UFLA é TOP 10 no IGC/MEC – 2ª melhor universidade em Minas Gerais e a 8ª do Brasil



28 de novembro de 2017, 2:12 pm , com 3.521 visualizações

A Universidade Federal de Lavras (UFLA) avançou no ranking do Índice Geral de Cursos (IGC), que avalia instituições de ensino superior brasileiras. Em resultado divulgado pelo Ministério da Educação (MEC) nesta segunda-feira (27/11), a UFLA evoluiu uma posição em 2016, alcançando o 8º lugar no País e o 2º em Minas Gerais entre as universidades avaliadas. Também foi a 1ª colocada entre as universidades mineiras no Conceito Médio da Graduação.

Os Indicadores de Qualidade da Educação Superior são apurados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) e revelam, em uma escala de notas de 1 a 5, como estão avaliados os cursos de graduação de todas as instituições de ensino superior do País. São considerados o conceito obtido pelos estudantes no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade); o Conceito Preliminar de Curso (CPC) e o Índice Geral de Cursos Avaliados da Instituição (IGC). Em 2016, ano base sobre o qual foram calculados os resultados recém-divulgados, integraram a avaliação cursos das áreas de Saúde, Ciências Agrárias e áreas afins, e os Eixos Tecnológicos em Ambiente e Saúde, Produção Alimentícia, Recursos Naturais, Militar e Segurança.

Das 2132 instituições de ensino superior avaliadas, 230 são universidades – grupo em que apenas 12 obtiveram o conceito 5, considerado de excelência.

O resultado coloca a UFLA no estrato das 3% melhores universidades do País, sendo motivo de orgulho e comemoração para a toda a comunidade acadêmica, de acordo com o reitor, professor José Roberto Soares Scolforo. Ele considera que os resultados alcançados só foram possíveis graças ao trabalho colaborativo. “A excelência tem sido busca constante da UFLA. Estamos colhendo os frutos da dedicação de nossos estudantes, professores e técnicos administrativos, nossa equipe de gestão com modelos transformadores de ensino, além do apoio de colaboradores e parceiros que acreditam na Universidade como um espaço de educação integral do ser humano. Os rankings refletem pilares sobre os quais construímos a nossa trajetória, e são uma forma simples e efetiva de mostrarmos à sociedade como realizamos nosso trabalho: com dedicação,  comprometimento, eficiência e respeito ao ser humano”, ressaltou.

O pró-reitor de Graduação, professor Ronei Ximenes Martins, também reconheceu o trabalho em equipe como promotor dos avanços da UFLA no IGC 2016. “A excelência na avaliação da graduação se deve ao trabalho dos colegiados dos cursos, coordenadores, docentes, discentes, técnicos e do empenho de uma gestão que nos proporciona infraestrutura de qualidade. Sabemos que a qualidade é um processo de aprimoramento contínuo, e os resultados demonstram que estamos no caminho certo”, destacou.

Na pós-graduação, a evolução dos resultados positivos ainda esbarra na proporção do número de alunos, uma vez que a UFLA viveu uma grande expansão do número de vagas na graduação. Segundo o pró-reitor de Pós-Graduação, Rafael Pio, a Universidade avançará nos índices à medida que novos programas de pós-graduação forem abertos nos próximos anos. “Nós temos hoje 2070 pós-graduandos, 180 a mais que o número que tínhamos no início da gestão. Também abrimos novos programas, de Ciências da Saúde e Nutrição e Saúde, e submetemos uma série de novas propostas junto à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) para os próximos anos. Temos realizado, com o incentivo da diretoria executiva, trabalhos que visam a inserção de novos docentes e o estímulo à ampliação do número de discentes nos programas de pós”, explicou.

Nesse sentido, a direção executiva tem se reunido periodicamente com pró-reitores, chefes de departamentos e coordenadores de programas de pós, propondo e incentivando projetos que gerem mais conhecimento, tecnologias e produtos inovadores, parar tornar a UFLA cada vez mais qualificada e próxima dos padrões internacionais de ensino e pesquisa – onde 30% a 35% do total de discentes são pós-graduandos.

Em reunião no início de 2017, ficou estabelecida junto à Pró-reitoria de Pós-Graduação a meta de aumento de, pelo menos, 20% ao ano no número de matrículas entre os anos de 2017 e 2021. De acordo com Scolforo, o cumprimento dessa meta, com o apoio dos coordenadores dos programas de pós, contribuirá, mais uma vez, para evolução da UFLA no cenário internacional e para sua consolidação no rol das boas universidades do mundo.

Os indicadores considerados pelo Inep

Conceito do Enade: baseado no desempenho obtido pelos dos estudantes concluintes da graduação na prova do Enade, que avalia pontos de formação geral e de conhecimentos específicos.

CPC: inclui variáveis como o resultado do Enade, titulação e regime de trabalho do corpo docente; percepções dos estudantes sobre a organização didático-pedagógica, infraestrutura e oportunidades de ampliação da formação acadêmica e profissional. 

IGC: calculado com base na média dos CPCs dos cursos de graduação avaliados (ponderada pelo número de matrículas) e na média dos conceitos de avaliação da Capes dos programas de pós-graduação stricto sensu.

Ranking do Índice Geral de Cursos (IGC) 2016

Ranking do Conceito Médio da Graduação

Acesse o site do Inep e consulte os relatórios completos.

Página Eventos UFLA no Facebook

Diretrizes de Comunicação da UFLA

Notícias por data

novembro 2017
S T Q Q S S D
« out   dez »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Arquivo