-se o Índice de Gestão Pública Municipal (IGPM) com base em dados dos 853 municípios de Minas Gerais como referência para análise dos municípios brasileiros. O conteúdo do livro trata de forma transversal as áreas de conhecimento da história, da sociologia política, da economia, do meio ambiente e da administração pública. São analisados no contexto histórico, político e administrativo desde o período colonial, seu papel na história política, administrativa e social do Estado brasileiro.

A Gestão Pública Municipal é analisada à luz dos quatro paradigmas de administração pública (patrimonial, burocrático, gerencial e societal), fundamentando-se no processo de municipalização e de descentralização no contexto brasileiro. Os resultados mostram a realidade dos municípios quanto às principais dificuldades e problemas administrativos por meio dos indicadores que compõem as dimensões sociopolítica, institucional-administrativa, econômico-financeira e socioambiental.

Além disso, são apresentas uma discussão crítica sobre a administração pública municipal no Brasil e uma proposição de uma política pública para formação e profissionalização de pessoas para compor o quadro administrativo das prefeituras municipais por meio da participação das Universidades brasileiras e de possíveis instituições parceiras.

Teoria do Ator-Rede e Adequação Sociotécnica

É possível contar a história de uma tecnologia social como a Pedagogia da Alternância (PA) e analisar seus processos atuais de expansão por meio da Teoria do Ator-Rede e das discussões de Adequação Sociotécnica? Esta obra se propõe a esse desafio. Para isso, parte das discussões atuais sobre a Teoria do Ator-Rede e das abordagens de Adequação Sociotécnica, e os inter-relaciona com rotinas organizacionais e tecnologias sociais. A Pedagogia da Alternância é o caso empírico analisado e que proporcionou evidenciar novas conceituações e definições desses construtos, principalmente como as tecnologias sociais podem ser atualmente compreendidas.

Diferentemente de pensar que tecnologias sociais, como é o caso da Pedagogia da Alternância, são “produtos, técnicas e/ou metodologias reaplicáveis” que “causam transformações sociais”, conforme tem se consolidado conceitualmente no Brasil, este livro vai mostrar que, pelo contrário, a Pedagogia da Alternância faz parte das mudanças realizadas pelas próprias associações de atores envolvidas com essa tecnologia social, sendo vista como um conjunto de inscrições, definidas e implementadas por cada associação resultante de suas próprias translações. As dificuldades atuais de se adequar as tecnologias sociais às demandas e necessidades das comunidades atendidas se dão porque as bases sociotécnicas em que se baseiam as implementações e reaplicações das tecnologias sociais, visando a mudanças e transformações sociais, não são unicamente causas, mas também os próprios efeitos das translações dos atores-rede envolvidos com essas tecnologias.

O livro, desse modo, é um convite para o leitor seguir os rastros (ou o transladar, como se diz na linguagem da Teoria do Ator-Rede) de uma das tecnologias sociais de maior sucesso no contexto mundial atualmente. A Pedagogia da Alternância possui mais de 1300 centros, espalhados desde países historicamente de Primeiro Mundo, como Itália e Portugal, na Europa, passando pelos emergentes, como Brasil e Argentina, na América Latina, a países notadamente pobres, como Ruanda e Senegal, na África. Além disso, o leitor encontrará uma análise detalhada dos processos atuais de expansão da PA, os diversos ordenamentos de suas rotinas organizacionais e uma argumentação clara dos motivos que levam essa tecnologia social a ser considerada um instrumento de transformação social nas localidades em que tem sido aplicada.