10° Camping de Atletismo reúne profissionais e futuras promessas do esporte brasileiro



19 de Janeiro de 2018, 8:56 am , com 1.428 visualizações

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) contou nesta semana com o 10° Camping de Atletismo, evento anual realizado pelo Centro Regional de Iniciação ao Atletismo (CRIA) e pela Secretaria Municipal de Esporte, Lazer, Turismo e Cultura (SELTC) de Lavras/MG. Nas arquibancadas, se encontravam acomodadas crianças, adolescentes e adultos, que sonham em alcançar voos mais altos no esporte. E na pista, a presença de grandes atletas do País. 

A programação de atividades vai até sábado (20/1), envolvendo desde o treinamento de atletas e crianças, até palestras abertas à comunidade. Segundo o professor do Departamento de Educação Física da UFLA (DEF) e coordenador do CRIA, Fernando Oliveira, o projeto tem como objetivo incentivar a prática do esporte. “Apesar de todas as dificuldades que envolvem o atletismo, nos empenhamos para que este evento acontecesse e que mantivéssemos essa tradição, contando com a participação de equipes de Lavras e região. O que percebemos é uma evolução do atletismo em Minas Gerais, e as pessoas estão integradas na disseminação do esporte, o que era nosso objetivo inicial”, explicou.

A principal atração do 10° Camping de Atletismo é Keila da Silva Costa, campeã dos Jogos Sul-Americanos (2013 e 2014), dos Jogos Ibero-Americanos do Rio (2016), e oito vezes medalhista de ouro no Troféu Brasil, além de ser recordista brasileira no salto triplo com a marca de 14,58m.

Keila da Silva Costa

Passando orientações aos mais jovens, cujos olhares estavam atentos durante as atividades, Keila conta que se vê como uma referência para eles e procura transmitir tudo o que aprendeu ao longo da carreira. “Eu sempre falo que eles podem sonhar, podem acreditar e mudar suas vidas com o esporte, porque foi assim que eu fiz com a minha. Foi o esporte que transformou a minha vida”, disse a atleta que participou dos Jogos Olímpicos de Pequim em 2008.

Vitória Sena Batista Alves, campeã brasileira na prova de 100m com barreira e salto em distância, conta que deu os primeiros passos no atletismo graças ao apoio de sua mãe. “Minha mãe fazia condicionamento físico na pista de atletismo e me levou. Esse foi o primeiro contato que eu tive”, revelou a vice-campeã sul-americana de 2017 na Guiana Inglesa.

Já Thiago Moura, filho do técnico Neilton Moura, cujas melhores marcas foram o 2,20m no salto em altura e 15,95m no salto triplo, conta que não gostava do atletismo quando criança, por se sentir ausente na vida de seus familiares. “Eu não gostava porque não tinha meus pais, meus irmãos. Eles são todos do esporte, e isso não me permitia ter tempo com eles. Então eu gostava da ideia de ir para uma pista para poder ter participação na vida deles, e depois de um tempo eu fui gostando disso”, finalizou sorridente.

Cansados, Marcele Peniche e Alexandre Inocêncio, ambos de 16 anos, encontravam-se encostados em uma grade observando atentamente as atividades na pista. Era como se estivessem sonhando alto, talvez com os Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020.

Marcele conta que está aproveitando cada momento do Camping para adquirir experiência junto aos mais velhos. “Eu estou achando ótimo, porque você conhece pessoas novas que têm mais experiência que você, e isso ajuda na carreira de atleta”, disse a jovem de Pindamonhangaba/SP.

Alexandre compartilha a mesma opinião de sua colega. “Eu estou achando uma grande experiência, que nos traz conhecimentos para conseguir bons objetivos pela frente”, contou o garoto, que faz parte do Instituto Edson Luciano Ribeiro.

Texto: Leonardo Assad, jornalista, bolsista UFLA. 

Galeria de fotos, crédito Leonardo Assad. 

 

 

Página Eventos UFLA no Facebook

Diretrizes de Comunicação da UFLA

Notícias por data

Janeiro 2018
S T Q Q S S D
« dez   fev »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Arquivo