Projeto Borbulhando encerrou ciclo de capacitações com arte e debates sobre violências sexuais na infância



30 de novembro de 2015, 5:09 pm , com 3.902 visualizações

borbulhando1

Encerramento das capacitações do Projeto Borbulhando ocorreu em 27/11.

Passados nove meses do lançamento oficial do projeto “Borbulhando – Enfrentamentos às violências sexuais nas infâncias no Sul de Minas Gerais”, a sexta-feira (27/11) foi de encerramento do ciclo de capacitações direcionadas a profissionais da área de educação infantil e de assistência social. Cerca de 60 cursistas, ligados a 14 municípios da região, frequentaram os 17 encontros quinzenais realizados na Universidade Federal de Lavras (UFLA) e receberam seus certificados de conclusão.

O combate à pedofilia e às violências sexuais foi a questão norteadora de todo o projeto, que compreendeu, além das capacitações, a produção de um de um livro, que está em fase final de preparação, e de cinco edições do jornal “Borbulhando Informações”, com quatro números já publicados. O livro está sendo organizado pelo grupo de pesquisa Relações entre Filosofia e Educação para a Sexualidade na Contemporaneidade: a Problemática da Formação Docente (Fesex/UFLA) e seu conteúdo está relacionado ao produto das capacitações.

A coordenação de todas as atividades do Projeto Borbulhando é feita pela professora do Departamento de Educação (DED) Cláudia Maria Ribeiro. Ele foi aprovado pelo edital do Programa de Extensão Universitária do Ministério da Educação (Proext/MEC/2015) com nota máxima, o que se deve à abrangência social de sua proposta: o público-alvo envolve profissionais de educação de municípios integrantes do Fórum Sul-Mineiro de Educação Infantil e de Centros de Referência de Assistência Social (Cras), Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e Conselhos Tutelares.

Para a cursista de Carmo do Rio Claro Keila Adriana Ferreira Soares, que é auxiliar pedagógica da Educação Infantil, a capacitação contribuiu efetivamente para a rotina na escola. “Já coloquei em prática o aprendizado. Trabalhei em todas as turmas com materiais e textos do curso, alcançado efeitos muito positivos. Isso pode ser confirmado com o fato de que estudantes da escola tiveram sete trabalhos premiados na I Mostra Cultural sobre o 18 de maio”, avalia. “Com o curso percebemos a importância de um olhar cuidadoso e do desenvolvimento de formas lúdicas para enfrentar um tema delicado”.

De acordo com a professora Cláudia, o projeto alcançou seus objetivos com sucesso. “O movimento das pessoas em torno do tema e o compromisso delas com o curso superaram nossas expectativas. E os trabalhos não param: assim que o livro for publicado, iremos aos municípios envolvidos para participar de grupos de discussão e multiplicação de informações, já que a questão das violências sexuais deve ser preocupação constante dos profissionais e da sociedade”, disse.

A programação do encerramento

borbulhando2

O membro do Fesex e mestrando em Educação Vinícius de Carvalho fez apresentação de dança na abertura do encontro.

Antes de receberem os certificados na sexta-feira (27/11), os participantes tiveram novas oportunidades para reflexão sobre a questão das violências sexuais na infância.

A abertura do encontro foi realizada com uma apresentação de dança feita pelo membro do Fesex e mestrando em Educação Vinícius de Carvalho. Na antessala do Anfiteatro do Departamento de Agricultura (DAG), a coreografia apresentada, potencializada por expressões faciais e corporais, prendeu a atenção do público e despertou a atenção para a questão das sexualidades.

Em seguida, integrantes da companhia de teatro Causart apoiaram bolsistas do Projeto Borbulhando na missão de transformar o tema das violências sexuais em uma apresentação que mexeu com as emoções do público.

borbulhando3

Bolsistas do Projeto e integrantes da Cia Causart retrataram em peça teatral a questão das violências sexuais na infância.

Representantes de diferentes municípios, convidados especialmente para o evento, participaram da composição da mesa de discussão que se formou na sequência. Eles falaram sobre as dinâmicas da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente em seus municípios. A coordenação dessa atividade foi feita pela integrante do Fesex, professora Lívia Monique de Castro Faria. Também compôs a mesa a professora do Departamento de Direito (DIR/UFLA) Luciana Fernandes Berlini.

Veja outras imagens na galeria abaixo (três últimas fotos: Meysner Tavares).

Página Eventos UFLA no Facebook

Diretrizes de Comunicação da UFLA

Notícias por data

novembro 2015
D S T Q Q S S
« out   dez »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
2930  

Arquivo