Arqueologia foi tema de curso de extensão realizado nessa semana



26 de Maio de 2017, 8:43 am , com 831 visualizações

O trabalho do arqueólogo desperta a curiosidade de muitas pessoas, e a comunidade da UFLA e da região pôde aprender sobre isso durante o curso de extensão “Introdução à Arqueologia e Educação Patrimonial”, realizado na Universidade entre os dias 22 e 25 de maio. O professor Leandro Mageste, da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf), abordou desde aspectos teóricos do campo da arqueologia à análise de material arqueológico encontrado na região Sul de Minas e pertencente ao acervo do Museu Bi Moreira.

No primeiro dia, Leandro falou sobre conceitos básicos da Arqueologia, ciência que estuda os grupos humanos a partir dos vestígios das coisas que foram produzidas e manipuladas, tentando entender como viveram. Os espaços que contêm indícios de populações humanas são os sítios arqueológicos, estudados pelos profissionais da área. O material arqueológico como fonte de pesquisa e a relação da Arqueologia com outras disciplinas foram temas dos demais módulos.

O material estudado no último dia constituiu-se de fragmentos de cerâmica encontrados na região de Perdões durante a década de 90 e doados ao Museu Bi Moreira. Os participantes tiveram que identificar diferentes técnicas e padrões de manufatura da cerâmica, separá-los e catalogá-los.  “Esta foi uma oportunidade de os alunos experimentarem o trabalho do arqueólogo por um dia”, comentou o professor Leandro. Segundo ele, os objetos são da população indígena que habitou a região há 800 anos e a análise reforça a vocação social de trazer à tona a história dos índios, população que tem sido esquecida.

O curso, ministrado no Centro de Treinamento da Faepe e Museu Bi Moreira, teve 47 inscritos de cursos e programas de pós-graduação da UFLA, além de membros da comunidade lavrense e de Nepomuceno e visitantes espontâneos. A iniciativa foi da Coordenadoria de Museus e Patrimônio Histórico da Pró-Reitoria de Extensão e Cultura (Proec) e Programa de Educação em Solos (Peds). “Os museus são um local pertinente para o armazenamento e a exposição à comunidade. O curso de extensão demonstrou como o material passa por todo o processo de Arqueologia para, então, ser exposto com sua contextualização em um museu. Além disso, o curso aproximou essa ciência e os museus da comunidade”, diz Patrícia Muniz, coordenadora de Museus e Patrimônio Histórico da UFLA. Ela também ressaltou que o material do acervo também está disponível para pesquisadores.

De acordo com a participante do Peds, doutoranda em Ciência dos Solos Maíra Akemi Toma, há uma parceria entre esse núcleo de estudos e os museus da UFLA para auxiliar a conservação dos acervos de Mineralogia e Pedologia. “O objetivo do Peds é a educação e o curso trouxe essa educação patrimonial”, afirmou.

Sobre o ministrante

O professor Leandro Mageste é bacharel e licenciado em História pela Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF); mestre em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP); e doutor em Arqueologia pelo Museu de Arqueologia e Etnologia da Universidade de São Paulo (MAE-USP). Professor-assistente do Colegiado de Arqueologia e Preservação Patrimonial da Univasf, tem atuação na áreas de Teoria Arqueológica, Arqueologia Brasileira, Etno-história, História Indígena, Patrimônio Cultural e Museologia.

 

Página Eventos UFLA no Facebook

Diretrizes de Comunicação da UFLA

Notícias por data

Maio 2017
D S T Q Q S S
« abr   jun »
 123456
78910111213
14151617181920
21222324252627
28293031  

Arquivo